Redação Pragmatismo
Compartilhar
Terrorismo 23/May/2015 às 09:00
13
Comentários

Estado Islâmico já domina mais de 50% da Síria

Com conquista da cidade histórica de Palmira, Estado Islâmico domina mais de 50% da Síria. Teme-se que grupo extremista sunita vá devastar os templos e ruínas que compõem o patrimônio arqueológico

estado islâmico síria terrorismo guerra oriente médio

O Estado Islâmico tomou nesta quinta-feira (21/05) o controle total da cidade histórica de Palmira, situada na região central da Síria. Com o triunfo, o grupo extremista sunita passa a ter domínio de mais de 50% do território sírio.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, pelo menos 462 pessoas morreram durante a semana que durou a ofensiva do Estado Islâmico na região. Destes, 241 são soldados leais a Bashar al-Assad, 150 são milicianos do grupo extremista e 71 são civis.

A mesma ONG aponta que os jihadistas dominam agora 95 mil quilômetros quadrados do país e estão presentes em nove de 14 províncias, a saber: Homs, Al Raqqah, Deir ez Zor, Al Hasaka, Hama, Aleppo, Damasco, Rif Damasco e Sueida.

Em resposta, a aviação do governo sírio passou a bombardear os arredores de Palmira, na tentativa de reconquistar o território. Ainda não se sabe se a ofensiva causou danos materiais na cidade, mas teme-se que a própria organização terrorista devaste os templos e ruínas datadas da era romana, bem como já fizera com monumentos no Iraque.

“Esta é a queda de uma civilização”, disse o chefe de antiguidades da Síria, Maamoun Abdulkarim, entrevista à Reuters. “A sociedade humana, civilizada, perdeu a batalha contra a barbárie. Eu perdi toda a esperança”, acrescentou.

Por sua vez, a chefe da Diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, alertou em nota nesta manhã que as ações de jihadistas contra o patrimônio cultural e arqueológico na Síria “equivaleriam a crimes de guerra segundo o Estatuto de Roma do Tribunal Penal Internacional”.

De acordo com a Agência Efe, o Estado Islâmico tem em seu poder a maioria dos campos de gás do país, menos duas jazidas: uma que ainda é controlada por Assad, em Homs, e outra que está nas mãos de milícias curdo-sírias, em Al Hasaka.

Opera Mundi

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Dinio Postado em 23/May/2015 às 13:13

    Os Americanos / Europeus e Sauditas...que criaram o "monstro" agora querem empurrar para o resto do mundo a responsabilidade, pela via cultural. A América do Sul não tem nada a ver com esta merda, muito menos o nosso Brasil. Se virem com a cria...

    • Randy Postado em 23/May/2015 às 13:47

      O Estado Islâmico não é cria dos americanos... eles são cria da ignorância criada pela religião... Eles destroem sítios arqueológicos, matam qualquer não-islâmico que encontram, obrigam homossexuais a se jogarem de prédios... Se eventualmente eles vierem ao Brasil, vão fazer a mesma coisa... ELES SÃO UMA AFRONTA AOS DIREITOS HUMANOS, AOS VALORES ÉTICOS E SECULARES... É uma Cruzada islâmica que vai passar por cima de qqr coisa até conseguir total dominação muçulmana... O Estado Islâmico tem que ser detido, SIM!!! É um problema de TODOS... Só existe uma solução contra esses maníacos: Ciência!

      • Paulo Figueira Postado em 25/May/2015 às 18:28

        O ocidente os armou e os articulou para derrubar o Governo Sírio, isso é fato

      • Randy Postado em 25/May/2015 às 23:58

        Os Estados Unidos armaram o AL QAEDA na guerra do Afeganistão nos anos 80 e os articularam para derrubar os soviéticos... isso também é fato... mas não muda em nada que esses dois grupos (AL QAEDA e o EI) são duas ameaças não apenas aos EUA mas todos os países seculares!

    • beto Postado em 23/May/2015 às 23:42

      EI recrutando jovens brasileiros para 2016, ta tudo beleza, tao destruíndo patrimônios da história da humanidade, ta tudo beleza! Não caral## ta tudo errado EI eh um problemas mundial

  2. wcogo Postado em 23/May/2015 às 13:24

    Quem pariu que balance o berço........

  3. Fernando Postado em 24/May/2015 às 13:59

    Aos comentaristas que demonizam o islã, uma palavrinha: esse EI ou ISIL como é conhecido internacionalmente é, sim, uma criação norte-americana e israelense com o apoio dos capachos sauditas para promover a limpeza étnica na região e o controle político e econômico sobre países não alinhados com o eixo sionista, leia-se Inglaterra - EUA - ishra-HELL. Is primeiros terroristas do EI foram treinados em Israel e na Jordânia por oficiais do exército do açougueiro estado neo-nazista judeu e americanos bem como por agentes da CIA. Tudo filmado, documentado e arquivado. Não há como negar. O islã é uma religião abrahâmica monoteísta tal qual o Cristianismo e o Judaísmo. Dentro de sua teologia existem inúmeras correntes que vão desde o fundamentalismo extremo - neste caso usado como desculpa e estopim para fomentar o terrorismo na região e fazer com que a guerra se torne interminável e, portanto, altamente lucrativa para o eixo sionista - até correntes mais contemplativas e modernas onde os costumes são atualizados de acordo com a evolução da sociedade. O mesmo acontece com o Judaísmo e o Cristianismo onde existem, desde o seu início, correntes diferentes de interpretação dos preceitos de Jesus, tais como os cristãos coptas do Egito, os ortodoxos Gregos, Russos e os católicos romanos. Mais modernamente, os protestantes luteranos, calvinistas e anglicanos e muito recentemente as correntes neo-pentecostais influenciadas por uma leitura extremamente fundamentalista da Bíblia, mais especialmente do AT e, não à toa, TODAS ORIGINÁRIAS DOS EUA, funcionando como arma de dominação ideológica do eixo sionista internacional pois põe ishra-HELL, suas mentiras e atos belicistas acima de qualquer lei ou interpelação quanto à legitimidade e legalidade de seus atos. Desde a 1ª guerra do Golfo, quando o Iraque foi invadido e aniquilado, quase todos os resquícios da civilização suméria e babilônica foram roubados pelas tropas americanas e hoje encontram-se escondidas em algum lugar. O mesmo aconteceu na síria, palco das primeiras aldeias cristãs fora da Judéia, onde verdadeiras relíquias cristãs se encontravam e templos para adoração e que hoje foram destruídos pelo EI. Acontece que a cultura suméria e babilônica desmentem essa lenga-lenga histórica dos judeus como povo escolhido e os descrevem como um povo belicoso, ruim e assassino - qualquer semelhança com os dias atuais não seria uma mera coincidência! A mitologia da criação do mundo segundo Moisés é uma cópia quase fiel do mito babilônico e só aparece depois que os judeus foram conquistados e escravizados cerca de 600 a.C. Até lá não existia Moisés, nem dilúvio, nem coisa alguma. Somente depois da libertação do cativeiro babilônico é que estes mitos surgem e são dados como revelações... Além disto, os Egípcios, notáveis por registrarem todos os feitos que faziam parte de sua história, nunca mencionam os judeus como povo que teria sido escravizado naquelas terras por 400 anos. Simplesmente, a história dos hebreus não bate com os relatos de nenhuma civilização vizinha e contemporânea a não ser pelo fato de suas atrocidades belicistas. O que querem realmente estes terroristas a serviço do eixo anglo-sionista é exterminar todas as probas culturais que desmentem suas teorias e sua história forjada com base em mitos de um Deus guerreiro, vingador e assassino. E até mesmo dentro dos EUA esse câncer já está causando estragos ao manipular todo o congresso americano e restringindo as liberdades civis dos cidadãos com preceitos falso moralistas e achacadores sob a forma de aumento de impostos e diminuição do poder de compra da classe trabalhadora.

    • Dinio Postado em 25/May/2015 às 00:10

      É isto Fernando, bela explanação. Tem gente que precisaria ler mais para se manifestar, até por respeito ao conhecimento alheio. Hoje é mal informado...quem é preguiçoso ou mal intencionado(a maioria), porque não tem mais nada escondido, na web, basta fuçar que acha. Eu já estou perdendo a gana de me manifestar, pois você escreve, com a convicção do conhecimento, para colaborar e recebe em troca ignorância, então enche o saco, valeu.

      • Dinio Postado em 25/May/2015 às 00:16

        E só para exemplificar o que disse, se alguém duvida do que o Fernando postou acima, assistam o Doc."Iraque for Sale" e verão o que é saquear um Patrimônio da Humanidade e da História, com o "apoio" da mídia mundial. De moral de cueca, tô de saco cheio.

  4. Line Postado em 26/May/2015 às 23:00

    Os EUA pode até ter criado esses monstros e terem perdido o controle. Mas esse ódio todo contra Israel já virou patológico, o ódio tem ultrapassado os interesses políticos e tem virado ataques gratuitos ao povo judeu.

  5. Luiz Souza Postado em 27/May/2015 às 04:07

    Com Saddam, Khadafi e Assad não tinha EI. Sobre os sionistas, Arafat, o sincero, alertou em 1970: "a paz depende da destruição do Estado de Israel."

  6. Pedro Accioli Postado em 23/Jun/2015 às 16:16

    O Estado Islâmico foi cria sim dos yankees para tentarem derrubar o Presidente da Síria Bashar al-Assad, no fim não conseguiram até agora, armaram este grupo até os dentes e eles ficam provocando essas barbaridades contra os opositores do Islã, mesmo não tendo condições ainda de derrubar o governo da Síria!

  7. Line Postado em 26/Jun/2015 às 15:53

    Os EUA podem até ter criado, mas esses terroristas já ganharam vida própria há muito tempo e agora nem adianta mais ficar só culpando os EUA pelo terrorismo do EI. Percebi tbm que este site anda bastante crítico ultimamente aos terroristas do EI.