Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 19/Feb/2016 às 13:21
41
Comentários

Bolsonaro, um animador de internet ou alguém que desperta preocupação?

Bolsonaro é um animador de internet, uma figura caricata que não representa risco nas próximas eleições, ou é alguém com quem devemos nos preocupar? A questão eleitoral é insignificante diante da identificação que ele desperta em uma população com muito pouco capital educacional e que está profundamente carente de líderes e soluções imediatas

bolsonaro direita ódio extremismo machismo homofobia

Entrei no carro e, como habitual, o taxista começou a reclamar do Brasil até soltar a máxima: “o que o Brasil precisa é importar um ditador japonês para colocar a casa em ordem”. Ele não foi o primeiro, nem o segundo, taxista a me falar que o Brasil precisa é de um homem de pulso firme no poder.

O propósito da minha coluna não é, do alto de minha suprema sabedoria e soberba, chamar taxista de coxinha, autoritário ou ignorante. O que eu gostaria de problematizar aqui é que a visão do taxista, talvez justamente por pertencer a um dos segmentos mais vulneráveis da classe trabalhadora, é apenas uma versão extrema de algo naturalizado em sociedade – a crença que a solução dos problemas virá da mão de um líder.

Esse tipo de pensamento se manifesta, com diferentes nuanças, em diversos setores da sociedade, que vão do senso comum às mais sofisticadas análises políticas.

De um lado, há aqueles que depositam suas esperanças numa volta triunfante de Lula para consertar o PT, ou entre círculos mais intelectualizados do partido, que veem a figura de Fernando Haddad como “O” novo líder. Do outro, estão os integrantes da nova direita, que odeiam a política partidária, não se identificam nem com o PSDB nem com o PMDB, mas idolatram a figura de Jair Bolsonaro como herói salvador. Ainda há aqueles que ficam discutindo se Ciro Gomes ou Marina Silva emplacariam.

É fato que o Brasil carece de líderes, mas isso é necessariamente ruim?

Sobre ombros do povo

É muito comum ouvir que o problema do PT é a falta de líderes, quando uma geração inteira foi denunciada em seguidos escândalos de corrupção. Nesta concepção, é preciso buscar novas inspirações. De sua base, espalham-se fotos populistas de Lula sendo erguido pelas massas. Quase uma ressurreição.

Eu entendo que isso possa funcionar como fonte de inspiração para a militância, mas estamos bastante cientes que os problemas enfrentados pelo partido estão longe de ser responsabilidade de Dilma Rousseff. Eles são fruto de uma história de institucionalização, burocratização e coalizão pela governabilidade.

Da parte de alguns analistas políticos e intelectuais orgânicos do PT, é muito comum ouvir que a renovação virá por Haddad, já que se trata de um dos poucos políticos da nova geração que têm carisma, aparência simpática e jovial, o que se alia a uma gestão progressista. Ou seja, tudo o que compõe o repertório da busca desesperada por um novo líder.

Do lado do PSDB, o cenário não é nem um pouco mais animador. As disputas de carisma entre os principais nomes do partido soam deprimentes. Aécio Neves bem que tentou, mas não funcionou. Volta-se a disputa pelas mesmas figuras carimbadas que nunca emplacaram na disputa presidencial.

Mas é de um partido que quase ninguém lembra, o PP, que emerge a figura de Jair Bolsonaro. Ele foi recebido por uma multidão como herói salvador da nação, sendo carregado nos ombros em Recife e em Porto Alegre (nesta última também levou purpurina na cabeça, mas este é outro assunto…).

Há quem diga que Bolsonaro é um animador de internet, uma figura caricata e não representa risco nenhum nas eleições de 2018. Ainda que eu concorde com a questão presidencial, não seria tão otimista em relação a ele. Subestimar o seu papel é um erro primário.

Há muito tempo que o comportamento violento de internet tem se traduzido em violência nas ruas (especialmente no que diz respeito à diversidade política e identitária). Da mesma forma, não se pode ignorar o imenso vazio que a figura dele preenche. Bolsonaro atua por meio de um discurso simples e inflamado (mas falacioso) que ocupa um vácuo deixado pela crise moral, econômica e política. É fácil atribuir os problemas do Brasil a um inimigo comum: a ameaça comunista, a “ditadura gay”, e assim por diante.

É claro que, hoje, se me perguntarem se Bolsonaro é um risco real para 2018, eu também seria cética. Mas, sinceramente, acho que não é esta a questão correta a ser feita. O que importa é justamente o seu papel de animador de torcida, que ontem estava adormecida e hoje sai às ruas com orgulho de defender bandeiras conservadoras.

Leia também:
As 10 frases mais polêmicas de Jair Bolsonaro
Admirador paga conta de Bolsonaro em restaurante chique no Rio de Janeiro

O que importa é justamente a identificação que ele vai aderindo Brasil afora em uma população que detém muito pouco capital educacional e está profundamente carente de líderes e soluções dos seus problemas.

Além da personificação

Vivemos em um sistema presidencialista, que consequentemente necessita de líderes que inspirem gerações e construam a identidade partidária. Líderes inspiram sonhos. E não há nenhum problema nisso. Ademais, dirão alguns, a falta de liderança é uma utopia.

O Brasil hoje é uma sociedade polarizada e carente de todas as ordens. Lideranças tendem a ser altamente personificadas e o resultado do culto à personalidade – à direita e à esquerda – não têm sido nada positivo ao longo da humanidade.

Da mesma forma, não vejo, dentro do sistema político brasileiro, como uma liderança poderia renovar um sistema visceralmente apodrecido em seus pequenos e grandes poderes. Também não consigo entender como a guerra (um tanto obsessiva e infantil, é verdade) de memes da internet entre Lula x FHC (triplex ou apartamento em Paris; gravata borboleta ou sem camisa; operário ou sociólogo) possa acrescentar no debate político. Política é processo. Processo requer debate. Debate requer entendimento e solidariedade.

Deixando o herói salvador um pouco de lado, é preciso se perguntar: quem de nós analisa agenda partidária e programa de governo?

O exercício democrático, contudo, vai muito além da política partidária. Nesse sentido, vale a pena olhar para as novas gerações dos movimentos sociais e aprender com eles um pouco. Os valores da horizontalidade e democracia direta podem soar utópicos para alguns, mas tentar colocá-lo em prática já me parece um exercício que engrandecesse o nossos fazer político.

Fundamentalmente, é preciso fortalecer a nós mesmos enquanto seres coletivos e cidadãos de direitos em uma população tão individualista como a brasileira, movida por interesses burgueses majoritariamente mesquinhos e autoritários. Nesse modelo de sociedade, faz sentido terceirizar o fazer político para a figura de um líder.

Um outro modelo de sociedade é possível. É nosso papel coletivo reivindicar o melhoramento das instituições democráticas, fortalecendo a base coletiva dos movimentos sociais, das associações comunitárias e dos partidos políticos. Não há como ter esperança de que nossos direitos, que são violados diariamente, irão ser implementados de cima para baixo. Não serão. Lá para cima a farra é grande. A solução de nossos problemas está, sempre esteve, e sempre estará, em nossas próprias mãos, no nível comunitário e coletivo. Paremos de olhar para cima e, por favor, voltemos a olhar para o lado.

Rosana Pinheiro-Machado, CartaCapital

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Pedro Accioli Postado em 19/Feb/2016 às 15:50

    A elite e classe mérdia brasileira se sentem carentes de um líder e este Boçalnaro está sendo considerado um líder que eles desejam, a ascensão deste idiota vai enterrar de vez este país!

    • Silmara Postado em 20/Feb/2016 às 08:32

      De onde tirou que a classe média quer Bolsonaro?

    • rafa santos Postado em 20/Feb/2016 às 17:14

      haveria passeatas INTERNACIONAIS contra um idiota como bolsounada

  2. Wladimir Teixeira Postado em 19/Feb/2016 às 16:34

    O tapete do Bolsonazi é branco, com duas listras e uma estrela de seis pontas (azul claro) no meio. Puxe quem quiser.

  3. Trajano Postado em 19/Feb/2016 às 18:42

    Bolsonaro, como deputado, possui um histórico de projetos vetados por inconstitucionalidade, injuridicidade e má técnica legislativa; o senhor que figura entre os que mais faltaram na Câmara sem justificativa em 2015; o mesmo político que somente após 25 anos de atividade como deputado conseguiu aprovar sua 1ª emenda constitucional; a mesma pessoa que colocou dedo na cara de mulher, empurrou, chamou de vagabunda com o discurso “eu não te estupro porque você não merece”, já condenado em duas instâncias, ao passo que também foi condenado por declarações contra os homossexuais em outro processo; o político que não tem propostas para as áreas econômicas, sociais, de infraestrutura para oferecer à sociedade. Enfim, o político que sobreviveu este tempo todo com uma atuação política pífia e uma teatralidade tiririquiana para obtenção de votos, enaltecido por grupos militares, da ativa e reserva, pensionistas militares, viúvas da ditadura, lobistas do armamento, religiosos guardiões da tal “família brasileira” e dos que querem vingança contra a “ditadura gay”, as “feminazis”, “os comunistas” e outros saci-pererês, enfim, as “pessoas de bem”. Bolsonaro não surgiu do nada, sempre existem aqueles que votam nele há mais de duas décadas, e concordo: se pode subestimar à vontade o Bolsonaro, até porque imperícia e incompetência em sua atividade parlamentar está disponível para quem quiser ver, mas jamais se deve subestimar a força do ódio de uma população que sempre foi estimulada a detestar a política, que sempre foi desconvidada a participar da democracia e, principalmente, que não se importa em apoiar tipos como Eduardo Cunha desde que atendam ao seus interesses revanchistas mais mesquinhos – Bolsonaro é somente a ponta animada de um iceberg sinistro. Além disso, quem antes se considerava “milhões de Cunhas” facilmente se transformará em “milhões de Bolsonaros”. Alguém duvida? Se a “gente de bem” e outros tipos de apolíticos doutrinados se reunirem para votar neste político, preparem-se para o espetáculo mais trágico de uma democracia em declínio.

    • Jonas Schlesinger Postado em 19/Feb/2016 às 22:56

      kkkkk cês amam o Bolsonaro, admitam. Quando o PP resolve postar uma matéria só dele vão todos correndo comentar. Tem aquele velho ditado: fale bem ou fale mal, mas falem de mim. É isso que está acontecendo, ele vai acabar ficando mais forte e a culpa será de vocês dando holofote. Melhoor mesmo ignorar. Ignoraram o Donald Trump, hum?

      • rafa santos Postado em 20/Feb/2016 às 17:21

        tb acho. eu nem dou atenção a bolsounada.

      • rafa santos Postado em 20/Feb/2016 às 17:24

        a tua lógica vai bem pro Lula. a mídia monopolista toda ataca. os prostitutos de pesquisa desbancam pra influenciar. tudo porque a burguesada corruptora está DESESPERADA com o Lula penta 2018 que todo o mundo sabe.

      • Trajano Postado em 21/Feb/2016 às 03:01

        Jonas, concordo em parte. Bolsonaro, como militar, nunca combateu coisa alguma, guerra nenhuma, inimigo nenhum. Um fanfarrão. Um cara que nasceu em Campinas, fez carreira no Rio com votos de pensionistas militares e de fardados com pouca instrução política e que de repente, aproveitando-se da onda homofóbica promovida pelos pastores-roléx e mais recentemente “convertido” a uma celebridade da “zueira BR” do fundo do poço da internet, além do efeito Tiririca, está por ai aproveitando a fama e colocando os filhos para replicarem o seu modus operandi para também encontrarem o pote de ouro no final do arco-íris. Político fraquíssimo, fala muito e faz pouco, celebridade forte, voto certo. O que não dá pra ignorar é quem dá voz para esse cidadão e isso precisa ser falado, exposto, denunciado, enfim. O Rio de Janeiro está em uma onda de violência assustadora: narcotraficantes, milicianos (os piores, os traidores legítimos, bandidos do asfalto), policiais truculentos, sistema carcerário entregue aos ditames da hierarquia do tráfico... Corrupção e violência que deixa aquela série Breaking Bad parecer coisa de criança. E um político-celebridade como Bolsonaro com suas falas violentas de “estupro porque você não merece”, as falas criminosas contra os gays, os ataques às organizações dos Direitos Humanos (seguido pelo coro do executivo estadual), o lobby do armamento, tudo nele incita o que já está até a tampa para explodir. O Rio de Janeiro não merece isso! Não merece, por exemplo, que um político diga que a PM tem que matar mais quando questionado sobre o fato da polícia brasileira ser a que mais mata no mundo. Não dá! E o Rio tem uma mancha em sua história recente: O ex-governador Garotinho nomeou na época o Álvaro Lins como secretário de segurança, sendo que ele foi condenado posteriormente simplesmente por ser da liderança de milicianos! Olha isso! Escândalo pouco é bobagem! Bolsonaro é realmente um nada, mas a violência no Rio é real, além de uma indústria bélica em êxtase, e existem pessoas aqui que se aproveitam desse clima, que adoram o vale-tudo político para despejarem na sociedade todo o discurso de violência que antes se relegava às pichações em banheiro, dos sites de internet obscuros e outros buracos esquisitos. É uma tragédia isso! Bolsonaro jamais teria o poder de criar isso, ele sempre se aproveita das subidas das marés, qualquer maré, só que, agora, a coisa está transbordando e não é ele, um militar da reserva, que vai pagar a conta. Quem apoia Bolsonaro precisa, sim, ser questionado, ser implicado, ser responsabilizado.

    • rafa santos Postado em 20/Feb/2016 às 17:20

      o latifúndio e as multinacionais talvez prefiram bolsounada a Lula, mas vão apostar é em alckmin, que vai perder pra Lula. bolsounada será usado, como marina foi, para arrebanhar votos para alckmin. mas nem assim. ninguém pode com o Lulão. 2018 é Lula penta e não tem pra mais ninguém.

  4. Rodrigo Postado em 19/Feb/2016 às 19:04

    (Outro Rodrigo) Como um amigo sempre lembra, existe o chamado "vácuo de poder" e, numa dessas, uma figura como Bolsonaro, autoproclamado "salvador da pátria", pode cair de paraquedas. Então, quem estiver dando espaço para esse vácuo acontecer, que abra o olho, para depois não reclamar mais do que já está sendo reclamado.

    • rafa santos Postado em 20/Feb/2016 às 17:23

      não existe vácuo. existe a força indômita de Lula, que a mídia finge que não, mas será penta em 2018.

      • Rodrigo Postado em 21/Feb/2016 às 16:37

        (Outro Rodrigo) "Então tá bom então".

  5. José de Pindorama Postado em 19/Feb/2016 às 23:04

    Caros Comentaristas, boa noite. Num Congresso onde a maioria respeitasse a liturgia do Congresso (Lei Orgânica da Casa), esse Sr., não só ele, estaria cassado e inelegível; por conta do conjunto de sua obra -- isso sem falar no seu histórico. Numa sociedade sã e democrática não representaria perigo algum, mas na de hoje... É obvio que no jogo da politica atual, pessoas se destacam de alguma forma e lhe são atribuídas características de liderança; quando não, de 'Salvadores da Pátria' e até poderes 'divinos'. Não questiono o aparecimento e/ou a consolidação de líderes e 'lideranças' no tecido da politica e sociedade; apesar de não colocar todo o 'peso' da mudança nestes. No entanto, infeliz é a Nação que necessita de um líder para colimar o anseio de todos como se fosse dele (Salvador da Pátria); pois, na sua ausência, o projeto naufraga. E se esse 'líder' falhar e/ou se desviar... As necessidades comuns, nossos anseios, o clamor pela Liberdade e Democracia; enfim, é a causa que deve prover organização e liderança! Perde-se um cidadão na condição de vanguarda, imediatamente, é reposto, e a vida segue. Vamos lembrar que esse 'pobre' Congresso, pobre no sentido da cidadania, direitos humanos, laicidade, honestidade, integridade, e por aí vai; esses dito 'líderes' foram eleitos por nós, o povo,seu verdadeiro Patrão! O Congresso atual (que sabota a Nação) é sem dúvida o pior da história, os culpados somos todos nós, que não soubemos separar a propaganda da realidade; as mentiras das verdades sonegadas. Esse ano as eleições se avizinham, vamos verificar se o Povo aprendeu algo; ou continua a reboque de políticos populistas, estéreis, sectaristas, entreguistas, descompromissados com País e alimentados pela grande mídia.

  6. Guilhermo Postado em 20/Feb/2016 às 11:16

    To louco pra assistir os debates presidenciais da eleição de 2018. Vai ser lindo se o Bolsonaro (ou Bolsomito para alguns) se engalfinhar com o Lula (ou papai Lula para alguns). =D

    • rafa santos Postado em 20/Feb/2016 às 17:26

      docteur de la silva de la sorbonne toronto coimbra y salamanca, para a maioria mundo afora.

      • Jonas Schlesinger Postado em 20/Feb/2016 às 19:37

        Ainda tu ligas para os devaneios desse aí? :/

      • Jonas Schlesinger Postado em 21/Feb/2016 às 23:18

        Naro Solbo, é difícil eu conversar contigo aqui. Mas preciso perguntar: vc leva fé na candidatura o Jair Bolsonaro? Seja sincero.

  7. Ueder Cardoso Postado em 21/Feb/2016 às 00:24

    Traga o ditador Kim Jong-Un para governar o Brasil. . hahah

    • enganado Postado em 22/Feb/2016 às 02:27

      Ueder, garanto a Vc que o Kim Jong-Un é mais Patriota que qq membro da Direita do Brasil, que está levando GRANA para entregar o BRASIL de (4) quatro para USraHell e levarem sua grana pelo servicinho prestado. Me desminta! Diga que a gangue do FHC/STF_DB/TCU_DB/P$DB/DEM/Forças Armadas/ .... tem amor a Pátria. Como o Kim Jong-Um não obedece a gangue da Bca, Internacional Anglo-SIONISTA, será sempre chamado das mesmas coisas que chamam: Fidel, Hugo Chávez, Maduro, Assad, Putin, Xi Jinping, Aiatolá Kamenei, Evo Morales, Hitler, PT, Dilma, Lula, PALESTINOS ... etc. Ser Patriota como a gangue do P$DB e & cia (citados acima) é muito fácil, são imundos, ordinários, salafrários, ... . Vamos me desminta! Quer pior que o vagabundo deste juizeco de merda MORO? Tá disputando qual o mais fdp com os canalhas do Gilmar ""Mendes"", JB, Procuradores da República de Guantánamo do Paraná. Me desminta, diga todos são honestos e que o BRASIL vai ficar bonzinho qdo empossarem PÔecio=Aébrio=Aechaça=Aópio=Aerópio= ... . Quer um conselho. Peça cidadania Norte Americana e/ou israelense e se mude para Miami para lavar prato.

  8. André Postado em 21/Feb/2016 às 04:16

    Bolsonaro é uma pessoa execrável, isso todos sabemos. O discurso dele é de ódio, me assusto mesmo com a ideia de que um dia ele venha a disputar eleições e tragicamente, saia como vencedor. Imagino uma nova ditadura, nos mesmos moldes da que aterrorizou o Brasil por debaixo dos panos, entre 1964 e 1985. Imaginem a censura que seria imposta, as pessoas que sumiriam de repente. E isso só pra começar, porque tem muito mais podridão por debaixo desses panos, entre elas, a corrupção. Sinceramente, eu espero que os brasileiros sejam sábios na hora do voto e não elejam porcos de guerra como Bolsonaro.

  9. Lopes Postado em 21/Feb/2016 às 14:12

    Sinceramente, acho que a imprensa é refém do Bolsonaro! Sempre que o entrevistam, caem no jogo dele ao falar em kit gay e desarmamento. Um réporter sério começaria perguntando o que o candidato a presidente pensa sobre o país, qual o projeto de governo, etc.

  10. Fonseca Postado em 08/Mar/2016 às 21:11

    Pura vdd, Lopes! Ninguém sério o entrevista. As perguntas são medíocres.

  11. Denisbaldo Postado em 19/Feb/2016 às 15:52

    Lula não é líder da maioria absoluta dos brasileiros, é líder da maioria absoluta da população do MUNDO. Aprende isso de uma vez, cabeça de cocô de frango lambe botas de escravocratas.

  12. Salomon Postado em 19/Feb/2016 às 17:29

    "(...)identificação que ele desperta em uma população com muito pouco capital educacional(...)". Eu acrescentaria mais: ora, um sujeito que ameaça com estupro uma colega dentro do plenário, deve ter lá os seus seguidores estupradores ou estuprados.

  13. Trajano Postado em 19/Feb/2016 às 17:53

    Ué? Naro, este texto em nenhum momento é político-partidário, não criou uma hipótese e buscou confirmá-la de alguma forma. Do básico ao complexo, a moça que escreveu, uma das antropólogas mais reconhecidas e que possui títulos acadêmicos importantíssimos como pós-doutorado pela UFRGS e Universidade de Harvard (ela atualmente é professora da Universidade de Oxford), citou um monte de considerações valiosíssimas para o debate, como a necessidade de crença em um líder, o imaginário social que sustenta um sistema presidencialista, as precariedades da democracia no Brasil e um Bolsonaro surfando em uma população com pouco capital educacional. Nem Lula, nem Dilma, nem Aécio, nem FHC, enfim, nem Bolsonaro representam atualmente fortes lideranças, mas no desespero pelo “comandante de pulso firme”, subestimar o saudoso da ditadura militar é um equívoco já que todos estão em barcos parecidos, mesmo que em mares diferentes. Não, ela não considera Lula ou Dilma como atualmente líderes isolados ou “absolutos” como você resolveu dizer – o texto da Pinheiro-Machado está pouco se importando pra isso, apenas você parece estar. Ela apresentou a terceirização do fazer político para uma pessoa, ao passo que em uma população que não se implica, que não participa dos rumos democráticos, qualquer um que conseguir reunir características carismáticas de um líder pode ter chances de assumir o poder – seja de esquerda ou direita –, mesmo sem projeto político realmente robusto e abrangente. A cientista está falando de fragilização da democracia: só existe Bolsonaro popular em um país com instituições democráticas enfraquecidas. Naro, tudo bem incorporar o estereotipo de coxinha médio do seu avatar, mas acho que sua fantasia colocou demais no corpo depois de muito uso. Um abraço!

  14. rafa santos Postado em 20/Feb/2016 às 17:09

    Lula é elogiado mundo afora. doutor honoris causa por 51 das maiores universidades do mundo (homem de estado mais homenageado). indicado pra ONU por Obama. cogitado pro Nobel da Paz. pesquise, Guilherme! a mídia monopolista que pertence à opo$ição não vai te contar.

  15. Rogerio Postado em 23/Feb/2016 às 00:22

    So pra trolar, viva JAIR BOLSONARO!!!

  16. Guilhermo Postado em 19/Feb/2016 às 19:13

    Líder do mundo? Sério mesmo? Se não é líder nem de um terço da população desse país, imagina do mundo inteiro.

  17. Silmara Postado em 20/Feb/2016 às 08:30

    Só rindo do seu comentário.

  18. enganado Postado em 20/Feb/2016 às 21:46

    Caro Denisbaldo. Até hoje não foi encontrado um substituto do mesmo calibre para a figura do """CHACRINHA""" na discoteca. Tá descoberto! ___"""BOÇALNARO"""__.

  19. Trajano Postado em 19/Feb/2016 às 19:49

    *colou. Uma dúvida: alguém sabe dizer se pela Ficha Limpa o Bolsonaro pode se candidatar com condenações judiciais nas costas?

  20. Fernando Postado em 20/Feb/2016 às 13:22

    Parabéns, Trajano, vc atirou o coxinha histriônico "Nabo no Solbo" em um caldeirão de óleo fervente e ao sentir-se fritado apelou para o típico mimimi de coxinhas, fascistas e paneleiros (aqui também no sentido lusitano da palavra) que abundam e desbundam na rede mas não seguram o rojão. Nem o nabo.

  21. Eduardo Ribeiro Postado em 20/Feb/2016 às 16:35

    Sou citado até quando nem participo do debate. E Narinho Anagrama é mais um que acha que sou petista. Acho que nunca falei "o que eu sou". Nunca escondi minha imensa (mas não cega...imensa) admiração por Lula, e nunca neguei que votei em Lula 2x e Dilma 2x, mas sempre no segundo turno, quando a escolha era anular ou PSDB. Nessas condições, hoje eu votaria em ambos novamente, e com umas 7000x mais convicção do que antes, porque o tempo só me deu razão. Daí a ser "petista" - e fanatico - vai uns 4 ou 5 anos-luz de distancia.

  22. rafa santos Postado em 20/Feb/2016 às 17:13

    Naro Bolso, vc nunca entende bem os textos - falta-lhe leitura de clássicos do pensamento universal

  23. poliana Postado em 20/Feb/2016 às 18:24

    Não adianta tentar explicar isso pra ele, eduardo. Eles n entendem que a gente vota no pt por falta de opção, por ser o menos pior, pra n anularmos nosso voto e para impedir q o psdb volte! Mas n adianta...já falei tanto isso aki, mas eles n entendem. Preferem achar q somos fanáticos. Pior eh q o próprio naro votou na dilma por falta de opção. Ele sabia e sabe q entre ela e o aecio, ela eh muito melhor. Mas ele n admite, prefere dizer q somos fanáticos.

  24. poliana Postado em 21/Feb/2016 às 10:22

    Naro, n me referi especificamente a vc. No meu post falei "eleS", me referindo a todos que vem julgar os eleitores do pt aki, como se fôssemos fanáticos pelo partido. Qdo na vdd, muitos de nos ja falamos várias vezes o pq de continuar votando no pt. E vc pode n ter me chamado de fanática dessa vez, mas em outras ocasiões, tanto vc como outras figuras participantes aqui do pp, sim. Por isso falei com o eduardo. N adianta tentar explicar q vcs n entendem...

  25. Eduardo Ribeiro Postado em 22/Feb/2016 às 11:17

    Anagrama...eu falei umas 15x aqui que o PT é frouxo. Cansei de fazer críticas quando elas merecem ser feitas. Eu nunca falei que o governo petista é/foi a "perfeição". Você fala de "ideologia datada", sendo que minha maior crítica é exatamente o fato do PT trair suas raizes e as convicções de seus seguidores...quem enxerga no PT esquerda/socialismo (eu acho que é a isso que vc se refere quando fala de "ideologia datada") é ingenuo, analfabeto mesmo, burro com força. Faz 3 dias falei da "carta ao povo brasileiro" que foi o momento da morte do PT enquanto "ideologicamente de esquerda". Eu nem vou perguntar sobre "currais eleitorais" pra não me arrepender. O que pega é que vocês (voces em geral), coxinhas, meninos de direita, querem que nós assinemos embaixo das críticas bisonhas e descabidas - e em 98% do tempo mentirosas - que vocês, e sua mídia, e seu partido, e seus caciques políticos, espalham por aí, atendendo a interesses imperialistas que colocam todos vocês de 4. Querem que assinemos embaixo de um GOLPE. Não suportam, ficam doentes de ver um governo que, apesar de proporcionar lucros históricos para banqueiros, separou um tempinho e olhou minimamente pra uma parcela gigante da população que NUNCA foi olhada, e não se limitou a olhar, foi lá e fez. Isso deixa vocês espumando e sangrando pelos olhos. A verdade é que nós não compactuamos com os motivos vagabundos pelos quais vocês querem a cabeça de Papai Lulão, e vocês não se conformam com isso. Só reiterando: se meu papai, meu presidente chegar de novo com algum picareta tucano em 2018 no segundo turno, voto com fé em Lula, de novo, mais feliz e convicto do que nunca antes. Mas...não sou petista - sequer petista fanático - por causa disso.

  26. Eduardo Ribeiro Postado em 22/Feb/2016 às 14:37

    Não tem negação. Eu voto declaradamente no PT desde que esse cenário de segundo turno se estabeleceu (94 e 98 não tive a chance, porque o boca de sapo venceu no primeiro turno). Mas aí vai da sua concepção, do seu entendimento de realidade....se ser petista = somente em segundo turno, diante de um insistente dilema PT x PSDB, votar com extrema, extremíssima convicção no PT, e o farei de novo em 2018 mais convicto do que nunca caso se repita o mesmo cenário....se é isso que é ser petista pra você..."oh que vergonha, fui descoberto, cai em desgraça"...

  27. poliana Postado em 22/Feb/2016 às 16:18

    Naro, qdo citei seu nome foi dando um exemplo do q falei no meu post. Alguém(vc) q assim como a gente (eu e o eduardo, por ex.), votou em dilma por falta de opção, e n por sermos petistas. Mas se vc prestar atenção, eu falei sobre todos aqueles q aki no pp chama o pessoal de petista fanatico e tal. Ja ate me chamaram de menina malufista do pt...vc msmo uma vez me citou fora do contexto pq eu disse q enqto. a polarização pt x psdb existisse, eu ia morrer votando no pt. Vc disse q eu era fanatica pq pegou essa ultima parte da minha colocação e me citou fora do contexto. Enfim...o q falei pro eduardo aki foi direcionado a todos akeles q nos acusam de fanatismo aki. Seu nome eu so usei pra exemplificar o pq de termos votado em dilma em 2014. Vc teve o mesmo raciocínio q a gente: votamos no menos pior! Eh isso...

  28. poliana Postado em 22/Feb/2016 às 20:09

    Todos aqueles que chamaM*...

O e-mail não será publicado.