Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 20/Nov/2013 às 18:17
22
Comentários

Frei Betto: é preciso acabar com a “inconsciência branca”

No Brasil, o preconceito à negritude deita raízes na mais longa história de escravidão das três Américas: 350 anos! Ainda que, hoje, nossas leis condenem a discriminação, sabem os negros que, aqui, eles são duplamente discriminados: por serem negros e pobres

Frei Betto

Por ser data de comemoração de Zumbi dos Palmares (1655-1695), último líder heróico do mais importante quilombo brasileiro, 20 de novembro é dedicada à Consciência Negra. É também Dia da Inconsciência Branca. Foram as armas que deram aos colonizadores europeus o poder opressor sobre as nações da África negra. Em nome de Deus e de um projeto civilizatório, invadiram o continente africano e submeteram o seu povo ao jugo da escravidão.

Obrigado a aceitar o batismo cristão, a marca do sacramento era gravada nas peles negras a ferro e fogo. O propósito, livrá-los, após esta vida, das chamas eternas do Inferno, por culpa de suas crenças animistas e rituais eróticos. Destinava-os, porém, nesta Terra, ao suplício do trabalho árduo, das sevícias, das chibatas, das torturas e da morte atroz.

Leia também

De tal arrogância se nutria a inconsciência branca que, ao qualificar de raça a mera diferença de coloração epidérmica, elevou-a à categoria de pretensa ciência. Buscou-se na Bíblia a caricatura de um deus maldito que, após o Dilúvio Universal, teria criado a descendência negra da Cam (Cão), um dos filhos de Noé.

No Brasil, o preconceito à negritude deita raízes na mais longa história de escravidão das três Américas: 350 anos! Ainda que, hoje, nossas leis condenem a discriminação, sabem os negros que, aqui, eles são duplamente discriminados: por serem negros e pobres. Ao escravo liberto se negou o acesso à terra, que ele tão bem sabia cultivar. Impediu-se ainda o acesso à carreira eclesiástica, aos quartéis (exceto como soldado e bucha de canhão na guerra do Brasil contra o Paraguai), às escolas particulares.

Na década de 1950, no Colégio Dom Silvério, em Belo Horizonte, ouvi irmão Caetano Maria, procedente de Angola, apregoar na sala de aula que negros eram inaptos à matemática e às ciências abstratas, vocacionados à música e aos trabalhos manuais…

A inconsciência branca viceja, ainda hoje, na promoção turística da mulata carnavalesca, ela sim liberada, por leis e censores, a exibir em público seu corpo nu.

É a inconsciência branca que protesta contra o direito de cotas para negros nas universidades; encara com suspeita o negro encontrado em espaços predominantemente ocupados por brancos; induz a polícia a expor garras ferozes ao revistar jovens negros.

O profetismo heróico de Zumbi, Mandela, Luther King e tantos outros, ainda não logrou descontaminar nossa cultura do ranço do preconceito e da discriminação. Quantos executivos negros ocupam cargos de direção em nossas empresas? Apenas 5,3%. Quantos garçons e chefs de cozinha? Quantos apresentadores de TV e animadores de auditório?

A violência com que médicos brasileiros, todos brancos, submeteram, em Fortaleza, “ao corredor polonês da xenofobia” – na expressão do ministro Padilha, da Saúde – o médico cubano Juan Delgado, um negro, a quem a presidente Dilma pediu desculpas em nome do povo brasileiro, bem comprova a inconsciência branca.

Esta inconsciência também adota o preconceito às avessas. Festejou-se a eleição de Obama, o primeiro negro na Casa Branca, como uma pá de piche (cal é branco…) na política terrorista do presidente Bush. Esqueceu-se que Obama, antes de ser negro, é estadunidense, convencido do direito (divino?) de supremacia dos EUA sobre as demais nações do mundo.

Por que haveria ele de pedir desculpas por espionar a presidente Dilma se não está disposto a abdicar dessa violação? Obama é tão guerreiro e cínico quanto Bush.

Com frequência vemos o preconceito às avessas expressar-se na negação da negritude, como se ela fosse um estigma, através de eufemismos como afrodescendente. Sou branco, embora traga nas veias sangue indígena e negro, e nunca me chamaram de iberodescendente ou eurodescendente.

A data de 20 de novembro deveria ser comemorada nas escolas com lições históricas sobre o preconceito e discriminação, e depoimentos de negros. De nossa população carcerária, hoje beirando 500 mil detentos, 74% são negros. Nos EUA, de cada 11 presos, apenas 1 é branco.

Só a Consciência Negra é capaz de combater a inconsciência branca e despertá-la, tornando hediondos todos os crimes de preconceito e discriminação.

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 20/Nov/2013 às 19:59

    Uma coisa é celebrar a consciência negra, outra é instigar mais o ódio contra os brancos, coisa que esse cidadão está propondo. Não acho um avanço ficar remoendo isso.

    • Italo Postado em 20/Nov/2013 às 21:34

      Ao invés de anular o racismo, alguns parecem propor que apenas se mude a perspectiva.

    • Gustavo Cravo Postado em 21/Nov/2013 às 00:54

      Thiago, gosto dos seus comentários, mas deste eu discordo. Não vi, em momento nenhum do texto, ele falar algo incitando o ódio contra brancos. Ele faz um relato do que aconteceu historicamente e faz uma excelente sugestão, que as escolas (públicas e privadas) reflitam sobre a exclusão do negro e também sobre a importância de sua inclusão. Esse homem é um batalhador!

    • José Carlos Postado em 22/Nov/2013 às 20:34

      Thiago,desculpe,você nunca assitiu uma aula de História do Brasil(de qualidade), ou não gostava.Um grande erro,por isso a dificuldade de entender o presente.Não têm o mmínimo de informação sobre as consequências da escravidão no Brasil.Não lê jornal(não conhece o Frei Betto)."O dia da Conscênca Negra" não é para celebrar nada,é um dia de reflexão sobre a situação dos brasileiros,discutir mudanças.Ssomos a 9ª econômia do mundo,no entanto o povo não tem acesso a saúde,educação de qualidade,,segurança,moradia digna,trabalho e salário digno, e os negros e mestiços são a maioria da população do Brasil..Então os problemas decorrentes da escravidão estão muito presentes ainda nas nossas famílias,na nossa sociedade,no nosso dia-a- dia.E a sua proposta é esconder,jogar para baixo do tapete? mude os seu conceitos,infelizmente você é o maior exemplo do erro das elites politicas e economicas de não investir em educação de qualidade no Brasil..

      • Thiago Teixeira Postado em 22/Nov/2013 às 21:35

        Cara, quem é você para estar classificando as pessoas? Você sim, teve aula de história de qualidade e deve ter tirado altas notas no vestibular. Te digo que fiquei com 7.9 em História na segunda fase da UNICAMP, e você?

    • carla Postado em 26/Nov/2013 às 22:26

      Meu caro, ninguém está instigando o ódio, simplesmente pede que pessoas como você tirem a venda dos olhos!!!

    • Isaac Postado em 21/Nov/2014 às 17:22

      Nada, os brancos que sempre tiveram ódio contra os negros. O racismo é a prova disto. Os negros não têm ódio...

    • Isaac Postado em 21/Nov/2014 às 17:28

      Esses brancos fica dando opinião do que devemos fazer ou deixar de fazer. Calem-se. Já falaram demais por mais de 4 séculos. Deixa que nós mesmos façamos nosso futuro. Já atrapalharam demais nossas vidas. Ficam com inveja do nosso dia. Queriam o dia da "consciência" branca? Com certeza os neonazistinhas iriam adorar. Nosso futuro que faz somos nós. Continuaremos lutando contra a opressão desses brancos, que no fundo no fundo têm ódio porque a escravidão acabou e aplaude a PM por matar negro na periferia. CALEM-SE

  2. Marcelo Ribeiro Oliveira Postado em 20/Nov/2013 às 20:14

    Isso não é ódio contra os brancos. Até porque não existe ódio contra os brancos no Brasil. Não se instiga algo que não existe. Isso é reconhecer que o fato da população negra no Brasil estar onde está, não é algo natural como se pensa. É senso comum achar que o fato de haver mais negros nas prisões e brancos na elite, ser responsabilidade do fluxo natural das coisas e do mérito de quem lutou para chegar lá e ônus de quem nada fez por isso e agora sofre as conquências. Quando o autor diz incosciência branca, acredito que esteja se referindo ao conjunto de práticas e ideologias ao longo da História deste país que resultou na atual situação que nos encontramos. E isso nada tem a ver odiar brancos. Tem a ver a não aceitar que as coisas continuem assim porque não é natural, foi pensando, articulado e trabalhado para que fosse assim. Isso justifica as reivindicações a favor da população negra, que só é contra os brancos, se eles estiverem ocupando espaços que não deveriam ser só deles e eles começarem a se sentir incomodados com a presença de negros lá também. Mas isso não é uma política contra brancos, é só a favor dos negros, finalmente.

  3. Mateus Werneck Postado em 20/Nov/2013 às 21:30

    Ele, em momento algum, instigou o ódio contra os brancos.Ele só defende que o dia da consciência negra seja comemorado mais profundamente para que se acabe com a inconsciência branca, que seria a falta de conhecimento sobre o preconceito implícito ou explícito que os negros ainda sofrem, como remuneração mais baixa, ocupação de cargos considerados menos importantes na sociedade e etc para que esse preconceito ou inconsciência acabe.

  4. Mateus Postado em 20/Nov/2013 às 21:41

    Ser contra cotas é mais do que correto, ninguém é contra cotas sociais, mas cotas raciais é puro racismo e os brancos pobres, asiáticos pobres deve ser deixados de lado devido a "culpa histórica" branca, se realmente estudarem historia da Africa irão descobrir que quem vendia escravos para os Europeus eram os próprios Africanos.

    • Gabriel Postado em 21/Nov/2013 às 14:47

      fale a verdade que vc adora o cacete de um negão, saia do armário!!

    • Aline Postado em 21/Nov/2014 às 00:40

      Cara, não seja imbecil como a maioria q fica com esse discursinho decorado. Entrei na faculdade há três anos. Sou bolsista e descendente de índios. Na época tinha 78 pessoas na minha sala e apenas 3 eram negros. Hoje são 36 pessoas e apenas 1 negro. Faça o teste do pescoço e pare de falar abobrinha. Espiche o pescoço pra dentro das salas de aula das faculdades pra ver se tem negros estudando. Não tem quase nenhum, meu filho! Quem quer entrar na faculdade, faz por onde, mas os negros são a parcela mais fodida do país e cotas não são mais do que EQUIDADE. Vamos avaliar nossos conceitos e parar de repetir discursos retardados q decoramos na internet, colega.

  5. José Ferreira Postado em 20/Nov/2013 às 22:46

    Tem brancos que são boas pessoas e que moram na periferia conosco (sou mestiço das três raças que originaram o povo brasileiro). Devemos separar os que de fato lucraram com a escravidão (Renan Calheiros & Cia.) e os que vivem de forma semelhante a maioria do povo brasileiro, que tem que trabalhar pesado e estudar para poder ter um emprego melhor, às custas de sacrifício financeiro e menos horas de sono.

  6. luis Postado em 20/Nov/2013 às 23:54

    "tem brancos que são boas pessoas". Eu sei que não estou estou no meio deles, mas agradeço pelo resto de nós...

  7. renato Postado em 21/Nov/2013 às 01:20

    Eu acredito que tenha brancos de alma negra, que estão envolvidos com a melhora do Brasil, eu acredito que até tenha brancos na região sul, que nunca virão negros, e portanto tiveram que lavrar suas terras com os próprios braços. Eu...conheço um branco casado com uma negra, que tem uma filha branquissima e que não gosta de negros, mas não consegue ver sua mãe como negra. E aí. Senhor dos Passos Errantes.

    • José Ferreira Postado em 21/Nov/2013 às 08:29

      Sobre o exemplo apresentado pelo Renato: Não sei se a mulher é negra, e pelo que você diz, deve ser mulata, pois, quando uma pessoa branca tem filhos com uma mulata, a possibilidade deles serem brancos é grande (100% branco do pai + 50% branco da mãe). Eu não sei exatamente o quanto tenho de negro, pois, de bisavôs para baixo, minha família é toda mestiça. Só sei que sou no mínimo 12% de índio e 66% branco e o restante negro, mas a porcentagem pode variar em alguns pontos, visto que eu nunca fiz exames desse tipo. Se vocês querem saber a minha cor: Respondo que tenho a pele morena, e que pareço um árabe, apesar de não ter nada...

  8. luiz carlos ubaldo Postado em 21/Nov/2013 às 08:20

    indignação diante de certos comentários que ensistem em negar a história, elite é sempre elite, é burguesa, mesmo não sendo, se julgam europeus por decendência, Brasieliros por castigo, e como na colonização, todos sabemos de quem veio para cá, vieram as montes, mas não para trabalhar, e o que esperar da escória vinda do país dominador, até os dias de hoje, continuam a rondar nossa gente, sedentos por nos dominar novamente e, já não se escondem mais, mostram suas fuças e arrogância de sempre!

  9. Eloise.... Postado em 21/Nov/2013 às 10:32

    É interessante que eu não percebi ódio nenhum na fala de Frei Betto. Mas gostei bem mais das atividades de uma escola pública, onde meu amigo é diretor e que promoveram diversas atividades. Todas as atividades ligadas às nossas raízes. Nossas que eu digo, são brasileiras. Além de atividades ligadas aos esportes, artes, etc adorei a idéia de promover um concurso que escolheram um estudante e uma estudante representando a beleza negra. É o que eu vejo como ações afirmativas.

  10. Bruna Postado em 21/Nov/2013 às 11:44

    Fantástico Luiz!

  11. carla Postado em 26/Nov/2013 às 22:45

    Namoro um negro,eu tenho pele branca. Outro dia precisávamos pegar um taxi e estávamos com pressa, e nenhum taxi vazio atendia ao sinal de meu namorado, passava "batido".Foi quando ele me disse essa triste frase, porém crua e real: "Amor, pára um taxi pra gente porque eu sou preto e estamos com pressa!" E não deu outra, eu dei sinal e o primeiro taxi vazio parou!! Sou testemunha diária do hipocritamente velado racismo neste país!! E aqui no Brasil ainda tem um tipo de discriminação pior que em outros lugares; o "mais preto",o "quase branco"...Meu namorado é "muito preto",não tem cabelo raspado porque não se envergonha de sua raça,tem cabelo estilo "black power" e eu presencio o racismo diário em nossas vidas!!!...

  12. vilmar Postado em 21/Nov/2014 às 08:47

    infelismente muita gente branca gostaria de continuar vendo os negros na parte de baixo da sociedade baseado no ódio racial, por isso agente ver partes dos comentários sempre com assuntos claros de insatisfação de algum programa ou instituição que favoreça negros. engraçado que os negros tem muito mais motivos pra ódiar os brancos por ser castigado e humilhado como escravos durante 350 anos formal, más o ódio é o contrario os caras escravizaram ficaram ricos através do do trabalho escravo do povo negro e o troco é o ódio racial. eu vejo um pouquinho burrice por esta falta de comprienção