Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mídia desonesta 18/Apr/2015 às 15:00
42
Comentários

A arte de escrever para idiotas

A arte de escrever para idiotas está evoluindo ao longo do tempo e seus artistas passam da posição de retóricos de baixa categoria para príncipes dos meios de comunicação de massa

escrever mentira mídia desonesta idiota acredita

Marcia Tiburi e Rubens Casara, Cult

Em nossa cultura intelectual e jornalística surge uma nova forma retórica. Trata-se da arte de escrever para idiotas que, entre nós, tem feito muito sucesso. Pensávamos ter atingido o fundo do poço em termos de produção de idiotices para idiotas, mas proliferam subformas, subgêneros e subautores que sugerem a criação de um nova ciência.

Estamos fazendo piada, mas quando se trata de pensar na forma assumida atualmente pela “voz da razão” temos que parar de rir e começar a pensar.

Artigos ruins e reacionários fazem parte de jornais e revistas desde sempre, mas a arte de escrever para idiotas vem se especializando ao longo do tempo e seus artistas passam da posição de retóricos de baixa categoria para príncipes dos meios de comunicação de massa. Atualmente, idiotas de direita tem mais espaço do que idiotas de esquerda na grande mídia. Mas isso não afeta em nada a forma com que se pode escrever para idiotas.

Diga-se, antes de mais nada, que o termo idiota aqui empregado guarda algo de seu velho uso psiquiátrico. Etimologicamente, “idiota” tem relação com aquele que vive fechado em si mesmo. Na psiquiatria, a idiotia era uma patologia gravíssima e que, em termos sociais, podemos dizer que continua sendo.

Uma tipologia psicossocial entra em jogo na história, baseada em dois tipos ideais de idiotas: o idiota de raiz, dentre os quais se destaca a subcategoria do idiota representante do conhecimento paranoico, e o neo-idiota, com destaque para o “idiota” mercenário que lucra com a arte de escrever para idiotas.

Vejamos quem são:

1- Idiota de raiz é fruto de um determinismo: ele não pode deixar de ser idiota. Seja em razão da tradição em que está inserido ou de um déficit cognitivo, trata-se de um idiota autêntico.

O Idiota de raiz divide-se em três subtipos:

1. 1 – Ignorante orgulhoso: não se abre à experiência do conhecimento. Repete clichês introduzidos no cotidiano pelos meios de informação que ele conhece, a televisão e os jornais de grande circulação, em que a informação é controlada. Sua formação é “midiatizada”, mas ele não sabe disso e se orgulha do que lhe permitem conhecer. No limite, o ignorante orgulhoso diz “sou fascista”, sem conhecer a experiência do fascismo clássico da década de 30 e o significado atual da palavra, assim como é capaz de defender sem razoabilidade alguma ideias sobre as quais ele nada sabe. Um exemplo muito atual: apesar da violência não ter diminuído nos países que reduziram a maioridade penal, a ignorância da qual se orgulha o idiota, o faz defender essa medida como solução para os mais variados problemas sociais. Ele se aproxima do “burro mesmo” enquanto imita o representante do conhecimento paranoico, apresentados a seguir.

1.2 – “Burro mesmo”: não há muito o que dizer. Mesmo com informação por todos os lados, ele não consegue juntar os pontinhos. Por exemplo: o “burro mesmo” faz uma manifestação “democrática” para defender a volta da ditadura. Para bom entendedor, meia palavra…

1.3 – Representante do conhecimento paranoico: tendo estudado ou sendo autodidata, o representante do conhecimento paranoico pode ser, sob certo aspecto, genial. Freud comparava, em sua forma, a paranoia a uma espécie de sistema filosófico. O paranoico tem certezas, a falta de dúvida é o que o torna idiota. Se duvidasse, ele poderia ser um filósofo. O conhecimento paranoico cria monstros que ele mesmo acredita combater a partir de suas certezas. O comunismo, o feminismo, a política de cotas ou qualquer política que possa produzir um deslocamento de sentido e colocar em dúvida suas certezas, ocupa o lugar de monstro para alguns paranoicos midiaticamente importantes.

Curioso é que o representante do conhecimento paranoico pode parecer alguém inteligente, mas seu afeto paranoico o impede de experimentar outras formas de ver o mundo, abortando a potência de inteligência, que nele é, a todo momento, mortificada. Isso o aproxima do “ignorante orgulhoso” e do “burro mesmo”.

Em termos vulgares e compreensíveis por todos: ele é a brochada da inteligência.

2 – Neo-idiota: o neo-idiota poderia não ser um idiota, mas sua escolha, sua adesão à tendência dominante, o coloca nesse lugar. Não se pode esquecer que, além de cognitiva, a inteligência é uma categoria moral. O neo-idiota não é apenas um idiota, mas também um canalha em potencial.

Há dois subtipos de neo-idiota:

2.1 – O “idiota” mercenário quer ganhar dinheiro. Ele serve aos interesses dominantes, mas é um idiota como outro qualquer, porque não ganha tanto dinheiro assim quando vende a alma.

Nessa categoria, prevalece o mercenário sobre o idiota. Por isso, podemos falar de um idiota entre aspas. Ganha dinheiro falando idiotices para os idiotas que o lerão. Seu leitor padrão divide-se entre o “burro mesmo” e o “idiota cool”. Ele escreve aquilo que faz o “burro mesmo” pensar que é inteligente. O idiota cool, por sua vez, se sente legitimado pelo que lê. O que revela a responsabilidade do idiota mercenário no crescimento do pensamento autoritário na sociedade brasileira. Apresentar Homer Simpson ou qualquer outro exemplo de “burro mesmo” como modelo ideal de telespectador ou leitor é paradigmático nesse contexto.

2.2 – O “idiota cool” lê o que escreve o idiota mercenário. Repete suas ideias na esperança de ser aceito socialmente. De ter um destaque como sujeito de ideias (prontas). Ele gosta de exibir sua leitura do jornal ou do blog e usa as ideias do articulista (do representante do conhecimento paranoico ou do idiota mercenário) para tornar-se cool. Ele segue a tendência dominante. Ao contrário do “burro mesmo”, nele sobressai o esforço para estar na moda. Como, diferentemente dos seus ídolos, ele não escreve em jornais ou blogs famosos, ele transforma o Facebook e outras redes sociais no seu palco.

Diante disso, temos os textos produzidos a partir da altamente falaciosa arte de escrever para idiotas. O sucesso que alcançam tais textos se deve a um conjunto de regras básicas. Identificamos dez, mas a capacidade para escrever idiotices tem se revelado engenhosa e não deve ser menosprezada:

1- Tratar como idiota todo mundo que não concorda com as idiotices defendidas. O texto é construído a partir do narcisismo infantil do articulista. O autor sobressai no texto, em detrimento do argumento. Assim ele reafirma sua própria imagem desqualificando a diferença e a inteligência para vender-se como inteligente.

2- Não deixar jamais que seu leitor se sinta um idiota. Sustentar idiotices com as quais o leitor (o burro mesmo, o ignorante orgulhoso e o idiota cool) se identifique, o que faz com que o mesmo se sinta inteligente.

3- Abordar de forma sensacionalista qualquer tema. Qualquer assunto, seja socialmente relevante ou não, acaba sendo tratado de maneira espetacularizada.

4- Transformar temas desimportantes em instrumentos de ataque e desqualificação da diferença. Por exemplo, a “depilação feminina” já foi um assunto apresentado de modo enervante, excitante, demonizante e estigmatizante. Nesse caso, o preconceito de gênero escondeu a falta de assunto do articulista.

5- Distorcer fatos históricos adequando-os às hipóteses do escritor. Em uma espécie de perversão inquisitorial, o acontecimento acaba substituído pela versão distorcida que atende à intenção do autor do texto para idiotas.

6- Atacar alguém. Este é um dos aspectos mais importantes da arte de escrever para idiotas. A limitação argumentativa esconde-se em ataques pessoais. Cria-se um inimigo a ser combatido. O inimigo é o mais variado, mas sempre alguém que representa, na fantasia do escritor, o ideal contrário ao dos seus leitores (os idiotas: o burro mesmo, o ignorante orgulhoso e o idiota cool).

7- Reduzir tudo a uma visão maniqueísta. Toda complexidade desaparece nos textos escritos para idiotas. O mundo é apresentado como uma luta entre o bem e o mal, o certo e o errado, o comunismo e o capitalismo ou Deus e o Diabo.

8- Desconsiderar distinções conceituais. Nos textos escritos para idiotas, conservadores são apresentados como liberais, comunistas são confundidos com anarquistas, etc.

9- Investir em clichês e ideias fixas. Clichês são pensamentos prontos e de fácil acesso. Sem o esforço de reflexão crítica, os clichês dão a sensação imediata de inteligência. Da mesma maneira, o recurso às ideias fixas é uma estratégia para garantir a atenção do leitor idiota (o burro mesmo, o ignorante orgulhoso e o idiota cool) e reforçar as “certezas” em torno das hipóteses do escritor (nesse particular, Goebbels, o chefe da propaganda de Hitler, foi bem entendido).

10-Escrever mal. A pobreza vernacular e as limitações gramaticais são essências na arte de escrever para idiotas. O leitor idiota não pode ser surpreendido, pois pode se sentir ofendido com algo mais inteligente do que ele. Ele deve ser capaz de entender o texto ao ler algo que ele mesmo pensa ou que pode compreender. Deve ser adulado pela idiotice que já conhece ou que o escritor quer que ele conheça.
(Para além do que foi identificado acima, fica a questão para quem deseja escrever para idiotas: como atingir a pobreza essencial na forma e no conteúdo que concerne a essa arte?)

A arte de escrever para idiotas constitui parte importante da retórica atual do poder. Saber é poder, falar/escrever é poder, e o idiota que fala e é ouvido, que escreve e é lido, tem poder. O empobrecimento do debate público se deve a essas “cabeças de papelão”, fato que é identificado tanto por pensadores conservadores quanto por progressistas.

O grande desafio, portanto, maior do que o confronto reducionista entre direita e esquerda, desenvolvimentistas e ecologistas, governistas e oposicionistas, entre machistas e feministas, parece ser o que envolve os que pensam e os que não pensam. Sem pensamento não há diálogo possível, nem emancipação em nível algum.

Se não houver limites para a idiotice, ao contrário da esperança que levou a escrever esse texto, resta isolar-se e estocar alimentos.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Paulo Postado em 18/Apr/2015 às 15:56

    Não acredito nisso Rodrigo. Aqui, como qualquer outro meio de comunicação, tem sim seu viés, e também é um espaço democrático. Prova disso que você tem a oportunidade de se posicionar perante o texto. E com certeza será lido. Já li muita coisa boa nesse site. De pessoas engajadas com a informação e não com a desinformação com a nossa mídia popular.

    • Renan Postado em 22/Apr/2015 às 16:36

      Esse espaço é tão democrático que vários comentários meus não foram publicados Alice, digo, Paulo, todos com embasamentos de uma argumentação honesta que desmascarava mitos criados pela esquerda e propagados pelo PP. A democracia só funciona quando: 1) Os comentários são claramente de posições esquerdistas; 2) Os comentários vão numa linha contrária, desde que sejam mal escritos, que possam repetir um certo estereótipo de "coxinha" e que seja facilmente ridicularizado; Com alguma sorte você lerá o meu comentário, ou não.

  2. Ricardo Garcia Postado em 18/Apr/2015 às 16:22

    Excelente texto. Faltou apenas mencionar um ponto importante, que caberia bem nesse espaço, inclusive: " A arte de emitir comentários idiotas".

    • Olga Postado em 20/Apr/2015 às 17:42

      Os comentários idiotas, são escritos por idiotas que não entenderam muito bem o texto "A arte de escrever para idiotas". Porque? porque os idiotas não entendem o texto pois não foi escrito para idiotas embora fale de textos escritos para idiotas. Mas como idiotas gostam de ler o que não é escrito para os idiotas, eles não podem deixar de escrever comentários idiotas! Caberia o ponto "A arte de emitir comentários idiotas" mas geralmente os idiotas não tem consciência que são uno dos tipos arriba especificado como idiotas.

      • Ana Paula Postado em 20/Apr/2015 às 19:22

        Perfeito,Olga!

      • MIron Postado em 21/Apr/2015 às 06:36

        Muito bem observado, Olga... o idiota não quer sair de sua área de conforto... sua idiotice está arraigada e compromete várias gerações...

  3. ejedelmal Postado em 18/Apr/2015 às 19:16

    Notícia importante: Tio Rei foi colocado em coma profundo após várias tentativas de suicídio provocadas por uma crise de depressão profunda. O motivo parece ser o fato de os comentaristas de seu "blog" estarem dando page-views para outros blogs "petralhas". Aós o tratamento ele deverá ser colocado em repouso profundo na cidade onde não há gente diferenciada, Punta del Pênis.

  4. André Postado em 18/Apr/2015 às 19:51

    O problema não é a parcialidade, mas a incapacidade de debater o contraditório... Claro que há textos no PP que seguem a cartilha desta postagem, mas em geral, o PP apresenta muita matéria em que há espaço para o contraditório...

  5. Denisbaldo Postado em 18/Apr/2015 às 20:54

    "Eu aumento mas não invento" já é coisa do passado...

  6. Salomon Postado em 18/Apr/2015 às 21:16

    Muito estranho. Alguns, claramente na defensiva, atacam o blog por publicar um texto inteligente, filosófico e profundo. Será que pelo menos leram o texto? E se leram, entenderam? E se entenderam, a carapuça serviu? Estranho.

    • Emeli Postado em 19/Apr/2015 às 16:58

      Perfeito Salomon quem não tem capacidade de entender só pode se ofender... Ainda bem que contamos com o Pragmatismo para nos diferenciar desses boçais... Se ofendem, pois são filhos da plimplim, acostumados a receber informação enlatada pelo norte-américa, com mentes embotadas pela preguiça de pensar...

  7. Denisbaldo Postado em 18/Apr/2015 às 21:25

    "Chamar alguém de imbecil não é uma ofensa e sim um diagnóstico. Somente a educação pode curar." - Prof. Pierluigi Piazzi

    • luis Postado em 18/Apr/2015 às 21:35

      Imbecil, o texto fala de idiotas...

      • Denisbaldo Postado em 18/Apr/2015 às 21:44

        Voce tem cura! Aleluia senhor!

      • eu daqui Postado em 20/Apr/2015 às 09:56

        Mas vc não denisnada. Vc não merece ter cura da imbecilidade de ser chupador de lula.

    • luis Postado em 18/Apr/2015 às 22:22

      Essa é a cura? Milagres? Além de imbecil (que tem cura) é orelhudo ahuahauahauahau

      • Denisbaldo Postado em 18/Apr/2015 às 22:58

        Ofensas de uma "pessoa" como voce são elogios.

      • eu daqui Postado em 20/Apr/2015 às 09:57

        Nazipetista não serve nem pra ofender. Volta pra chupação de lula, denisnada.

  8. João Paulo Postado em 19/Apr/2015 às 01:14

    Texto idiota para idiotas que perderam tempo em ler ... Identifiquei as regras 1, 3, 4, 6 no texto.

    • Salomon Postado em 19/Apr/2015 às 10:32

      João Paulo, honremos a verdade: você não entendeu nada! Volta pro reduto, meu chapa.

      • João Paulo Postado em 19/Apr/2015 às 14:24

        Salomon, acho que você é um "cool". Não acredite em tudo que lê por aqui. Fascismo não tem relação com extrema direita (concepção clássica ou não), redução da maioridade penal não tem relação com redução da criminalidade, entre outros assuntos que são martelados insistentemente no PP. Concordo com a maioria das ideias do site, mas não com tudo. Não sou um papagaio. A única coisa que se salva no texto é a repetição do óbvio: o mundo não é direita x esquerda e bem x mal. O leitor-idiota não é só aquele que lê a "Veja". É aquele que adota como verdade absoluta qualquer coisa que venha a ler, inclusive (pasme) o que é escrito aqui.

      • Salomon Postado em 19/Apr/2015 às 15:08

        João Paulo, o texto quer apenas transmitir isso: que o leitor tem que adotar uma atitude crítica diante do que lê, vê e ouve. A interpretação lógica das informações, e seu processamento, importam submeter a versão dos fatos narrados à realidade empírica. Essa operação é complicada para idiota. Nesse sentido, andou bem o PP.

    • Salomon Postado em 19/Apr/2015 às 19:41

      Boa, Naro Solbo. É isso aí.

      • João Paulo Postado em 19/Apr/2015 às 20:43

        Salomon, estamos falando praticamente a mesma coisa! O Naro sintetizou bem nossa discordância: creio que o texto foi mais ofensivo que reflexivo.

  9. Carlos Alberto Postado em 19/Apr/2015 às 04:23

    De acordo com a placa, a verdade depende do ponto de vista do observador, este pode estar a frente ou atras dela (da placa). Se do ponto de vista ideológico, as "verdades" são relativas, qual o sentido da ideologia para a verdade factual ?

  10. Pedro Postado em 19/Apr/2015 às 06:14

    Acho que a biodiversidade de opinionistas é maior que isso. O idiota mercenário mais evidente seja talvez o nosso querido arnaldo jabor. Mas ha outros abacaxis com caroço que de idiotas não tem nada: são canalhas mesmo, usam cultura e inteligência privilegiadas para espalhar o mal.

  11. tiba056 Postado em 19/Apr/2015 às 07:59

    É incrivel mesmo,após lerem o texto as pessoas tem uma boa chance para refletir,mas a ignorância fala mais alto e elas preferem brigar.

  12. Fabio Postado em 19/Apr/2015 às 11:55

    Bom, pelo que vi nos comentários, tem alguns "idiotas" que vem aqui buscar alguma informação de vez em quando. Que bom. Quem sabe são aqueles que ainda tem chance de sair da idiotice.... Aquele que vem aqui reclamar de falta de imparcialidade do PP está entre o "ignorante orgulhoso" e o "burro mesmo". Vai ver que ele acredita que imparcial é a Folha ou a Veja. Os blogs de esquerda não são imparciais, mas não negam isso. Já a grande mídia, vive se dizendo imparcial....(?) Pedir imparcialidade para um blog de esquerda tá no "burro mesmo".

    • Emeli Postado em 19/Apr/2015 às 17:08

      Fábio entendo a tua determinação em defender o PP que nos dá noção dos fatos como realmente são, mas acho verdadeiramente perda de tempo tentar fazer entender um idiota de carteirinha... é puro otimismo... Não devemos mais perder tempo com esses, pois já estão estragados para a razão... Dá-lhes PP...

    • Giuseppe Postado em 20/Apr/2015 às 10:50

      Existe uma diferença entre parcialidade e propaganda. Acredito que muitas da críticas em relação ao a imparcialidade dos textos são de leitores que simplesmente percebem que a necessidade de levantar certas bandeiras , algumas vezes, se sobrepõe à de construir um bom debate. Coisa que a Veja faz, e perde credibilidade por isso. Resta saber se essa comunidade vai se tornar uma acalorada discussão política ou uma masturbação mental sobre crenças já estabelecidas.

  13. dosrocha Postado em 20/Apr/2015 às 09:44

    Concordo com quem citou que o texto do PP é agressivo. Porém, penso que só se sentirá agredido quem se encaixa no contexto colocado por ele ou quem não percebeu a intenção do autor, que é chamar a atenção para muita coisa mal escrita que há na mídia (seja ela de esquerda, direita, grande, pequena, reacionária etc etc etc). Parabéns pelo texto.

  14. eu daqui Postado em 20/Apr/2015 às 09:54

    kkkkkkkkkkkkk............vc saca o moderno petismo muito bem: ou concorda ou apanha........kkkkkkkkk e depois não querem ser odiados...kkkkkkkkk

    • Thiago Teixeira Postado em 20/Apr/2015 às 18:02

      Nossa mina, está com o coração peludo nesta semana? O que houve? kkkkkkk

      • poliana Postado em 20/Apr/2015 às 20:26

        só essa semana, thiago?????

        • Thiago Teixeira Postado em 21/Apr/2015 às 14:40

          Ela aparentemente não gosta de político nenhum, detesta vitimismo e mescla opiniões de Direita e Esquerda. Mas esses dias ... meu Deus!!! kkkkkkkkkkk baixou o caboclo do exu 7 facadas nela! kkkkk

  15. Luciano Postado em 20/Apr/2015 às 11:27

    Julgo interessante alguns aspectos do texto. Qualquer texto será assim, um ponto agradará; outros talvez não. Quanto ao blog, em momento algum eles se intitulam imparciais e não-tendenciosos. A única q se classifica como tal é a rede Globo. Eu, fulano de tal, rg tal tal rs, entendi q pessoas cheias de certezas sobre "tudo" merecem sim o selo de qualidade por idiotia. Como Olavete é considerado filósofo se ele apenas ataca pessoas q pensam diferente dele? Esse viés do texto foi interessante, quanto ao nome do site, isso é o de menos importante. Olha o nome de cada comentarista aqui, poderia ser indicativo de credibilidade? rs Acredito q o problema em se respeitar ideias divergentes consiste na construção de falsos pedestais q todos acham q têm. É o safado maquineísmo. Vc acaba carregando pacotes: Se sou de esquerda, me acusam de PTista, coitadista, vagabundo, comunista. e por aí vai.

  16. neto Postado em 20/Apr/2015 às 18:51

    Eu sou um idiota de todos os tipos descritos, depois reflito sozinho, será verdade? será que precisa ser verdade? será que entenderam a idiotice do texto? será? Isto me une ainda mais aos idiotas que escrevem no P.P. ( para escrever é preciso ASSERTO, não tem como se escrever sem AFIRMAR nada...por isto...qualquer texto sem análise é um texto idiota!)

  17. Fran Oliveira Postado em 20/Apr/2015 às 18:54

    Eu poderia que "desabafos" faz parte do período da TPM, acredito que não seja o caso, mas enfim, em falta de carro alegórico desfila-se no chão mesmo.

  18. Ana Paula Postado em 20/Apr/2015 às 19:20

    Burro mesmo!

  19. rodrigo Postado em 21/Apr/2015 às 11:53

    O texto está falando de gnt como danilo gentili e kin kataguiri. O orgulho burro. Ja fizeram duas marchas esse ano.

  20. Antonio Carlos Postado em 22/Apr/2015 às 02:19

    Muito bom o texto, ainda ñ havia entendido pq Paulo coelho fazia tanto sucesso. Rodrigo acredito q vc se enquadra no de raiz.

  21. Onda Vermelha Postado em 24/May/2015 às 12:03

    Muito bom! Texto inteligente e que faz pensar. Pena que alguns se recusem a exercer essa faculdade...