Mailson Ramos
Colunista
Compartilhar
Redes Sociais 03/Dec/2014 às 11:23
10
Comentários

O fator mídias sociais nas Eleições 2014

midias sociais politica eleicoes 2014

Mailson Ramos*

A imprensa sempre exerceu um papel muito importante na política brasileira. Papel este que esteve já relacionado à cobertura de escândalos, resultando na renúncia de um presidente da república. A imprensa brasileira cumpre com zelo o direito de dissecar uma informação até que ela adquira aspectos de verdade. Em 2014 não foi diferente. A influência dos órgãos de imprensa na campanha eleitoral representou a força daquilo que se chamava de ‘o quarto poder da república’.

Mas desta feita, a discussão ganhou outros espaços além da tradicional imprensa. As mídias sociais se transformaram em campo de guerra de debates inacabáveis – aqueles que por sinal perduram até os dias de hoje. A dissolução ou efemeridade do discurso virtual não foi denotada nesta circunstância. A troca de ideias políticas e, negativamente, o revanchismo ideológico encontraram um território fértil no período do pleito eleitoral. As informações nunca foram tão disseminadas, às vezes irresponsavelmente, mas elas nunca foram tão confrontadas com a verdade dos fatos como agora.

Não é possível afirmar aqui que o brasileiro adquiriu mais criticidade. A verdade é que o avanço das tecnologias proporciona o mais amplo acesso aos aparelhos, à internet e consequentemente às discussões originadas nestes meios. A melhoria está no sentido de que o sujeito, posicionando-se politicamente, exerce o seu direito de escolha. Exercendo o direito de escolha, interessando-se pela movimentação dos candidatos e das demandas do país, este mesmo sujeito poderá aprofundar seu conhecimento, o que é cada vez mais fácil com o auxílio da internet.

Leia aqui todos os textos de Mailson Ramos

Candidatos com pouco espaço na televisão e no rádio optaram claramente por divulgar seus programas nas mídias sociais. Com a possibilidade de firmar encontros mais interativos e menos mecanizados como a mensagem veiculada pelos meios tradicionais os candidatos foram ocupando os canais de comunicação, utilizando-se de ferramentas para gerenciar a comunicação em cada uma destas mídias. O fortalecimento destas medidas vão se intensificar nos próximos pleitos, especialmente quando o assunto é a militância.

As militâncias tiveram suas configurações alteradas. A conquista de espaços concretos, passeatas, panfletagem e corpo a corpo não são as únicas alternativas para conquistar votos.

A invasão de grupos ideológicos transformou as mídias sociais. A agenda destes espaços não se alterou durante o curso da campanha política. De repente a briga não é mais por votos, é por adesão a determinada ideologia. Se existe algum resquício de junho de 2013, aí está: a convergência das mídias sociais em torno duma temática política.

Por esta constatação é que se pode avaliar a importância do ciberespaço na vida do homem moderno. Tanto porque os meios de comunicação tradicionais como rádio, TV e jornal têm convergido para este sentido. É importante perceber como os blogs ganharam destaque na cobertura do processo eleitoral, a dispersão incontrolável de links de artigos e a força, por exemplo, das postagens no Facebook. Nem tudo que reluz é ouro, como também nem tudo o que se publica é digno de ser lido. Mas a participação dos eleitores neste processo já basta.

Louve-se tudo o que diz respeito à participação popular.

*Mailson Ramos é escritor, profissional de Relações Públicas e autor do blog Opinião e Contexto. Escreve semanalmente para Pragmatismo Político.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Jonas Schlesinger Postado em 03/Dec/2014 às 16:50

    Por falar nisso o PP se aproveitou bem da ferramenta que é a discussão ideológico. Vimos que muitos tiveram acaloradas discussões entre si. Mas também houve momentos de baixarias como quando o site postava matérias sobre o preconceito contra o Norte-Nordeste. Sabe que quem mora em SP tem ódio dos cangaceiros (como dizem) que vão para sua santa terra atrapalharem suas vidas. Por exemplo quando Melissa Gurgel ganhou o miss brasil foi durante a disputa do primeiro turno, daí vimos como os fdp dos paulistas reagiram quando viram sua candidata perder pra uma lampiã. Ainda dizem que eu fiquei de preconceito. Uma pinoia! Falei o que achei ser o justo no momento, pq nordestinos nunca devem ficar calados com insultos sulistas. Enfim... Outra coisa foi casos de racismo e vitimismo. Nem todo caso de racismo visto nas mídias foram racismo. Veja o caso do Sexo e as Nega da Globo. O povo fez tempestade em copo dágua em vez de simplesmente não assistir o seriado. Racismo de verdade foi o que aconteceu com o Aranha apesar dele ter despediçado um bom momento pra se promover deixou a mídia promover a garota. Mas cada um sabe o que faz. No caso das guerras no Oriente Médio foi também muito acalorado. A maior questão foi sobre a Faixa de Gaza e Israel. Ainda sou a favor de Israel ser uma potência bélica a melhor de toda a região, mas sou contra o embargo que eles fizeram na faixa e Cisjordania. Um dia verei todos ali unidos como um só povo. EUAxRússia foi outra pauta. Visão de direita:EUA, de esquerda:Rússia. Enquanto vcs se matam aí o Putin e o Obama apertam as mão pq eles não ligam para seus pitacos. A Dilma tbm não. Nenhum presidente deixa se levar por pitaco de redes sociais. Sobre Capitalismo e Socialismo. Teve briga feia e teve gente que bate na mesma tecla afirmando que o Brasil vai ser socialista. Nunca. O país é capitalista até um dia acharem um jeito de superar o capitalismo e assim passarmos por mais uma etapa. Como fizeram com o feudalismo. Então pra mim foi válida as discussões. Mas ainda tenho minhas visões e quero que respeitem. Ainda acho a África uma bosta de continente que nunca terei o mínimo prazer de viajar para lá. Ainda acho os paulistas todos preconceitos filhos da p. Ainda acho queIsrael tem o direito de defesa, ainda acho que há demonização da polícia, mas tbm acho que a mesma polícia deveria ser desmilitarizada, que a Dilma ter ganho foi o menos pior (primeiro turno na verdade votei nulo, no segundo me abstive e justifiquei), que no Natal é uma data de falsidade... enfim são minhas convicções, mas posso mudá-las quem sabe.

    • Rocken Postado em 03/Dec/2014 às 22:47

      me empenhei em ler tudo e entendi o seu ponto de vista sobre tudo, só acho que no caso de Israel você esta longe de saber o que realmente aconteceu lá, mas basta você ler a historia contada com clareza e com a cronologia certa e você vai entender tranquilamente, leia sobre império otomano, terroristas Judeus e também a expulsão dos palestinos de suas terras, eram 500 mil judeus contra 2 milhões de Palestinos residentes, você realmente acha que o estado deveria ser Judeu? que tal a terra onde esta sua casa virar o estado de alguma religião? você ia achar certo? procure também a divisão patética que a ONU propôs em que os irracionais islâmicos na aceitaram ficar com a parte menor, sem água, sem terra fértil e ainda dividida de forma maluca e descontinua

  2. Pereira Postado em 03/Dec/2014 às 17:12

    "Enquanto vcs se matam aí o Putin e o Obama apertam as mão pq eles não ligam para seus pitacos. A Dilma tbm não" O fato de eles não ligarem para o que eu falo, não me autoriza a ser ignorante e simplesmente negar a existência de atos nefastos dessa gente de esquerda citadas por você.

    • Rocken Postado em 03/Dec/2014 às 22:52

      chegou a Olavete numero 1, sobre politica eu já entendi tudo, mas me explica ai o geocentrismo e o charlatão Heinseberg com seu namorado Bohr tentando tornar o mundo todo de esquerda kkkkkkk

  3. jarau Postado em 03/Dec/2014 às 21:16

    Fora rede globo e elicao pelo povo para ministro do supremo.

  4. Jonas Schlesinger Postado em 04/Dec/2014 às 00:50

    Eu concordo contigo Pereira no que se diz a respeito dos esquerdistas encararem policial como bandido, é um absurdo! Preferem um marginal solto na rua do que a polícia. Isso mostra que já virou um círculo vicioso. É foda. No dia que a mãe de um deles for estuprada ou levar um balaço no assalto eles vão entender que a segurança pública foi reduzida a nada. Mas também discordo de muitos pontos de vista direitista. Por exemplo eu discordo que Brasil vá ser socialista ideia essa que quem é da direita acha que vai acontecer, mas n vai. O Putin e o Obama estão rindo a toa pq ganham seus altos salários enquanto vcs ficam se pegando nas redes sociais. Qualquer jumento sabe que a dilma ta nem aí pra militância, rede globo, democratização(cerceamento) da mídia etc,,, esse tempo já passou. Agora é continuar pegar o cachê e continuar sendo presidente. Olha três coisas foram ruins para o Brasil. 1 ser colonizado por portugueses 2 ter sido monarquia absolutista 3 ser governo. Preferia que o país tivesse sido colonizado pela Holanda e ter sido uma monarquia parlamentarista. Muito melhor...

  5. Jonas Schlesinger Postado em 04/Dec/2014 às 00:53

    Outra coisa Rocken. Eu sei da história de Israel, nem vou comentar isso aki pq cansei da mesmas coisas, mas como diz um amigo meu: quem pode deter Israel senão seu pai? Nem a Onu consegue impedir. Então morreu esse papo de Israel q n vai dar em nada.

  6. Pereira Postado em 04/Dec/2014 às 10:59

    "Por exemplo eu discordo que Brasil vá ser socialista". Eu também discordo que será socilaista, mas a tentativa da esquerda é formar uma unidade socialista na América latina(A "pátria grande"). Putin e Obama são amigos sem dúvida nenhuma, mas as vezes são concorrentes, pois são de correntes globalistas diferentes. Obama representa a elite ocidental(Grupo Bilderberg), enquanto Putin quer o plano eurasiano de Alexandre Dugin(seu guru). O Brasil é muito grande, não é como venezuela e uruguai. Tem uma população grande com 80 % de cristãos praticantes. Para o marxismo cultural corroer essa estrutura levará muito tempo, talvez nesse decorrer de tempo a venezuela já tenha se redemocratizado, o Uruguai já tenha aprendido o quão nefasto é liberar as drogas com uma FARC perto. É a velha utopia, que eles não largam de jeito nenhum. Os 3 inimigos dos globalistas : Cristianismo, Economia Americana e estado de Israel jamais serão destruídos, podem ser arranhados como estão sendo, mas destruídos é difícil. Por isso não acredito num Brasil socialista, mas que há a tentativa há.

  7. Pereira Postado em 04/Dec/2014 às 11:04

    Já ía esquecendo, a pátria grande já tem nome : URSLA(União das repúblicas socilistas da américa latina).

  8. Pereira Postado em 04/Dec/2014 às 11:05

    URSAL desculpa.