Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 02/Sep/2013 às 15:19
21
Comentários

Estudante é criticada após comentários racistas

Universitária gera revolta nas redes sociais após comentário racista. Estudante de Publicidade e Propaganda desabafou porque quase foi atropelada por "um casal de negros"

Os comentários de uma aluna do curso de Publicidade e Propaganda da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) no Twitter revoltou internautas e gerou repercussão nas redes sociais na noite desta sexta-feira. Chamada de racista, Marina Ceresa chegou a ser repreendida pelo Centro Acadêmico da universidade e teve que se explicar em outra publicação.

Os comentários de uma aluna do curso de Publicidade e Propaganda da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) no Twitter revoltou internautas e gerou repercussão nas redes sociais na noite desta sexta-feira. Chamada de racista, Marina Ceresa chegou a ser repreendida pelo Centro Acadêmico da universidade e teve que se explicar em outra publicação.

jovem estudante racista facebook
Estudante fez comentário com teor racista em seu perfil no Twitter. Mais tarde, jovem tentou se desculpar (Imagem – Reprodução)

Tudo aconteceu quando a jovem estava a caminho da universidade quando, segundo ela, um carro com um casal negro quase a atropelou. “Acabei de quase ser atropelada por um casal de negros. Depois vocês falam que é racismo né, mas TINHA QUE SER, né?”, disse a estudante, que completou em outra mensagem: “E estavam num carro importado, certo que é roubado”.

Dois minutos após a publicação, Marina fez outro comentário, tentado se defender de eventuais acusações de racismo. “Eu não sou racista, aliás, eu não tenho preconceitos. Mas, cada vez que aprontam uma dessas comigo, nasce 1% de barreira contra PRETOS em mim”, disse.

Não demorou muito para que as publicações fossem replicadas não só no Twitter como em perfis do Facebook. Ainda na noite de ontem, o perfil do O Centro Acadêmico Arlindo Pasqualini (CAAP) da Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da PUCRS divulgou nota lamentando o caso. “Nós, estudantes de comunicação social da PUCRS, não nos calaremos diante do racismo praticado por colegas da nossa faculdade. Práticas como essa devem ser combatidas em toda a sociedade. Atuaremos de forma ainda mais incisiva em casos presentes em nossa universidade”, dizia a nota.

Por conta da repercussão instantânea, a universitária resolveu deletar sua conta no Twitter, mas decidiu manter ativo seu perfil no Facebook, pelo qual divulgou uma nota se desculpando pelo ocorrido. Na publicação, Marina explicou o ocorrido e reconheceu ter errado no teor do comentário. “Estou postando essa nota de esclarecimento porque eu olhei para o que eu escrevi e percebi que eu fui muito errada em colocar aquelas palavras de efeito”, disse.

Veja a nota de repúdio publicada pelo (CAAP):

“Racismo não é brincadeira

Na noite de hoje, uma estudante da Famecos escreveu comentários racistas em seu Twitter. Nós, estudantes de comunicação social da PUCRS, não nos calaremos diante do racismo praticado por colegas da nossa faculdade. Práticas como essa devem ser combatidas em toda a sociedade. Atuaremos de forma ainda mais incisiva em casos presentes em nossa universidade.

A sociedade precisa avançar no debate sobre o racismo. Os negros travam uma longa batalha contra a discriminação pela cor e suas conseqüências. Podemos observar isso pela baixa inserção de negros e negras em nossa universidade. Nos altos índices de violência contra o negro também notamos o quão sofrida ainda é a sua história. Sabemos que a exclusão social, cultural e intelectual é uma triste realidade para o povo negro.

O CAAP divulga esta nota para que casos como esse não se repitam. Devemos denunciar e nos posicionar em situações como esta. O nosso papel enquanto centro acadêmico é repudiar veemente esta atitude e não permitir que o racismo esteja presente na Famecos. Lutamos por uma Famecos sem preconceito e, por isso, deixar de expor este acontecimento seria legitimar o racismo presente em nossa faculdade.

O CAAP valoriza a cultura Afro. Acreditamos que a igualdade não tenha cor e seremos incansáveis na defesa de uma faculdade sem racismo e preconceito.

A partir desse acontecimento, vamos debater e refletir formas de combate ao racismo e a todos os outros tipos preconceitos. Na Famecos não há espaço para o preconceito.”

Recomendados para você

Comentários

  1. Ricardo Postado em 02/Sep/2013 às 15:34

    É bronca. É o efeito Mayara Petruso. Só que Mayaras e Marinas existem aos montes e não vai ser a última vez que esses tipos vão falar bobagens por aí. Irão aprender, na angustia de se ver difamado em escala global, que a internet não é lugar considerado "terra de ninguém".

  2. Sonel Postado em 02/Sep/2013 às 15:48

    A ignorância é a pior das armas...! brasil eh uma tristeza...

    • patricia Postado em 12/Sep/2013 às 08:46

      Ignorancia mesmo, Porque Brasil? vc acha que isso nao acontece em outro pais? Moro na Africa do sul e se vc quer saber vc nao sabe o que he racismo, O Brasil ta he muito avancado se comparado com muitos outros pais.

  3. Diogo Postado em 02/Sep/2013 às 16:02

    É muita burrice meu deus! E incrível como todo racista, homofóbico (etc.) no Brasil TEM que dizer dizer "eu não sou racista" antes de defecar preconceito. É regra, falou que não é racista: é um puta racista!

    • João Vitor Postado em 02/Sep/2013 às 16:40

      Eles devem achar que ameniza a situação, ou que todo mundo vai acreditar que ele não é racista/homofobico/etc só porque ele disse. É a mesma situação de ofender alguem e no final da frase colocar um "sem ofensas" pra tentar enganar alguem.

    • Anna Postado em 02/Sep/2013 às 17:30

      "Não sou preconceituoso mas..." TAMO DE OLHO

    • Murilo Postado em 02/Sep/2013 às 17:59

      Você é racista?!

  4. Anônimo. Postado em 02/Sep/2013 às 16:49

    O brasileiro não sabe usar as redes sociais- Esta foi a constatação dos americanos sobre nós, e infelizmente É VERDADE! Nos comportamos como idiotas e achamos que rede social é a sala da nossa casa, e dá nisso! Nos expomos, falando qualquer idiotice, sem medir a repercussão que vai ter. Lamentável...

    • Juliana Prado Postado em 03/Sep/2013 às 08:46

      Não se trata de saber usar as redes sociais se trata de saber conduzir a mente e vida de forma positiva e produtiva. Não adianta saber se "comportar direitinho na casa da visinha" e continuar sendo uma peste na vida...isso é ser hipócrita

    • Roberta Postado em 03/Sep/2013 às 17:59

      Em casa pode disseminar o ódio!! Parabéns pela observação.

  5. Ana Manrique Postado em 02/Sep/2013 às 17:28

    Vivemos numa sociedade repleta de preconceitos e por mais que lutemos contra, eles existem, inclusive em nós, por mínimo que seja. A diferença entre as pessoas está na luta diária para combatê-los, por isso, via de regra quem se diz desprovido de preconceitos, o é de maneira estrondosa e não admitindo, adia uma possível reflexão que poderia ter acerca de si mesmo. Perde-se a chance de repensar e se repreender por acreditar em certos paradigmas estabelecidos. Enfim, falou muita bobagem e, com certeza, pensa muita bobagem também. Provavelmente só se retratou porque viu que não "pegou bem". Uma pena.

  6. Danyel Postado em 02/Sep/2013 às 18:16

    Primeiro diz que todo negro é ladrão,depois se obriga(a contragosto com certeza) a dizer que não é racista quando simplesmente podia ter reclamado de imprudência ao volante,se é que aconteceu mesmo.

  7. Marcello Postado em 02/Sep/2013 às 18:34

    Se estão em carro importado, é porque possivelmente ja conquistaram aquilo que vc ainda almeja!!! Racismo é coisa de gente pequena!!

  8. Rodrigo Postado em 02/Sep/2013 às 21:43

    Ah, não me importo, só vocês!

  9. Felipe Postado em 02/Sep/2013 às 21:48

    Eu cheguei a cursar publicidade na puc-rs. O comportamento dela é condizente com pelo menos 80% dos que lá estudam, especialmente no turno da manhã.

    • Eduardo Postado em 03/Sep/2013 às 08:56

      hahah... bem nessas! Aliás, é a mesma atitude de 80% dos estudantes de qualquer faculdade particular.

  10. José Ferreira Postado em 02/Sep/2013 às 23:21

    Ela exagerou na reclamação. Se fosse para ofender teria diversas formas para isso sem que ninguém fique falando depois que é racismo...

  11. filho da razão e ciência Postado em 03/Sep/2013 às 11:11

    isso é filhote da veja ?

  12. Larissa Paola Postado em 03/Sep/2013 às 14:30

    Acredito que ela realmente quis chamar atenção. Depois que assisti àquele vídeo do Porta dos Fundo, que se chama "Deputado", entendi as intenções desta mulher.

  13. Aline Postado em 03/Sep/2013 às 15:08

    Vocês viram que um homem assaltou a Pucrs na sexta-feira, dentro do prédio da Famecos, onde essa menina estuda? Pois então, ele é BRANCO!!! Como será que ela enxergou isso???

  14. Rodrigo Postado em 03/Sep/2013 às 22:09

    A liberdade de expressão só existe quando lhes é conveniente?