Redação Pragmatismo
Compartilhar
Rio de Janeiro 10/Feb/2014 às 15:32
11
Comentários

Morre Santiago Andrade, cinegrafista da Band atingido por rojão

Cinegrafista da Band tem morte cerebral. Santiago Andrade foi atingido por um rojão na última quinta-feira. Advogado de preso diz saber quem acendeu artefato

O cinegrafista da TV Band, Santiago Ilídio Andrade, de 49 anos, teve morte cerebral diagnosticada nesta segunda-feira, segundo a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. Ele estava internado desde a última quinta, quando foi atingido por um rojão em protesto contra o aumento das tarifas de ônibus na cidade.

Andrade estava em coma no CTI do Hospital Souza Aguiar, no Centro. Ele havia sofrido afundamento do crânio e permanecia internado em estado grave desde então.

cinegrafista band santiago andrade rojão
Momento em que Santiago Andrade, cinegrafista da Band, é atingido por rojão (Foto: Domingos Peixoto / AFP)

Neste sábado, o rapaz que apareceu em imagens da TV passando o rojão para um terceiro se entregou à polícia.

O tatuador Fábio Raposo, de 22 anos, disse desconhecer a identidade da pessoa responsável por acender o artefato, mas afirmou que cooperaria com a polícia na identificação.

Ele permanece detido no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, com prisão preventiva decretada por 30 dias. Hoje, seu advogado afirmou que já tem a identidade do outro envolvido, mas não revelou o nome.

Cinegrafista há mais de 20 anos, Santiago trabalhava na Band havia 10. Ele deixa uma filha e três enteados.

A ocorrência na última quinta motivou notas de repúdio e pedidos de investigação por parte de sindicatos de jornalistas e associações ligadas à imprensa.

Exame

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 10/Feb/2014 às 16:15

    É impressionante a "fofura" que a mídia vem tratando os vagabundos, baderneiros, ativistas desocupados que participaram desse ato sem fundamento, nitidamente atrelado para gerar ibope a mídia e produzir material para a campanha política no meio do ano. E se o rojão tivesse saído de um policial? Meu Deus do céu ...

    • ademar Postado em 10/Feb/2014 às 16:24

      Thiago, policiais não utilizam rojões, não faz parte de sua indumentária de trabalho, se fosse um policial que tivesse disparado o artefato, seria crime da mesma forma, assassinato, por isso os responsáveis devem ser procurados e enquadrados desta forma: assassinato, a repercussão é normal, toda morte violenta e tratada pela mídia com exibição exaustiva.

  2. renato Postado em 10/Feb/2014 às 17:34

    Estou de luto, em respeito a familia de Santiago Andrade.

  3. Franklin Weise Postado em 10/Feb/2014 às 17:41

    Foi um assassinato. Simples assim. Culposo, sem intenção (creio eu), mas mesmo assim, assassinato. A lei é muito clara para punir os responsáveis. E se um policial causar uma morte ou mutilação de forma parecida, precisa ser punido de forma igualmente dura. O que não podemos fazer é defender apenas um dos lados e justificar seus atos violentos. Infelizmente, o Brasil anda tão exaltado e louco que qualquer ato é justificável para defender seus interesses.

    • Thiago Teixeira Postado em 10/Feb/2014 às 18:51

      Sem intensão??????????? Um safado desocupado da massa cheirosa sai de casa com uma mochila com um rojão altamente explosivo nas costas e não teve a intensão de matar? Quer defender seus ativistas, faça, mas por favor, não vamos ser tão cegos ao ponto de passar a mão na cabeça deles. É como eu digo, se fosse um policial, um evangélico, um árabe, um cubano ou um petista, a imprensa trataria diferente como pelo visto já sensibilizaram a sua mente. "Foi uma fatalidade, que pena ...".

    • Rodrigo Postado em 10/Feb/2014 às 21:27

      Franklin, culposo é o crime quando o agente se porta com negligência, imprudência ou imperícia. Doloso é o crime intencional. quando há vontade livre e consciente dirigida para a obtenção de um resultado específico. Já quando o agente porta-se de forma a assumir o risco de configuração de um resultado, previsível que é (o bêbado, que atropela e mata; quem dispara arma de fogo em vida pública; quem dispara rojão em uma manifestação), estaremos frente ao dolo eventual (o agente pouco se importa com o resultado de sua conduta). Então, ao menos em tese, haveria, no mínimo, dolo eventual por parte de quem disparou o artefato em meio à manifestação.

  4. joaquim Postado em 10/Feb/2014 às 18:38

    Assassinato exatamente como o do menino que foi morto pelo artefato da torcida do Corinthians.

  5. Pereira Postado em 11/Feb/2014 às 09:03

    Cara ..isso aqui não é jornalismo ...é esqeurdopatia . Eles são camaradas bolchevistas ateus vermelhos....

    • bruno Postado em 11/Feb/2014 às 11:51

      A midia burguesa também não é jornalismo é direitopatia.E eu não vi a mídia fazer o mesmo alarde quando um manifestante foi baleado por 5 pms.Se somos bolchevistas vcs são nazistas da turma de Hitler

  6. bruno Postado em 11/Feb/2014 às 11:48

    Inocente uma virgula,muito provavelmente ia filmar algum video tendensioso pra tentar condenar as manifestações.Não caiam nessa.tudo não passa de manobra da midia burguesa golpista.E vai lá saber se o cara não foi pago pela policia ou por alguem interessado em condenar as manifestações.

    • Thiago Teixeira Postado em 12/Feb/2014 às 19:22

      Discordo. Jamais a polícia faria isso. No meu ponto de vista quem recrutou e recruta os black blocs são os próprios partidos de oposição ao governo federal com colaboração da mídia golpista. Manifestações aumentam a audiência do PiG e produz material eleitoral aos políticos que querem retomar o poder.