Redação Pragmatismo
Compartilhar
Polícia Militar 03/Oct/2013 às 10:58
2
Comentários

Desaparecimento de Amarildo: 10 policiais são indiciados

Documento indicia dez policias militares, incluindo o ex-comandante da unidade, por crimes de tortura seguida de morte e ocultação de cadáver

desaparecimento amarildo rio de janeiro
Inquérito indicia dez policiais militares pelo desaparecimento de Amarildo (Reprodução)

A Divisão de Homicídios da Polícia Civil fluminense encaminhou ao Ministério Público do Rio a conclusão do inquérito sobre o desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarido de Souza, de 47 anos. Ele sumiu no dia 14 de julho depois de ser levado para a sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha.

Leia também

O documento indicia dez policiais militares lotados à época na UPP , entre eles, o ex-comandante da unidade, major Edson dos Santos. Todos vão responder pelos crimes de tortura seguida de morte e ocultação de cadáver. O promotor de Justiça, Homero de Freitas, encarregado do caso, disse que vai oferecer denúncia contra os acusados nos próximos dias.

O advogado da família de Amarildo, João Tancredo, disse que, ao tomar conhecimento da conclusão do inquérito, ligou para Bete, mulher de Amarildo, e declarou que não esperava resultado diferente. Segundo ele, Amarildo foi levado para a sede da UPP, onde foi torturado e morto. “Os policiais que prenderam Amarildo disseram que depois de ouvi-lo o liberam para ir para casa na noite de 14 de julho. Inclusive, o major Edson disse que cumprimentou Amarildo e entregou os documentos a ele”.

O advogado João Tancredo explicou que se Amarildo tivesse ido para casa, pelo caminho apontado pelos militares, que leva à localidade conhecida como Dioneia, a câmera instalada 10 metros à frente teria registrado a presença do ajudante de pedreiro descendo as escadarias em direção à casa onde morava, e, de acordo com o advogado, não há imagens da vítima deixando a UPP. “Outras duas câmeras de segurança estavam desligadas ou queimadas, mas essa de acesso à Dioneia e a outra instalada no portão vermelho estavam funcionando e não mostram Amarildo deixando a unidade”, disse.

Agência Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. renato Postado em 03/Oct/2013 às 11:18

    Que pena seu Amarildo.. Que pena.., espero a justiça para você e para quem a busca. Há uma nova onda, a desmilitarização da `PM. Não consegui formar opinião. Outra coisa urgente para todas as cidades é o extermínio das drogas e de quem compra. Quem vende também. Já é a muito uma praga, uma maldição, uma doença, uma desgraça...

    • Marcos Postado em 06/Oct/2013 às 16:21

      A bandidagem ontem no Brasil matou mais de 200 pessoas em assaltos, sequestros, trafico de drogas, roubo a bancos, cargas e por ai vai, gostaria do nome dos taxistas, comerciantes, policiais, professores , estudantes mortos por esses também, talvez a legislação mude e o povo acorde.