Redação Pragmatismo
Compartilhar
Saúde 30/Oct/2013 às 15:51
0
Comentários

Médica cubana: "Dilma nos convocou para melhorar saúde do povo"

Afirmação é da cubana Mariane Ramirez, que desembarcou em Salvador com seu Marido e mais 275 estrangeiros para trabalhar pelo Mais Médicos. "Onde houver uma pessoa precisando de assistência médica, lá deve ter um de nós", complementou

médica cubana mariane ramirez
Médica cubana Mariane Ramirez (dir.)

Os 277 intercambistas do 2º Ciclo do Programa Mais Médicos começaram a receber nesta segunda-feira (28) as informações que integram a semana de atividades pedagógicas coordenadas pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). O titular da pasta, Jorge Solla, disse aos profissionais que “os 139 municípios estão ansiosos pela chegada dos médicos”. De acordo com o secretário, a atuação dos profissionais do Mais Médicos tem gerado um impacto positivo na Atenção Básica.

Além das cidades selecionadas pelo programa, dez médicos serão destinados a comunidades indígenas. Conforme o coordenador do Dsei Bahia, Jerry Matalawê, as aldeias estão localizadas nos seguintes municípios-polo: Euclides da Cunha, Ilhéus, Itamaraju, Pau Brasil, Paulo Afonso, Ribeira do Pombal e Porto Seguro.

Leia também

Antes de desembarcarem na capital baiana, os médicos de nacionalidade cubana, venezuelana, portuguesa, espanhola e boliviana participaram de curso coordenado pelo Ministério da Saúde. Na capital baiana, os médicos receberam informações diversas como as principais patologias no estado, programas de saúde e sobre a rede de serviços, inclusive, hospitalares.

Dos 277 médicos estrangeiros, 270 são cubanos. Maurisleydis Pérez disse que está ansiosa para começar a trabalhar e ajudar o povo brasileiro. “Nós, cubanos, fazemos um trabalho humanitário voltado à população carente”.

O casal de cubanos Mariane Ramirez e Leonardo Pérez já atuaram em países como Bolívia. “Escutamos o chamado da presidente Dilma para melhorar a saúde do povo brasileiro. Onde houver uma pessoa precisando de assistência médica, lá deve ter um de nós [médicos]”, disse Mariane.

Pérez também afirmou que, na Bolívia, ele e a esposa também trabalharam com a população carente. “No Brasil, teremos a oportunidade de desenvolver um trabalho semelhante com crianças, mulheres, gestantes”.

Depois do secretário Jorge Solla, a coordenadora de planejamento regional da Sesab, Joana Molesine e o coordenador do Comitê Estadual do Programa Mais Médicos, Washington Abreu também palestraram na manhã do primeiro dia de atividades dos profissionais do Mais Médicos em Salvador.

Além do superintendente de Assistência Farmacêutica, Ciência e Tecnologia em Saúde, Alfredo Boa Sorte, estiveram presentes representantes da sociedade civil organizada, entre eles, a Marcha Mundial de Mulheres, o Movimento Sem Terra, representantes do Diretório Central dos Estudantes e Diretório Acadêmico de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia (UFBA), estudantes de medicina da UFBA, Levante Popular da Juventude e Associação Cultural José Marti (ACJM).

Nesta fase, a Bahia foi contemplada com 310 profissionais. Os 33 médicos do segundo ciclo do programa, que concluíram o curso de medicina no Brasil, já começaram a se apresentar nos municípios contemplados desde o início deste mês.

Brasil 247

Recomendados para você

Comentários