Redação Pragmatismo
Compartilhar
PT 15/Jun/2015 às 11:33
20
Comentários

Pesquisa inédita revela tamanho do ódio ao PT no Brasil

Nestes tempos em que a intolerância e ódio tomaram conta do nosso cotidiano político, pesquisa Vox Populi foi às ruas saber o tamanho do eleitorado que diz detestar o PT

lula dilma PT congresso bahia
Lula e Dilma no 5º Congresso do PT (FOTO: RICARDO STUCKERT/ INSTITUTO LULA/FOTOS PÚBLICAS)

Nestes tempos em que a intolerância, o preconceito e o ódio se tornaram parte de nosso cotidiano político, é fácil se assustar. É mesmo tão grande quanto parece a onda autoritária em formação?

Quem se expõe aos meios de comunicação corre o risco de nada entender, pois só toma contato com o que pensa um lado. Será majoritária a parcela da opinião pública que se regozija ao ouvir os líderes conservadores e assistir aos comentaristas da televisão despejar seu ódio?

Recente pesquisa do Instituto Vox Populi permite responder a algumas dessas perguntas. E seus resultados ensejam otimismo: o ódio na política atinge um segmento menor do que se poderia imaginar. O Diabo talvez não seja tão feio como se pinta.

Em vez de perguntar a respeito de simpatias ou antipatias partidárias, na pesquisa foi pedido aos entrevistados que dissessem se “detestavam o PT”, “não gostavam do PT, mas sem detestá-lo”, “eram indiferentes ao partido”, “gostavam do PT, sem se sentir petistas” ou “sentiam-se petistas”.

Os resultados indicam: permanecem fundamentalmente inalteradas as proporções de “petistas” (em graus diversos), “antipetistas” (mais ou menos hostis ao partido) e “indiferentes” (os que não são uma coisa ou outra), cada qual com cerca de um terço do eleitorado. Vinte e cinco anos depois de o PT firmar-se nacionalmente e apesar de tudo o que aconteceu de lá para cá, pouca coisa mudou nesse aspecto.

Nessa análise, interessam-nos aqueles que “detestam o PT”. São 12% do total dos entrevistados. Esse contingente tem, claro, tamanho significativo. A existência de cerca de 10% do eleitorado que diz “detestar” um partido político não é pouco, mas é um número bem menor do que seria esperado se levarmos em conta a intensidade e a duração da campanha contra a legenda.

A contraparte dos 12% a detestar o PT são os quase 90% que não o detestam. Passada quase uma década de “denúncias” (o “mensalão” como pontapé inicial) e após três anos de bombardeio antipetista ininterrupto (do “julgamento do mensalão” a este momento), a vasta maioria da população não parece haver sido contagiada pelo ódio ao partido.

A pesquisa não perguntou há quanto tempo quem detesta o PT se sente assim. Mas é razoável supor que muitos são antipetistas de carteirinha. A proporção de entrevistados com aversão ao partido é maior entre indivíduos mais velhos, outro sinal de que é modesto o impacto na sociedade da militância antipetista da mídia.

Como seria de esperar, o ódio ao PT não se distribui de maneira homogênea. Em termos regionais, atinge o ápice no Sul (onde alcança 17%) e o mínimo no Nordeste (onde é de 8%). É maior nas capitais (no patamar de 17%) que no interior (4% em áreas rurais). É ligeiramente mais comum entre homens (14%) que mulheres (10%). Detestam a legenda 20% dos entrevistados com renda familiar maior que cinco salários mínimos, quase três vezes mais que entre quem ganha até dois salários. É a diferença mais dilatada apontada pela pesquisa, o que sugere que esse ódio tem um real componente de classe.

Na pesquisa, o recorte mais antipetista é formado pelo eleitorado de renda elevada das capitais do Sudeste. E o que menos odeia o PT é o dos eleitores de renda baixa de municípios menores do Nordeste. No primeiro, 21% dos entrevistados, em média, detestam o PT. No segundo, a proporção cai para 6%.

Não vamos de 0 a 100% em nenhuma parte. A sociologia, portanto, não explica tudo: não há lugares onde todos detestam o PT ou lugares onde todos são petistas, por mais determinantes que possam ser as condições socioeconômicas. Há um significativo componente propriamente político na explicação desses fenômenos.

O principal: mesmo no ambiente mais propício, o ódio ao PT é minoritário e contamina apenas um quinto da população. Daí se extraem duas consequências. Erra a oposição ao fincar sua bandeira na minoria visceralmente antipetista. Querer representá-la pode até ser legítimo, mas é burro, se o projeto for vencer eleições majoritárias.

Erra o petismo ao se amedrontar e supor ter de enfrentar a imaginária maioria do antipetismo radical. Só um desinformado ignora os problemas atuais da legenda. Mas superestimá-los é um equívoco igualmente grave.

Marcos Coimbra | Vox Populi e CartaCapital

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Tags

Recomendados para você

Comentários

  1. Eduardo Postado em 15/Jun/2015 às 12:15

    esta pesquisa sendo do Vox Populi é até estranha, será que foi feita só a respeito do PT???? Deve ter sido pois no Brasil partido político é o PT o resto é um aglomerado de interessados em se dar bem... a mais de 100 anos... uns já trocaram de nome para esconder suas cagadas e ninguém diz nada, nunca foi feito pesquisa.... uns apoiaram tortura de quem pensava ou se expressava e nada é dito destes.... que legal né.... O Brasil é roubado desde que foi "descoberto" e só o PT que rouba, acorda povo de 12%.... legal de novo é quase 13 o número do meu voto em 2018.....

    • Pedro Accioli Postado em 15/Jun/2015 às 15:42

      Está mais que comprovado que a imensa maioria das pessoas que odeiam mortalmente o PT vem de classes A e B! Não tem como negar!

    • Antônio Lopes Postado em 15/Jun/2015 às 19:27

      Concordo quase completamente contigo, só não concordo:" O Brasil foi descoberto" pois o mesmo foi invadido por bandidos e que hoje estão com o poder, eles tem: terras, indústrias, bancos e a mídia, tem também alguns partidos tipo: psdb, pps, dem e outros.

      • leonardo Postado em 15/Jun/2015 às 20:08

        Realmente os bandidos estam no poder!

  2. ingrid Postado em 15/Jun/2015 às 12:41

    Vocês são malucos, tão malucos quanto os que já ficaram malucos pela direita.

  3. Omas Postado em 15/Jun/2015 às 13:09

    Política é a arte de separar o joio do trigo. A questão é que na corja DEMOTUCANA só tem joio...

  4. Eduardo Ribeiro Postado em 15/Jun/2015 às 14:31

    """"""""Na pesquisa, o recorte mais antipetista é formado pelo eleitorado de renda elevada das capitais do Sudeste.""""""""....poxa, que surpresa...é sério que a elite branca paneleira fascista que abraça PM, clama por invasão norte-americana, veste verde-amarelo em passeios de domingo e puxa aplauso em restaurante fino quando cruza com algum "petralha" odeia o PT?

  5. Tchekowski Postado em 15/Jun/2015 às 14:52

    "a vasta maioria da população não parece haver sido contagiada pelo ódio ao partido." Mas a figura da maria-vai-com-as-outras não consegue resistir contra "a intensidade e a duração da campanha contra a legenda (...) A proporção de entrevistados com aversão ao partido é maior entre indivíduos mais velhos (...) Detestam a legenda 20% dos entrevistados com renda familiar maior que cinco salários mínimos, quase três vezes mais que entre quem ganha até dois salários (...)o ódio ao PT é minoritário e contamina apenas um quinto da população."

  6. Ricardo Postado em 15/Jun/2015 às 15:41

    Pessoalmente: não quero que o PT despareça, mas eu quero que ele saia do poder... Partido há tempos demais no poder não é legal para o estado... E se alguém me disser que as outras opções "não prestam" ainda assim prefiro que as outras tentem, por que a que está no poder já está fazendo hora extra...

  7. Rodrigo Postado em 15/Jun/2015 às 17:10

    (Outro Rodrigo) Uma filósofa brada em alto e bom som que odeia pessoas, que nada de bom enxerga, generalizando um grupo e julgando uma parte pelo todo. E tal é largamente aceito e disseminado. Não fosse, pois, extremamente conflituoso uma filósofa que brada ódio, é ainda mais estranho que, após bradar ódio, ofender, atacar, generalizar, passe-se, então, a dizer: "ó, eu sou uma vítima de ódio". Já sugeri em outra oportunidade e volto a sugerir: leitura da obra do também filósofo petista Mário Sergio Cortella. Ainda, que se leve realmente a sério o "mais amor" e "humanizar", não sendo meras palavras de efeito para esconder o próprio ódio.

  8. Vinis Postado em 15/Jun/2015 às 19:25

    Aprovação e ódio são coisas bem diferentes, meu caro, e há inclusive muitas pessoas na esquerda que não acham o governo Dilma bom/ótimo

  9. Vinis Postado em 15/Jun/2015 às 19:28

    É realmente muito pouco, levando em consideração todo o esforço da mídia de massa em demonizar o partido.

  10. Daniel Postado em 16/Jun/2015 às 00:57

    Lixo de site! Lixo de site! Lixo de site!

    • Silva Postado em 16/Jun/2015 às 08:18

      Lixo de coxinha! Lixo de coxinha! Lixo de coxinha!

  11. eu daqui Postado em 17/Jun/2015 às 09:59

    Claro: direitistas já nasceram odiando. E quanto aos ex-petistas. Saõ reaça de nascença também?

  12. Ricardo Postado em 15/Jun/2015 às 15:06

    A melhor pesquisa é o resultado da eleição. Talvez esteja iludido porque a maioria do seu círculo social pensa como você, mas o seu círculo social não é a sociedade inteira.

  13. Tchekowski Postado em 15/Jun/2015 às 15:12

    Uma eventual pesquisa de intensão de votos, faltando 3 anos e meio para as eleições, expressaria a realidade atual conforme os candidatos que se apresentam. E quais seriam esses candidatos? Lula e quem mais? Aécio? Marina? Alckimin? Serra? FHC? Bolsonaro? Tiririca? Naro Solbo? Pereira? Para a direita incapaz e tetra-derrotada, é melhor nem querer.

  14. Ricardo Postado em 15/Jun/2015 às 15:38

    o Lula está em cima do muro, com as barbas de molho com esta estória da investigação do instituto dele... Está só olhando o cenário, como sempre, para depois dar o bote...

  15. Pedro Accioli Postado em 16/Jun/2015 às 11:39

    Gente! Esta pesquisa não está tão furada assim! Nas eleições do ano passado, 43% da população rejeitava a Dilma, mas não significa que todo este contingente rejeita o PT! Se o Lula tivesse se candidatado no ano passado, teria ganho no primeiro turno! A rejeição contra a Dilma é mais por julgá-la incompetente para o cargo do que o ódio ao PT propriamente dito! Portanto, faz sentido este contingente de 16% da população que é antipetista de fato, o que comprova que a maioria deles vem de classe A e B!

  16. enganado Postado em 20/Jun/2015 às 23:53

    Caro Tchekowski, está esquecendo d(o) mariaX como candidata, e que caso o Picolé de Chuchu sai vencedor será a dona(o) do cofre da ROUBALHEIRA do PSDB/DEM, ou melhor, será assessora do revivado, "Engavetador Geral da República", Geraldo Brindeiro, que sairá do túmulo para limpar o nome calhordas como do próprio e da gangue, começando pelo FHC, .... indo até MORO e JB.