Redação Pragmatismo
Compartilhar
Copa do Mundo 01/Jul/2014 às 18:57
6
Comentários

Tostão defende o choro da seleção

Tostão: "O choro é que salva a seleção". Ídolo da Copa de 70 se diz contra a onda de comentários de que o problema da Seleção é emocional

choro seleção chile neymar copa 2014
“O que salva a seleção é o envolvimento emocional dos jogadores, empurrados pela torcida e pela pressão de jogar em casa”

O ex-jogador Tostão, ídolo da Copa de 70, se posiciona contra críticas ao emocional da Seleção brasileira, “como se o choro fosse incompatível com a razão e a lucidez”.

“O que salva a seleção é o envolvimento emocional dos jogadores, empurrados pela torcida e pela pressão de jogar em casa. Evidentemente, em algum momento, acontece uma exagerada reação emocional. É inevitável. Aí, tem de entrar Felipão, com a ajuda da psicóloga”, diz.

Quanto as chances do Brasil diante da Colômbia, diz que James Rodríguez tem brilhado em lances isolados, e que o volante Cuadrado é o que mais preocupa. A íntegra do artigo de Tostão pode ser lida aqui.

Comentários

  1. Caio Postado em 01/Jul/2014 às 22:55

    Quadrado não atua bem como um volante. Vejo os seus posicionamentos e atitudes como as de um meia ala, variando muitas vezes para um meia lateral e ponta, ou até mesmo um segundo atacante.

  2. Frederico Postado em 02/Jul/2014 às 11:31

    Eu vejo isso mais como um processo de amadurecimento e não propriamente um desequilíbrio emocional. Desequilíbrio emocional quem tem é o Luizito, do Uruguai, que adora dar uma de Pac-Man rs. Muitos ali naquele time estão disputando sua primeira copa do Mundo e estão sentindo na pele a força da palavra ''pressão''. Acredito que muitos deles, por mais que joguem em times de grande expressão Europeus e sintam o que é o calor das cobranças, sequer imaginavam como uma Copa do Mundo exige esforço e força psicológica p/ se seguir adiante. Até mesmo o Júlio César, que já é calejado nisso, precisou desabafar. Mas ele até vá lá, porque ser goleiro em uma decisão por penaltis não é tarefa das mais fáceis. Acredito que um trabalho psicológico PESADO talvez amenize um pouco os problemas, até porque o Felipão já providenciou isso. Mas se mesmo assim isso não adiantar creio que, em caso de o Brasil ser eliminado, a culpa então deve ser dividida entre todos, sem exceção, desde o Técnico, que sabia da instabilidade emocional de seus jogadores, até os próprios.

    • Aldemir Postado em 02/Jul/2014 às 11:51

      Excelente comentário o seu, Frederico. Nada mais a acrescentar.

  3. Thiago Teixeira Postado em 02/Jul/2014 às 12:38

    Grande Tostão, pena que a Globo enterrou todos os craques da nossa história e só vangloriam os atletas com contratos Globais.

  4. Luiz Otávio Rosário Postado em 02/Jul/2014 às 20:10

    Que bom que nossos jogadores expressem algum tipo de emoção quando ouvem o hino nacional, que chorem quando as coisas se agigantam para o bom ou para o mau. Não somos alemães, frios - em ora isso seja de sua cultura. Somos brasileiros emotivos e emocionais em geral. Então temos gente vestindo a amarelo há. Sofrem, sentem, riem, alegram-se. Bom, isto é muito bom.

  5. rodrigo Postado em 03/Jul/2014 às 06:55

    Luiz Otávio "Não somos alemães frios", mas para o que importa, quem é o povo mais lutador, patriota? Vamos convenhar ali está tendo muito choro e pouco futebol! Um jogo que o melhor é Hulk, que Neymar só come grama é preocupante.