Redação Pragmatismo
Compartilhar
Política 25/Sep/2013 às 12:15
8
Comentários

Patroa evangélica força funcionária a se converter

Chefe perseguia funcionária para que fosse convertida à religião evangélica, porque "somente assim ela se livraria do mal e se tornaria uma boa funcionária"

mulher evangélica bíblia
Responsável financeira da empresa convidava pastor para participar de reuniões (Arquivo)

A Vale Transporte Metropolitano S/C Ltda. vai ter de indenizar em R$ 5.000 a sua ex-funcionária Josicleia Aparecida Alves, que, católica, foi discriminada e perseguida pela sua chefe (que nos autos é denominada de “sra. Mariles”), para que fosse convertida à religião evangélica.

O valor será atualizado com juros e correção monetária, a partir da data em que a reclamação trabalhista foi ajuizada.

A católica estava reivindicando R$ 50 mil por danos morais. A quantia foi considerada excessiva pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho) do Paraná (9ª Região).

De acordo com o processo judicial, em 2010 a Mariles com frequência dizia a Josicleia para virar evangélica porque somente assim ela se libertaria do mal e se tornaria uma boa funcionária.

Leia também

A ex-funcionária relatou que a então sua chefe levava uma vez por semana o pastor Francisco Mitsuo Kogima no local de trabalho para fazer pregações e exorcismo. O comparecimento dos funcionários era obrigatório.

”Os empregados católicos eram tratados com extremo rigor e hostilizados com frequência”, disse Josicleia,cuja função era caixa.

Um representante da empresa e marido da “sra. Mariles” negou que sua mulher perseguisse os católicos, mas admitiu que o pastor Kogima celebrou um culto para os funcionários.

Disse que Mariles,que era responsável pelo setor financeiro da empresa, chamou o pastor porque ficou nervosa com o sumiço de R$ 80 mil.

No entendimento do TST, foi comprovado que Josicleia foi vítima de intolerância religiosa, sendo atacada em suas convicções.

Paulopes

com informações do processo

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 25/Sep/2013 às 13:07

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • renato Postado em 25/Sep/2013 às 17:10

      Tiago vou com você, dizem que bocejar e rir contagia. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

  2. Daniel Terense Postado em 25/Sep/2013 às 15:04

    Do jeito q ta indo daqui a pouco a gente vai ver a volta do tribunal da inquisiçao (só que evangelico desta vez) pra julgar e condenar que nao seguir a religiao deles (hereges) à fogueira.

  3. Guilherme Postado em 25/Sep/2013 às 19:28

    proselitismo é um troço chato....

    • Victor Postado em 25/Sep/2013 às 19:41

      A mais pura verdade Guilherme! Entretanto, digo isso por ter autocrítica, devemos nos policiar para fazer o mesmo que eles fazem! caso contrário se torna apenas questão de defender o seu e não o correto. Temos que desencorajar o fanatismo religioso e o preconceito religioso tb, e isso significa tb não sacrifica-los.

  4. Janaina Postado em 26/Sep/2013 às 01:26

    Desculpem por ser a chata da história, mas gostaria de apontar uma correção: acho que não é TST (Tribunal SUPERIOR do Trabalho) da 9ª Região, mas sim TRT (Tribunal REGIONAL do Trabalho) da 9ª Região, não?

  5. Rich Postado em 27/Sep/2013 às 08:59

    Mateus 11.28

  6. Adalberto Postado em 30/Sep/2013 às 18:40

    Ela chamou o pastor por causa de 80.000? Foi por isso que ele veio logo. Oh povo pra gostar de dinheiro, é pastor...