Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 01/Jul/2014 às 18:15
12
Comentários

A cartilha sobre diversidade sexual no Japão

Na tentativa de combater o preconceito, crianças e adolescentes recebem cartilha sobre diversidade sexual no Japão. 70% dos estudantes japoneses já sofreram bullying e 30% pensaram em cometer suicídio, diz pesquisa

cartilha diversidade sexual japão
De maneira descontraída, escola ensina diversidade sexual a alunos japoneses (Reprodução)

Um cartaz com diversas possibilidades de orientação sexual foi o jeito encontrado por uma escola japonesa da cidade de Saitama (na região metropolitana de Tóquio) para falar sobre sexualidade a adolescentes. A medida foi adotada em um momento em que o Japão vive um grande aumento de casos envolvendo bullying contra estudantes LGBTs.

Veja também: Alemanha explica a homossexualidade para crianças

De acordo com uma pesquisa realizada pelo grupo Inochi Risupekuto Howaito Ribon Kyanpen (Campanha do Laço Branco pelo Respeito à Vida, em tradução livre), com sede na capital do país, e divulgada pelo Japan Times em maio, 70% dos estudantes homossexuais japoneses já sofreram algum tipo de bullying e 30% já pensaram em cometer suicídio. Além disso, 11% disseram ter sofrido abuso sexual.

O cartaz da escola secundária da Prefeitura de Saitama, intitulado “de quem você vai gostar”, apresenta diversos tipos de relações afetivas: heterossexuais, homossexuais, bissexuais e inclusive os assexuados. O material visual é parte de uma série de informações sobre saúde e explica ainda que as orientações são inatas à pessoa e não podem ser modificadas por pressões externas.

A adolescência é quando geralmente é realizada a descoberta da orientação sexual e, para isso, deve-se levar “tanto tempo quanto for necessário”, aconselha o material.

O texto introdutório do cartaz diz que, “quando os jovens chegam à puberdade, eles muitas vezes gostam de outras pessoas e isso é chamado atração sexual. Dependendo de quem a pessoa goste, esta é sua orientação sexual. A maioria é heterossexual, mas as pessoas que são homossexuais e bissexuais não formam um grupo pequeno. A orientação sexual é inata e não pode ser modificada por intervenção, por isso não é preciso mudar suas preferências”.

Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Pereira Postado em 02/Jul/2014 às 08:51

    Nessa cartilha pelo menos as animações não estavam fazendo sexo como na versão tupiniquim. Já é um avanço.

    • Marcelo Idiarte Postado em 02/Jul/2014 às 09:50

      Qual o problema de animações fazendo sexo? Isso ofende a sua "moral"? Avanço seria você sair do século XIX e perceber que orientação e educação não são necessariamente estímulos à prática de alguma coisa. Até porque se fosse assim adolescentes teriam que pular as guerras nas aulas de História, por exemplo.

      • Pereira Postado em 02/Jul/2014 às 13:32

        "Qual o problema de animações fazendo sexo?". Nenhum, desde que as rídiculas cartilhas do PT de promoção ao homossexualismo não seja dirigidas à crianças de 6 anos de idade. Século XIX ? acho que foi Lênin que promoveu a liberação sexual no início do século XX, a mesma liberdade destrúida por Stalin que matou e prendeu todos os homossexuais que conseguiu. Como vê, o comunismo atual apoia homossexualismo(como já fez outrora) e se porventura achar que os homossexuais vão contra a causa, mortos os gays seram novamente.

  2. Pereira Postado em 02/Jul/2014 às 13:39

    eu sair do século XIX ? Tem gente como a Marilena chaui que está em 1800 e lavai pedrada e é ovacioanda pela esquerda. Para essa ilustre jumenta existe apenas 2 classes a burguesia e o proletariado. E eu é que preciso sair so século XIX ?

    • Marcelo Idiarte Postado em 02/Jul/2014 às 18:56

      Sabe o que eu ainda tenho esperança de ver, "Pereira"? Uma pessoa com rosto e nome completo dando opiniões como essas suas. Mas por razões que talvez a psicanálise explique, sempre que encontro esse tipo de veemência ela está escondida atrás do anonimato da web. Corajosos sem rosto, sem nome e sem endereço tem aos borbotões por aí. Para algumas pessoas deve ser bacana poder dizer o que se quer sem precisar assumir as consequências do que se diz. Mas para mim isso é coisa de covarde. É até uma pena que o teu comentário original, aquele que mencionava "gayzista", tenha sido alterado. Mas esperar hombridade de um bit invisível seria demais, não? Quando você crescer, procure-me.

  3. Pereira Postado em 02/Jul/2014 às 13:47

    A seção verde ali ta dizendo que suruba é legal ? foi isso que eu entendi ?

    • Felipe Postado em 03/Jul/2014 às 07:47

      Provavelmente bissexualidade. :-)

    • Thiago Postado em 03/Jul/2014 às 11:22

      Não, vc entendeu tudo errado.

  4. Laila Postado em 02/Jul/2014 às 20:16

    Parabéns a essa escola, está fazendo o que deve ser feito para proteger as crianças e adolescentes de bullying e violência. Quem é contra tais atitudes deve gostar de ver crianças sendo violentadas física e psicologicamente, tudo em nome dessa moralidade medieval que esses religiosos e conservadores defendem.

    • Eduardo Postado em 02/Jul/2014 às 23:10

      Olá Laila ! Tudo bem ?? Então ... A raíz destes projetos educacionais NÃO TEM como verdadeiro interesse o bem-estar dos estudantes LGBT's que - supostamente - estão sofrendo bullying (tenho minhas duvidas quanto as estatísticas levantadas). O verdadeiro interesse é ideológico. Provavelmente até mesmo os administradores deste projeto estejam sendo ludibriados. Procure sobre "Marxismo Cultural" e você vai entender exatamente o que está por trás disto tudo. O assunto é vasto,complexo e exige um pouco de atenção. Forte abraço !

  5. Franco Postado em 02/Jul/2014 às 22:10

    No Japão existe pena de morte para trafico de drogas, vamos apoiar também?

    • Felipe Postado em 03/Jul/2014 às 12:40

      Achei boa a sua alfinetada, achei curioso ninguém vir debater contigo ainda. Ainda bem que não veio nenhum otaku até agora defender "superioridade moral do império japonês", hahahahahahaha