Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 13/Nov/2013 às 11:25
11
Comentários

Torcida faz mosaico contra a homofobia

Torcida organizada deixa claro que não aceita a intolerância em campo e faz rara demonstração contra a homofobia em solidariedade a jogador

torcida organizada contra homofobia
Torcida organizada faz manifestação contra a homofobia (captura de tela / youtube)

Futebol e diversidade não precisam se manter distantes, e a paixão pelo esporte bretão pode ser canalizada para tornar o mundo mais tolerante.

Numa partida entre o San Jose Earthquakes e o Portland Timbers, o jogador Alan Gordon (do San Jose) lançou um “fucking faggot” (“viado de merda”) para o capitão do time adversário, Will Johnson. O incidente causou polêmica na cobertura esportiva dos EUA naquele fim de semana, os comentaristas caíram em cima, e Gordon teve que ir a público pedir desculpas: “Eu sinceramente peço perdão pelo que disse durante o jogo essa noite. Apesar de ter dito aquilo no calor do momento, esse tipo de linguagem não tem lugar no nosso jogo. Não é do meu feitio, e não há o que justifique dizer o que eu disse. Eu cometi um erro e aceito toda a responsabilidade por minhas ações.”

Vídeo:

Muito bonito, mas não impediu que Gordon levasse uma suspensão de três jogos pelo que fez em campo. Em tempo, Johnson fez o gol da vitória nessa partida batendo um pênalti.

(Vamos fazer uma pausa só por um instante e ver como um regulamento bem feito pode mudar a atitude de toda uma população. Jogadores que xingam o outro de viado em campo são suspensos nos campeonatos por lá. Isso muda a mentalidade de todos que acompanham o esporte, que recebem a mensagem contra o preconceito e não consideram mais esse tipo de atitude aceitável)

Leia também

Algumas semanas depois, no domingo antes do Dia Internacional contra a Homofobia, a torcida organizada do Portland Timbers, The Timbers Army, deixou claro que também não aceita a homofobia em campo. Logo antes da partida, os torcedores ergueram panos coloridos formando um enorme arco-íris coletivo atravessando a arquibancada. Também exibiram faixas em que diziam “Pride, not prejudice” (“Orgulho sim, preconceito não”, em tradução livre) e “Football fans against homophobia” (“Torcedores de futebol contra a homofobia”).

Há quem diga que o futebol é um “jogo viril, varonil, não homossexual” e que é melhor que um jogador gay abandone a carreira ou monte uma federação própria (Junqueira Filho). Mas não é assim, como dá pra ver.

Marcio Caparica, LadoB / edição: Pragmatismo Politico

Recomendados para você

Comentários

  1. Tadeu Postado em 13/Nov/2013 às 11:37

    Mas é claro que isso jamais teria acontecido no Brasil

  2. pedro Postado em 13/Nov/2013 às 14:54

    Pois é. O melhor time do Brasil hoje, o Atlético Mineiro, que conquistou a Libertadores da América, o fez tendo em sua escalação durante vários jogos o jogador Richarlysson, que como todos sabem é gay. A torcida o respeitou, ele teve apoio de todos os colegas de time, muitos dos quais evangélicos. Assim se fez um time campeão! Com respeito de todos

    • Thiago Teixeira Postado em 13/Nov/2013 às 20:18

      Cara, o que tem de jogador e profissionais ligado os Futebol Gays, não está escrito. Meu pai foi preparador físico, atuou até no Uberlândia ai de Minas, cada história, meu amigo ...

    • Paulo Cesar Postado em 13/Nov/2013 às 21:50

      Pedro, quem tem disse que o Richarlyson é gay? Suas evidências se dão pelo julgamento (preconceito). Só porque é meio afeminado. Não é porque ele é afeminado é porque gosta de homem. O cara só está com mulheres nas baladas de SP e Minas. Gay é o Ronaldo, por exemplo, que apesar de pagar de machão, foi pego, realmente, com travestis. Mas isso ninguém mais fala. Olha a questão de gênero Pedro. Não o julgue pelas aparências, deixe-o, pois, se ele quiser, que assuma.

      • Thiago Teixeira Postado em 14/Nov/2013 às 13:36

        "Meio Afeminado"? Não existe isso. Ou o cara é ou não é. Não posso falar desse Richarlyson porque não sou do convívio dele, mas existe pessoas que não assumem a sua sexualidade e continua mantendo as aparências pegando mulher nas baladas para pagar de hétero.

      • Paulo Cesar Postado em 16/Nov/2013 às 00:39

        O que eu quis dizer Thiago é que temos que desconstruir as afirmações de gênero. Em nossa sociedade o cara para provar que é homem tem que falar grosso, coçar o saco e cuspir. Compreende? Tem muito machão aí que gosta mesmo é de homem, você sabe disso, por isso dei o exemplo do Ronaldo (que por desgosto do destino foi flagrado com três homens no motel). Veja bem, assim como o masculino o feminino também é uma construção identitária, um homem pode ter afinidade com o mundo feminino e gostar de mulher, compreende? Caçoam do Richarlyson por ele falar e ter gestos femininos, mas o cara nunca teve vontade de assumir esse lado (gay) e sempre esteve com mulheres, à vontade, em festas. O cara na verdade está bem à vontade com seu jeito, por isso procurei defendê-lo. Na verdade, vi muitos colegas de escola que eram chacotas por não corresponderem com os padrões de masculinidade se tornarem heterossexuais e ao mesmo tempo vi muitos colegas que portavam como os machões da sala virarem gays. Tentei seguir meu raciocínio por essa linha. Abraço

  3. Luiz Postado em 13/Nov/2013 às 16:45

    “Football fans against homophobia” - Há um pequeno erro no ótimo post "football fans" foi traduzido como "jogadores" e na verdade são os "torcedores". Apesar do erro não causar a falta do entendimento do texto, o que é certo é certo, certo? rsrs

  4. Diogo Postado em 13/Nov/2013 às 22:22

    Muito bonito! Espero que um dia possa haver atitudes semelhantes aqui no Brasil.

  5. Rafael Postado em 13/Nov/2013 às 23:58

    Torcida esclarecida, segura e com um pensamento maduro. Sensacional.

  6. Thiago Teixeira Postado em 14/Nov/2013 às 13:32

    Precisa saber também se todos sabiam o que significava aquelas espumas coloridas ... antes de elogiar a torcida como um todo, algo que o brasileiro faz incondicionalmente aos nórdicos.

  7. Ari Kailash Postado em 17/Nov/2013 às 17:37

    Belissimo! A costa oeste dos EUA e' mesmo uma terra que vale a pena viver.