Redação Pragmatismo
Compartilhar
Internet 19/Aug/2014 às 14:51
28
Comentários

O WhatsApp se tornou uma ferramenta macabra?

Imagens de mortes trágicas, acidentes e vítimas de homicídios são divulgadas com uma velocidade absurda. O caso mais recente é o de Eduardo Campos – com a disseminação, inclusive, de muitas fotos falsas

compartilhar tragédia whatsapp imagens

Marcos Sacramento, DCM

Um hábito macabro se espalha na internet. Fotos de vítimas de acidentes e homicídios são compartilhadas por meio do aplicativo WhatsApp a uma velocidade espantosa. Ainda no dia do acidente que matou o candidato à presidência Eduardo Campos já havia supostas fotos das vítimas e de partes do corpo circulando através do aplicativo.

Dias atrás uma adolescente suicidou-se no bairro onde moro. Eu não a conhecia. Soube porque passei em frente ao prédio por volta das 18 horas e vi uma movimentação anormal da Polícia Militar. Às 20 horas a foto da jovem morta passava de smartphone em smartphone.

Em outra situação, uma amiga me pediu para deletar imagens que recebera pelo celular. Ela não teve estômago nem para apagá-las. Eram de uma moça violentada e assassinada pelo namorado. Os abutres do WhatsApp fizeram o trabalho completo: havia o vídeo do estupro, fotos da vítima no local da ocorrência e no velório.

VEJA TAMBÉM: Jovem que aparece com 5 rapazes em foto no WhatsApp diz que não foi estuprada

A divulgação de imagens de tragédias pela internet não é novidade. Nos anos 90, fotos como as do acidente da banda Mamonas Assassinas eram compartilhadas por disquetes ou e-mail. Porém, levavam meses ou até anos para chegar ao público.

Hoje elas aparecem em minutos. Bastam três toques e um motoqueiro que acabou de morrer no trânsito, por exemplo, vai para a rede. Há sempre alguém disposto a apontar o smartphone e tirar uma foto do corpo inerte sem respeito à vitima ou a seus familiares. A velocidade do WhatsApp atropela o espaço para ponderações.

Dias atrás a filha do ator Robin Willians recebeu supostas fotos do pai morto dois dias antes. Abalada pelo suicídio, Zelda Willians ficou ainda pior por causa das fotos e encerrou sua conta no Twitter. As fotos partiram de um ataque de “trolls” que pode ser considerado um caso isolado.

Mas é provável que aqui no Brasil alguma anônima tenha passado por dor semelhante à de Zelda ao receber a foto do familiar morto. Com mais de 50 mil vítimas de homicídio, 60 mil mortos no trânsito ao ano e um batalhão disposto a espalhar o horror pelo WhatsApp, isso deve ser até corriqueiro.

Recomendados para você

Comentários

  1. Jonas Schlesinger Postado em 19/Aug/2014 às 15:00

    Kkkk queria ter visto a cara dessa menina que não teve coragem nem de apagar as fotos. Se não aguenta então por que compartilhou as fotos hein? Ver gente morta já não é mais aberração alguma. Prefiro ver uma pessoa destroçada a ver o preço dos produtos que tem no supermercado que é muito mais assustador.

    • juliana Postado em 19/Aug/2014 às 16:24

      Quando for a foto de um parente seu destroçado vou querer ver se você vai achar legal

    • André Postado em 19/Aug/2014 às 16:55

      Certamente não é o preço dos alimentos, que já registraram deflação por dois meses seguidos.

    • Luiz Antonio Postado em 19/Aug/2014 às 17:10

      "Em outra situação, uma amiga me pediu para deletar imagens que recebera pelo celular. Ela não teve estômago nem para apagá-las" Eele recebeu, e não compartilhou, entendeu?

    • poliana Postado em 19/Aug/2014 às 20:07

      até o dia q for um familiar seu..é q no dos outros é refresco não é jonas?

      • Jonas Schlesinger Postado em 19/Aug/2014 às 22:05

        Quer dizer que o perito forense tem que ser cheio de frescura? Infelizmente é uma realidade, tá banal ver foto de pessoas mortas. Não sei pra que esse alarde. Troca esse fusível filha, pois ele já tá queimado.

      • poliana Postado em 19/Aug/2014 às 23:17

        e vc precisa rever seus posicionamentos, ou pelo menos aprender a respeitar a dor e o luto alheio...dizer q é algo absolutamente normal ver fotos de pessoas mortas no whatsapp e criticar quem acha isso um absurdo, mostra no mínimo um descaso para com o próximo, ou no mínimo para com a vítima e seus familiares. me referi a isso! pode ser normal pra vc olhar fotos de gente morta no zap, agora pense por um min se essa "gente morta" fosse um ente querido seu???!! isso torna o fato tranquilo ou normal? me referi a isso. foi o q vc falou no seu 1º post. n me referi em momento algum ao perito forense e n sei mais o q.n tenho q trocar nada não! mais uma vez, quem fala o q quer, ouve o q não quer. se quer emitir sua opinião no site do pp, tem q aprender a ouvir a dos outros tb.

      • Jonas Schlesinger Postado em 20/Aug/2014 às 00:11

        Dos outros vírgula, da OUTRA. Pq desde há muito tempo vc fica com essa perseguição pra cima de mim. Mas enfim morreu o assunto.

      • Jonas Schlesinger Postado em 20/Aug/2014 às 14:04

        poliana pense de mim como quiser é problema seu. Só que você é uma pessoa que julga as outras sem as conhecer. E para os demais quando foi que eu disse que VEJO fotos de gente morta? Só digo que é comum porque a violência tá muito banal além dela os meios de comunicação principalmente na Internet onde vc digita qualquer coisa e vê. É a força da banalização dessas coisas que me referi ou ninguém que aqui acessa nunca viu? E sim achei cômico quando ele falou da garota, que levou um susto com as fotos e tal. Será que eu não posso ter opinião própria ou vou ter que agradar aos outros?

    • joao Postado em 20/Aug/2014 às 00:43

      Vai se tratar.

      • poliana Postado em 20/Aug/2014 às 13:31

        Jonas, eu estou te perseguindo? Filho, vê se cresce, isso aki é um espaço publico. E se vc acha q sou eu q lhe persigo e q seu comentario n teve nada dmais, leia os comentários abaixo e vc verá a repercussão da sua visão tão infantil e insensível. Agora se vc me disser q é um adolescente, q é o q estou achando,,aí tudo bem, te entenderei.

  2. Jonas Schlesinger Postado em 19/Aug/2014 às 15:03

    Repetindo: se ela não aguentou nem apagar as fotos então por que compartilhou? Kkkk queria eu ter visto a cara dessa menina kk e sim atualmente é comum ver foto de morto. Pra mim ver morto é algo banal, agora o que me assusta mesmo é ir ao supermercado e ver os preços autíssimos. Aí sim é uma cena perturbadora.

    • Júlia Postado em 19/Aug/2014 às 15:54

      O texto diz que ela recebeu as fotos e vídeo e nada sobre se ela compartilhou antes de pedir para o amigo apagá-las. Da onde você tirou essa informação? Todo o seu comentário reflete muita frieza e crueldade.

      • Jonas Schlesinger Postado em 19/Aug/2014 às 16:16

        Se for pra replicar faça direito. Não diga asneiras. Então quer dizer que um perito forense é cruel e frio porque veem imagens de cadáveres todos os dias? Eles comem suas marmitas enquanto sentem o cheiro pútrido dos corpos. Aff quanto espetáculo pra nada. Vai, volta lá pro teu face.

    • Rafael Postado em 19/Aug/2014 às 16:21

      Jonas. Por que você não vai enriquecer a caixa de comentários do UOL com esse seu comentário tosco?

    • Eva Postado em 19/Aug/2014 às 16:26

      Amigo, reli o texto só para achar a parte que diz que ela compartilhou as fotos antes de pedir para alguém apagá-las. Não achei. Além de termos lido textos diferentes, nossos whatsapps devem ser diferentes também. Pois recebo vários conteúdos que não gostaria, recheados de comentários infames, maldosos ou de humor degradante. Embora tente sempre selecionar meus contatos, a importância dada atualmente para as redes sociais e de socialização virtual é maior do que minhas preferências particulares e maior que a capacidade de assimilação e bom senso da maioria das pessoas. Creio que seja disto que se trate o texto.

    • Carlos Santos Postado em 19/Aug/2014 às 20:17

      Quanta insensibilidade de sua parte. E ainda tem a cara de pau de achar que "porque ver morto para você é algo banal", todos devem achar normal. Como se o seu gosto doentio fosse parâmetro para o planeta inteiro. Ainda é cínico, pois sabe que a matéria refere-se a situações específicas: mortes violentas, criminosas e sua banalização. Para mim, gente do seu tipo, não passa de um monte de verme.Você é câncer. Uma praga. Representante do que há de pior na espécie humana.

  3. Jonas Schlesinger Postado em 19/Aug/2014 às 15:05

    *Altíssimos.

  4. Júlia Postado em 19/Aug/2014 às 16:15

    "Há sempre alguém disposto a apontar o smartphone e tirar uma foto do corpo inerte sem respeito à vitima ou a seus familiares. A velocidade do WhatsApp atropela o espaço para ponderações". É o que eu penso sobre o assunto. E se fosse um parente, será que a pessoa ainda faria isso? Pelo menos, não seria tão hipócrita. Digo por mim que, caso um parente morresse, queria ter a escolha de ver ou não uma foto dele morto, e não que a imagem simplesmente aparecesse em meu celular e ver sem poder ter escolhido por isso (apesar de ser quase certo que eu não veria mesmo). A tecnologia nos traz muitas vantagens, porém aumenta também os meios pelo qual se pode fazer maldades, como o envio de fotos e vídeos sensuais de meninas sem a permissão das mesmas, entre outros. A divulgação de quaisquer fotos impróprias, é elevada a um outro nível de insensibilidade e maldade com a divulgação de fotos de pessoas mortas.

  5. Anna Postado em 19/Aug/2014 às 16:18

    Ontem mesmo aconteceu algo parecido na região do Vale do Paraíba. Fotos e vídeos de um prefeito assassinado correu solta pelo WhatsApp e pelo Facebook. É revoltante pensar que convivemos com pessoas que sentem prazer em ver e compartilhar esse tipo de coisa. É algo que não tolero. Banalizam o crime em vez de tomarem consciência dos problemas sociais.

  6. André CDE Postado em 19/Aug/2014 às 16:28

    Não é o "zap zap" que é uma ferramenta macabra, e sim as pessoas que usam-no pra esse tipo de divulgação.

  7. Yolanda Postado em 19/Aug/2014 às 16:49

    O problema não são as fotos de mortos, de crueldade ou informações falsas, porque de uma forma outra, se tiverem importância, serão apresentadas nos jornais. O que o texto revela, é a falta de compaixão das pessoas, o desrespeito. As ferramentos de comunicação estão nos cegando. Digo a nós, pq não posso ser hipócrita e dizer q não faço uso, e que por vezes, compartilho sim o que acho pertinente. O fato é que vivenciamos um momento de total acesso a comunicação e facilidade de afetar o próximo sem necessidade de nos identificarmos. Isso sim é perigoso, pois abre espaço para cada um ser o que quiser e mostrar o seu pior, sem ética, de modo ofensivo, e nenhum discernimento.

  8. Bruno Postado em 19/Aug/2014 às 17:14

    Se for pra replicar faça direito. Não diga asneiras. Então quer dizer que um perito forense é cruel e frio porque veem imagens de cadáveres todos os dias? Eles comem suas marmitas enquanto sentem o cheiro pútrido dos corpos. Aff quanto espetáculo pra nada. Vai, volta lá pro teu face. Tinha sentido cheiro de merda, descobri de onde veio.

  9. André Postado em 19/Aug/2014 às 21:17

    O "zap zap" não é macabro. Macabro é quem usa-no para fazer este tipo de divulgação.

    • Samuel Postado em 20/Aug/2014 às 08:15

      Realmente, macabro são aqueles que o usam de maneira macabra.. Isso acontece com todos os app's e também com a internet.. Um exemplo é o app Secret que era bom até chegar no Brasil onde se desvirtuou e começou a ser usado de maneira errada, tanto é que foi alvo de processos e deve sair do ar.

    • Samuel Postado em 20/Aug/2014 às 08:15

      Realmente, macabro são aqueles que o usam de maneira macabra.. Isso acontece com todos os app's e também com a internet.. Um exemplo é o app Secret que era bom até chegar no Brasil onde se desvirtuou e começou a ser usado de maneira errada, tanto é que foi alvo de processos e deve sair do ar.

  10. Leandro Postado em 20/Aug/2014 às 08:41

    Jonas é o típico rapaz que, como ele mesmo diz, "banalizou" o comportamento de ver pessoas mortas. Sente-se orgulhoso ao dizer que não é mais sensível às imagens de cadáveres, corpos destroçados ou sofrimento alheio, mas sim ao aumento de preços de mercadorias no supermercado. Faz leituras superficiais dos textos, o que fica claro quando passa informações que não estão contidas no mesmo (por exemplo, diz que a moça compartilhou as fotos que recebeu) e expressa gargalhadas em relação aos próprios comentários. Que fossa, hein, meu chapa. Tenta justificar a estranha curiosidade alheia e, possivelmente, o próprio "sadismo" em ver imagens de pessoas mortas, fazendo comparações com profissionais treinados e especializados em lidar com cadáveres. Usa expressões em clara tentativa de chocar os leitores ("comem suas marmitas enquanto sentem o cheiro pútrido dos corpos") e para chamar atenção à sua "aparente" insensibilidade e, consequentemente, para si. Jonas, você está muito carente, meu rapaz? Acha que realmente vai conseguir impressionar aquela garota, sua esposa ou conseguir respeito dos seus amigos e familiares com esse discursinho revoltado? Bom, nunca se sabe né...

  11. Mauricio Ruiz Postado em 20/Aug/2014 às 16:18

    A tecnologia está trazendo vantagens e desvantagens. Saber utilizar com sabedoria é a chave.Muitas imagens vão circular pelo What´s como homicídios, estupros, pedofilia entre outras atrocidades e somando-se a curiosidade do ser humano,torna-se uma ferramenta extremamente eficaz pra este fim. Não consigo entender ainda como o Mundo investe tanto em tecnologia e ainda a pessoas morrendo de fome.Devo ser muito burro.