Redação Pragmatismo
Racismo não 19/Sep/2013 às 10:16
107
Comentários

O desabafo de uma mulher negra humilhada na loja Malwee

O caso de racismo ocorrido na loja Malwee do shopping Interlagos chegou a público depois que a mãe publicou seu desabafo nas redes sociais. Loja "reconheceu o erro" e tentou se desculpar

Maria Rita Casagrande, Blogueiras Negras

Feche os olhos e imagine por um minuto:

Então você, negra, de black e linda acorda em um belo domingo e decide ir até o shopping, como você tem uma filha/o e como crianças de qualquer idade, tamanho, cor de pele (sim, pasmem, as negras também) usam e perdem muitas roupas você entra em uma loja cujo slogan remete a um carinho para fazer compras. Sua filha/o passa mal e vomita dentro da loja. Até aqui tudo comum na vida de qualquer mãe, quem nunca passou por uma situação do tipo que atire a primeira pedra. A situação começa a ficar incomum no pior sentido da palavra, quando a vendedora te traz um balde e um pano e te coloca para limpar a loja ‘Por gentileza, a senhora limpe essa sujeira da loja‘. No susto e no desespero, porque ter sua filha/o sem roupa, passando mal, exposta ao ar condicionado é uma situação desesperadora, você executa a tarefa enquanto vendedores e clientes observam sua atividade.

malwee racismo
(Resposta da Malwee – Reprodução)

Consegue imaginar esta situação acontecendo? Agora mude um pouquinho os detalhes e altere esta mãe para alguém de pele branca. Foi mais difícil enxergar agora? Doeu mais o frio da criança ou o constrangimento da mãe?

O caso ocorrido na loja Malwee do shopping Interlagos chegou a público depois que a mãe em questão publicou seu desabafo nas redes sociais. Eu acompanhei o caso com olhos bem atentos não apenas porque eu considerei de um racismo inacreditável (sim sou da opinião que se esta mãe fosse branca a vassoura jamais lhe seria apresentada e também porque não acho que o racismo no Brasil esteja de mãos dadas com o Papai Noel, o Coelho da Páscoa e o Saci, portanto ele existe e se materializa diante dos nossos olhos sempre que há uma brecha), foi também de um despreparo e falta de tato e empatia das vendedoras da loja, que poderiam ao menos ter oferecido um copo de água para esta criança, chamado socorro ou acionado o serviço de limpeza.

Responsabilidade das vendedoras? Sim sem duvida, algumas coisas a gente traz no coração e ponto final. Mas e a Malwee? Até onde eu sei, vendedores passam por treinamentos, aprendem sobre as atividades da loja, sobre respeito e ética. Me pergunto: que treinamento as moças envolvidas receberam uma vez que a própria Malwee apresenta uma nota que mais parece um atestado de descaso na mesma rede social que a mãe apresentou o seu caso e como ele foi muito criticado na própria página da marca exigia um “cala boca”.

Leia também

Só isso, Malwee? Claro que não. No dia 09 de setembro esteve na residência desta mãe uma representante da marca que repetiu o que foi publicado na nota, pediu desculpas e “presenteou” a família com 4 sacolas com itens da loja. Vamos recapitular: está mãe não comprou uma camiseta estragada para que fosse substituída por uma nova e, como pedido de desculpas, recebeu sacolas com itens da loja pelo transtorno, esta mãe foi humilhada, não só a mãe, mas a criança também, assistir sua mãe “levando uma bronca” por causa de um acidente que te envolve não é como um passeio no parque.

O que passou pela cabeça desta assessoria para entregar brindes a esta família, como um indivíduo, ou um grupo de indivíduos, conclui que bastam alguns brindes para que tudo seja esquecido? Qual é a visão da marca Malwee com relação a sua consumidora?

A mim não basta contratar algumas crianças negras para aparecerem nos comerciais, eu quero mais, quero o mesmo tratamento, quero respeito por onde passo e quero isto para meu filho também.

Eu era compradora Malwee, já não sou mais. Nem eu, nem grande parte da família que já está ciente do ocorrido.

Mas talvez você seja do grupo dos que bradam: “Ah, mas vocês veem racismo em tudo!” A você eu só posso afirmar que vejo racismo onde ele está representado, onde eu consigo me enxergar diante da dor ou do constrangimento a que a pessoa foi exposta sem a menor necessidade, se é em tudo é mais um motivo para que a gente fale muito sobre o assunto, aponte onde ele ocorre e batalhe para que situações como a deste episódio triste não ocorram mais. E se ainda assim você não se convenceu da necessidade de abrir os olhos para o que é aceitável e o que não é, sobre o que é respeito independente de etnia, tom de pele, nacionalidade, instrução, volte lá no primeiro paragrafo e faça o exercício de imaginar você nesta situação.

Quando nós, mães, pais, tios, tias, madrinhas, padrinhos vamos às compras, não raro avaliamos se o material das roupinhas é bom, se é puro algodão, se não foi costurado por crianças chinesas, por outras mães bolivianas em situação de semiescravidão, se agrediu o meio ambiente no processo de tingimento, além das perguntas corriqueiras como causa alergia ou dá a mobilidade necessária, cada um tem seu critério de avaliação para aquisição de qualquer produto embora a indústria aparentemente insista que basta ser bonitinho e com um comercial apelativo que nosso cérebro será lavado e compraremos como zumbis.

malwee racismo
(Foto: Jonathan Camuzo)

Eu não gosto de ter minha inteligência subestimada. Além de avaliar uma série de critérios na hora das minhas compras, eu levo em consideração o modo como uma marca trata seu consumidor e no (DES)caso da Malwee, além de vendedoras despreparadas e racistas, sua assessoria é, no mínimo, desrespeitosa e não deu nem a esta família nem aos seus tantos consumidores uma resposta digna (a não ser de lamento).

Malwee na minha casa nunca mais. Este ABRAÇO eu estou dispensando.

Posts relacionados

Comentários

  1. Simone Nuermberg Costa Postado em 19/Sep/2013 às 10:51

    também estou dispensando a Malwee das minhas futuras compras!!!!

    • Rodrigo Lemes dos Santos Postado em 19/Sep/2013 às 14:33

      Mano, é humilhante pra qualquer pessoa, seja branca parda, negra, amarela ou qualquer etnia. Só que imaginar que isso aconteceu "só por que ela é negra"? Ah para né? Minha mãe é branca igual o Gasparzinho (sou pardo, meu pai é negro) e isso aconteceu com ela quando estava gravida de mim... ela vomitou dentro do consultório e a médica fez ela limpar. Ou seja, quem redigiu este artigo tem de tomar cuidado com o que fala. A Loja Malwee em si não tem culpa. Em qualquer estabelecimento possivelmente sempre haverá alguém que cometa erros, assim como a vendedora da Malwee. A Empresa em si deve ser responsabilizada? SIM mas não deve ser "satanizada" pelo ato de um colaborador. Eu não li o texto até o fim, e posso até estar errado mas o redator do artigo é negro... Sim, negro. E digo isto por uma razão: Os negros em si tem "mania de perseguição"... se acontece qualquer coisa de ruim com eles eles falam "só por que eu sou negro/preto", sério cara, a maior parte do preconceito contra os negros está dentro da cabeça dos próprios negros.

    • ANDERSON Postado em 17/Mar/2014 às 15:29

      eu acho que isso aconteceria com qualquer pessoa ,independente da sua raça,pelo simples fato da sujeira e do impulso do funcionário que é muito mal pago ,geralmente não tem instrução e falta de cultura e educação ,trabalha muito e ganha pouco agora se acha que um funcionário totalmente infeliz ,iria limpar a sujeira e logico que não pois nem sua obrigação e feita imagine tem que limpar o vomito .... agora isso poderia ter acontecido com qualquer pessoa independente da sua cor , e eles poderiam fazer a mesma coisa....AGORA E JUSTO SIM QUE A EMPRESA SEJA PUNIDA PELO CONSTRANGIMENTO QUE A PESSOA PASSOU, E PELA FALTA DE ATENDIMENTO O FUNCIONÁRIO DEVE SER MANDADO EMBORA. COM RELAÇÃO A MULHER SER NEGRA ACONTECE MAS NEM SEMPRE, O PIOR PRECONCEITO NO COMERCIO ,AINDA É A FORMA DE SE VESTIR E A CARA DO CONSUMIDOR E TODOS OS VENDEDORES FAZER UM PRE JULGAMENTO E ISSO TEM UM FATOR DETERMINANTE NO ATENDIMENTO PODENDO SER BOM OU RUIM....DE ACORDO COM CADA SER HUMANO INFELIZMENTE.....

  2. Guilherme Postado em 19/Sep/2013 às 10:53

    Lavou, sujou, mas se a pessoa é cliente de uma loja, uma grande insensatez...

  3. joão augusto de lima Postado em 19/Sep/2013 às 10:54

    Malwee ? parabens, sra. jóice. tá compartilhado.

  4. Mariana Postado em 19/Sep/2013 às 10:58

    O que mais você gostaria que a loja fizesse? Além de um pedido formal de desculpas e uma possível retratação por meio de brindes e roupas? Em que MUNDO vocês utópicos idealistas vivem? Eu trabalho em uma empresa de 5.000 funcionários, programamos treinamentos e acompanhamento e mesmo assim muitos acabam saindo da curva, cometendo erros e deslizes. Isso faz parte do SER humano e controlar seus impulsos meus caros idealistas, não é assim tão simples quanto lhes parece. Um bocado de realidade e vivência em um setor de RH e treinamento lhes cairia muito bem.

    • Ernesto Postado em 19/Sep/2013 às 11:10

      Perfeito Mariana, nem precisa pegar o exemplo de uma empresa, pegue o exemplo de uma família com 6,7 irmãos, do mesmo Pai, mesma mãe, mesma criação, mas cada um vai ter um caráter diferente. Cada um vai ter gosto diferente, atitudes diferentes e visões diferentes. Culpar uma marca por causa de um funcionário é o fim.

    • Alice Filgueiras Postado em 19/Sep/2013 às 11:10

      é bem isso mesmo, Mariana. é triste ver uma marca inteira pagando por um funcionário desumano. Porque o que aconteceu ali não foi coisa que um treinamento resolveria. foi desumanidade mesmo. Isso é problema de criação.

    • Flávio Postado em 19/Sep/2013 às 11:13

      Pague uma indenização, melhore os treinamentos e demita a funcionária. Acho que isso estaria de bom tamanho.

      • Graciolina Postado em 20/Nov/2013 às 16:39

        perfeito!

      • Michelli Pereira Postado em 28/Apr/2014 às 21:19

        CONCORDO PLENAMENTE, SITUAÇÕES EXTREMAS EXIGEM DECISÕES EXTREMAS, EXEMPLO É DISSO QUE PRECISAMOS!!!

    • julio Postado em 19/Sep/2013 às 11:22

      Racista detected...

      • Flavia Postado em 20/Sep/2013 às 19:40

        tbm percebi isso, qdo a utopia atingir a Mariana quem sabe ela se toque?!?!?

    • Alexandre Carvalho Postado em 19/Sep/2013 às 11:25

      Mariana, sua animal! ki bosta de empresa que você trabalha minha filha? Porque eu trabalho em uma empresa com mais de 17.000 funcionários o GRUPO ABRIL, conhece? E se isso acontecer é RUAAAA R-U-A..... "Um bocado de realidade e vivência em um setor de RH e treinamentos lhes cairia muito bem." Cairia muito bem a você... Ao invés de vomitar suas asneiras como "controlar seus impulsos". Coitadinha das vendedoras, descriminaram uma senhora negra com a sua filha, coitada gente, ela não controlou o impulso de pegar a vassoura e tratar a senhora como uma empregada doméstica. Queridinha, qualquer ser humano nessa terra tupiniquim descende em algum momento dos nossos irmão Africanos..... Nasce de novo minha filha e volta aqui pra fazer um comentário pertinente...

      • Camila Nogueira Postado em 19/Sep/2013 às 15:04

        mandou benzao, Alexandre Carvalho! Valeu!

      • fernanda ferreira Postado em 19/Sep/2013 às 16:18

        laexandre faço das suas as minhas palavras nada mais a dizer,se ela não entendeu que volte ao infantil pra aprender td novamente...

      • Ramon Postado em 19/Sep/2013 às 16:22

        Que babaca você, não sabe nem debater.

      • GILVAN Postado em 19/Sep/2013 às 17:12

        Meu querido, burro é você. Se uma instituição tivesse controle sobre seus comandados. Todos policiais seriam honestos e não cometeriam nenhum crime. Não existe RH que dê jeito quando o sujeito presta.

      • Gilvan Postado em 19/Sep/2013 às 17:30

        Hoje em dia tudo que se faz diz logo que o cara é racista, homofóbico, machista e por aí vai. Gente cada caso é um caso é preciso viver a história para saber se o comportamento da vendedora foi certo ou errado... E eu pergunto. E se a mãe fosse branca? Era o que então? Sou branco e a minha primeira mulher era negra e a segunda também. Certo dia eu vi um garoto negro urinando atras de uma banca de jornais. O dono viu e o chamou de negro safado. Ele de imediato foi procurar um guarda para se queixar. Por coincidência o guarda era um tremendo negrão de quase dois metros. O garoto: seu guarda aquele moço me chamou de negro safado. O guarda: Se você fosse branco seria branco safado, mas como é negro então é negro safado. Conclusão: coisa errada não tem cor e nem sexo.

      • Danilo Postado em 19/Sep/2013 às 22:33

        Vamos lá..., sou consultor da TI e já prestei serviço para a Abril, e já teve sim caso de racismo, no caso o gerente me contou (vamos poupar nomes) que para evitar qualquer problema transferiram os funcionários envolvidos para outros setores para evitar problemas. Um tempo depois o acusado de racismo "pediu as contas". Na empresa Wickbold também já vi umas "discussões desse tipo". Para a surpresas do moralistas de plantão, infelizmente isso é mais comum do que parecesse. Porém, usando as palavras da "Mariana" vocês fecham os olhos para os problemas e vivem em um mundo utópico. A empresa irá responder porque é um funcionária dela, mas fora isso ela não pode fazer muito mais. A verdade é, o pv aqui está discutindo mais sobre a grana que a mulher pode ganhar do que necessariamente com a punição do funcionário racista, ninguém está ligando para os direitos e tudo mais, o que importa é o dinheiro....

      • endrigo Postado em 20/Sep/2013 às 10:47

        para quem sera demitido em breve e trabalha em uma empresa falida ate que vc fala alto... rs

      • Lílian Postado em 20/Sep/2013 às 16:02

        Cara, pára de sonhar. O q o tamanho da empresa tem a ver? Se a empresa onde vc trabalha chega a esse ponto não quer dizer q as outras tb chegam, nenhuma empresa não importa o tamanho manda funcionário embora fácil assim, dão no máximo uma advertência.

      • Dayse Postado em 21/Sep/2013 às 15:52

        Sábias palavras Alexandre, parabéns! Por causa desse tipo de gente 'irracional' que acontecem esses fatos lamentáveis. Não há NADA que pague um constrangimento, principalmente quando se volta para a discriminação. Sra. Jóice merecia NO MÍNIMO uma postura descente da loja, e não um 'COMUNICADO' ou algumas peças de roupas. Processaria linda! Não pelo dinheiro, mas pelo respeito. Minha mãe é negra, e tenho orgulho, muito orgulho dela. Imagino minha mãe passando por um constrangimento desses, só digo uma coisa, seria o último. Parabéns Sra. Jóice, admiro sua postura, fez bem sim em divulgar esse ocorrido, que sirva de lição e de alerta para empresas na qual trabalham pessoas pobres de espírito, como essa tal Mariana.

    • João Postado em 19/Sep/2013 às 11:30

      E tem gente que acha que com brindes e pedidos de desculpas se resolve tudo...Se fosse comigo, o processo já estaria em andamento e o dinheiro ganho com a indenização seria doado para uma creche.

      • Pedro Postado em 20/Sep/2013 às 13:22

        Tá boa!

    • Jarbas Aj Postado em 19/Sep/2013 às 11:33

      Mariana... funcionaria da acessoria MALWEE identificada ......

    • Renato Postado em 19/Sep/2013 às 11:41

      essa é a resposta pra quem nao quer solução para tudo que está errado: "mais o q eu vou fazer?" "o q mais vc gostaria q a loja fizesse?" "nao posso fazer nada, infelizmente é assim".... voce sinceramente acha que uma pessoa que passa por essa situação, está REALMENE querendo brindes de uma loja em q foi desrespeitada? E se esse funcionário é o ponto fora da curva, porque todos os outros dentro da curva nao foram la e pegaram a vassoura falando: desculpa senhora, eu limpo aqui. ??? pq o treinamento é feito pra vendedor VENDER pra sua empresa, e nao SER UMA PESSOA MELHOR no mundo.. isso nao vem de treinamento e muito menos dentro de um ambiente como esse, onde as regras das corporações sao muito mais importante q o valor do ser humano, isso vem de cada um... Aposto que ficaram com medo de ser demitido, de fica acumulando contas desempregado por ter defendido uma causa obvia, simples, natural.... alias, "ter de defender" uma causa dessa é um absurdo.... e eu te pergunto: se uma mulher com joias, muiiiiito chic, narizao em pé, com bolsas mais chic q a propria roupa, e com uma filha e ela vomita no chao da sua loja. QUEM QUE IRIA LHE DAR UMA VASSOURA ?... valores, valores de uma sociedade doente... eu gostaria que esse mundo "q vcs utopicos idealistas vivem" existisse, é por isso que me indigna d+ todas situações de injustiça. Mais parece que é aceitável para maioria...

      • Taina Postado em 20/Sep/2013 às 21:38

        Nossa Renato, vc falou o que eu queria expressar. Concordo muito com seu ponto de vista!

    • Nubia Oliveira Postado em 19/Sep/2013 às 11:49

      Mariana, acho que vc não compreendeu o texto porque não consegue compreender a gravidade do ocorrido. Infelizmente, poucas pessoas que nunca sofreram racismo (desculpa se eu estiver errada sobre vc), podem sentir o peso desse crime e o tom de descaso da resposta da loja. Não foi um incidente qualquer, não poderia ser tratado como tal. Não quero ser ofensiva na minha resposta. Apenas alerta-la. Concordo contigo que uma empresa não tem condições de ter 100% de domínio sobre os atos dos funcionários. Se o tivesse, seria até estranho... Mas ela pode responder sobre os seus atos. E da forma que o fez, foi longe do ideal.

      • Helton Postado em 19/Sep/2013 às 13:45

        Mas ninguém respondeu a pergunta da Mariana, qual solução seria considerada satisfatória? Eu acredito que a funcionária deveria ter sido demitida, ela e quem deu a ordem e quem não impediu, e os clientes que estavam na loja e não fizeram nada para impedir tal barbaridade deveriam também ser expostos. Mas a lei permitiria a empresa demitir a funcionária assim, ainda mais declarando em redes sociais? O mundo de ordem tem seus prós e contras. Eu tenho nojo de gente racista, eu jamais deixaria que uma situação dessa tivesse que tomar comoção nacional em redes sociais para poder me fazer de santo em comentário. Eu teria tomado a vassoura e o balde da mão da senhora, entregue a funcionária e prestado ajuda à criança na hora. Duvido que essa loja estava vazia... é triste ver quanta gente sem atitude e ética tem por aí.

      • Luis Postado em 19/Sep/2013 às 14:07

        Em várias respostas da Malwee, a empresa deixa claro que não pode divulgar as atitudes tomadas por questões legais, isso deixa óbvio que os envolvidos foram demitidos. O que mais será preciso para pessoas pararem de pedir por mais desculpas, sendo que já foi feito um comunicado na página da Malwee que ficou ali por dias no topo?

      • Lucas Postado em 19/Sep/2013 às 14:20

        "É fácil viver no mundo com os olhos fechados", e realmente é o que acontece com muitos inclusive essa Mariana...pessoas que se escondem dentro do seu ambiente, e são drasticamente alimentadas por informações manipuladas para o lado da cegueira...até que fiquem realmente cegas, aponto de acreditar em tais asneiras como o que ela acaba de dizer...pessoas que como vc, preferem fechar os olhos para o quue acontece, e diz:" mas é assim mesmo né?", gente assim é o que faz as coisas continuarem como estão, gente assim são muitas vezes parasitas da mídia e absorvem e vomita somente o que vê nela, gente assim não pensa sozinha aponto de se colocar em tal situação e ver o quanto monstruoso pode ter sido a situação...e essa é vc, uma pessoa sem gosto e sem pensamento proprio, uma parasita que provavelmente nunca viveu um transtorno como tal, nem presenciou alguem proximop que tenha vivido...é triste ver alguem como você Mariana, e saber que nessa realidade que vive, totalmente "fora do idealismo" , não haja espaço para a esperança de que um dia esse mundo irá mudar...é triste ver alguem como vc dizendo que é normal que isso aconteça!

    • Ricardo Postado em 19/Sep/2013 às 14:10

      Entendo que mesmo com a situação apresentada por você, a empresa ainda será responsável pelos atos de um funcionário. E quanto a retratação, o correto seria apenas o pedido de desculpas formalizado, reconhecendo o erro (como a empresa fez) sem dar brindes. Caso a consumidora queira entrar com um processo na justiça, para obter alguma indenização então que a empresa pague através da justiça. Ser idealista e utópico não é ser fora da realidade. Mas entender que tudo poder ser melhor do que está.

    • Elaine Postado em 19/Sep/2013 às 14:50

      Mariana, sua animal! ki bosta de empresa que você trabalha minha filha? Porque eu trabalho em uma empresa com mais de 17.000 funcionários o GRUPO ABRIL, conhece? E se isso acontecer é RUAAAA R-U-A..... "Um bocado de realidade e vivência em um setor de RH e treinamentos lhes cairia muito bem." Cairia muito bem a você... Ao invés de vomitar suas asneiras como "controlar seus impulsos". Coitadinha das vendedoras, descriminaram uma senhora negra com a sua filha, coitada gente, ela não controlou o impulso de pegar a vassoura e tratar a senhora como uma empregada doméstica. Queridinha, qualquer ser humano nessa terra tupiniquim descende em algum momento dos nossos irmão Africanos..... Nasce de novo minha filha e volta aqui pra fazer um comentário pertinente... (2)

    • Luizin Postado em 19/Sep/2013 às 15:34

      trabalga numa empresa de 5mil funcionarios e não aprendeu detectar racismo ainda?! Não viu constrangimento da mãe na loja perante a situação? Tenho medo de vc ser chefia e da ideologia imposta a vc e mais 5 mil pessoas... q medo . Se fosse vc ... gostaria de limpar o chão com seu filho morrendo do lado ? ?? limparia numa boa ? com os funcionarios olhando p vc ?

    • Camila Postado em 19/Sep/2013 às 15:45

      Eu gostaria que a loja falasse que estes funcionarios envolvidos nao fazem mais parte do quadro de funcionarios, que a marca repudia veementemente, que esta a disposicao para resolver a situacao da forma QUE A CLIENTE achar melhor. Seria suficiente. Um funcionario que faz isso nao deve ir pra reciclagem deve ser demitido! É o mínimo!

    • Luciana Silva Postado em 19/Sep/2013 às 18:58

      Por uns irresponsáveis a marca não pode ser punida generalizadamente!

    • Ciro Campos Postado em 19/Sep/2013 às 19:10

      O que mais me indigna é ver que o público do Pragmatismo Político está ficando cheio de pessoas como a Mariana. Não raro se vê pessoas de pensamento igual ao dela, seja relacionado à racismo, homofobia, etc. A esses, uma informação: o site é à favor do povo, das minorias e da igualdade. Se não comungam dessa ideologia, paciência...

    • DÉBORA Postado em 19/Sep/2013 às 20:18

      A discussão não é em torno só do treinamento da empresa e do comportamento catastrófico das funcionárias, e sim de uma sociedade que brada aos quatro cantos a beleza negra e, ao se deparar com uma situação na qual uma pessoa considerada inferior não por sua classe social e sim, por sua cor é exposta a tamanha indignidade. RH? Empresa grande? Não importa minha querida seus treinamentos, suas discussões sobre ética, o que temos que discutir são as formas de atuação profissional. Vocês treinam máquinas? Não. Então abra a mente, e pense na humilhação, no constrangimento porquê você aí de cima de seu pedestal não está levando em conta que uma má formação do pessoal independente do seu racismo é o que faz com que uma empresa se torne grande e não o número de funcionários ou seu lucro! Negros são lindos? São. Mas para alguns, a senzala ainda deveria existir pelo que vejo!!!

    • Franciane Postado em 19/Sep/2013 às 21:36

      Pois leve seus filhos lá e aceite ser discriminada, depois um pedido de desculpas sem carinho e sensatez. Isso nao quer dizer q todos deveriam parar de ser clientes da malwee, e sim eles deveriam sim mandar brindes como roupas sapatos e td mais , porq uma humilhação publica dessa nada vai pagar, mesmo q a malwee nao tem culpa por sua funcionária ser tAo insensata , mas e responsável porq o ocorrido foi dentro da loja malwee. Se essa mãe encontrar um bom advogado concerteza nao será qualquer brinde q ira cobrir tanto uma indenizacao quanto os gastos com os tramitis da justiça. Eu no lugar dela faria pior!!!

    • Anderson Postado em 20/Sep/2013 às 08:31

      Mariana Não te conheço mas tem meu apoio... Exatamente isso, uma marca não pode pagar por um erro de um funcionário, se fosse assim eu iria andar igual Indio, sem roupa alguma. Eu nunca comprei nesta loja mas se necessário eu compro sem problemas.

    • hanan Postado em 20/Sep/2013 às 16:04

      Queria aproveitar e fazer meu desabafo, que mulher sofre muito preconceito tb, trabalho no setor técnico em uma empresa de hospedagens de site, e maioria dos clientes q ligam apesar de discarem o "3" sabendo q é o número de atendimento do suporte técnico, já logo de cara pedem pra falar com um técnico ao ouvir minha voz de mulher, muitos falam "deixa eu falar com os caras".

    • Marina Miron Postado em 24/Sep/2013 às 21:57

      Quando você trabalha em uma loja ou para uma marca você está representando ela, e se você fizer merda a culpa sempre será da empresa que contratou uma pessoa desse tipo. E pelo que eu conheço de comércio, em uma loja de Shopping, há pelo menos 3 funcionários, dois vendedores e um gerente, então cadê o gerente que não viu isso? Será que a marca está respondendo pela atitude desumana de apenas 1 funcionário?

    • lili Postado em 31/May/2014 às 20:43

      Cala boca sua infeliz! Vc deve ser uma tremenda de uma racista também deixa uma funcionária de uma loja de marca super famosa fazer a mesma coisa com vc vamos ver se vai gostar vai se ferrar garota!!

  5. Nyde Sales Postado em 19/Sep/2013 às 11:06

    A atitude foi racista sim ! fora isso o mínimo de educação e solidariedade faz diferença!

  6. Inadequado Cidadão Postado em 19/Sep/2013 às 11:09

    Maria, respeito todo o conteúdo de seu texto, afinal, todos temos direito natural de manifestar nossas opiniões. No entanto, analisando sob um prisma neutro, acho que há indícios mas não provas de que o motivo ocorreu por "racismo". Quando buscamos fatos, temos de colhê-los de todos os lados, não apenas de um, ainda que sintamos mais empatia por uma parte ou por outra, ou ainda pelo grupo a que pertence, seja qual for a razão. De fato, a situação foi desagradável para todos. Com efeito, as vendedoras poderiam apresentar uma atitude mais solidária. Erraram. Mas acusá-las de racismo pura e simplesmente porque a mãe em questão, bem como sua filha, eram negras e supor que, caso fossem "brancas" (o que é um erro, citar etnia e na contraparte citar "cor" de pele), o tratamento seria outro. Talvez sim, talvez não. Ficamos ainda no campo das hipóteses. Quanto à generalização que fez, ao dizer "...além de vendedoras despreparadas e racistas...", foi tão infeliz quanto. Isso fere tantas outras mulheres e homens que trabalham nas lojas da Malwee, e que nada tiveram a ver com a situação. Não faz sentido outorgar a outrem culpa da atitude de uma pessoa ou de um pequeno grupo. Antes que a sra. ou alguém venha questionar minha etnia, ou minha opinião acerca do "racismo" e do "preconceito", eu sou totalmente contrário a qualquer discriminação, seja por uma pessoa ser "negra", seja por ser gorda, seja por ter ERRADO. Senti ódio em suas palavras. A maior arma para combatermos toda sorte de preconceitos é com Amor, não com rancor. Para finalizar, da mesma forma como pediu que nós, leitores, fizéssemos uma reflexão acerca de nos imaginar na situação dessa mãe, peço que faça outra: se imagine na "pele" de uma funcionária qualquer da Malwee, que foi chamada de racista, sem nem mesmo ter conhecido você, a mãe ou a menina.

    • Ana Beatriz Postado em 19/Sep/2013 às 13:44

      Concordo. Não vi em nenhum momento o funcionário em questão dizer palavras de cunho racista. Trabalhei por 10 anos em uma empresa nacional que já aconteceu de um funcionário se aborrecer por conta do mesmo fato e pedir para o cliente limpar (atitude um tanto ridícula) porque acabará de limpar tudo. Olhe que os clientes eram pessoas que "aparentemente eram brancas e com dinheiro" (como se isso ainda tenha que existir) Controle dos funcionários e seus comportamentos é complicado e um comportamento não pode levar toda uma empresa a condenação. Teve gente que falou em demissão, mas nesse caso o funcionário de acordo com a lei poderia ser suspenso por indisciplina. Alguém ouviu o outro lado antes de jogar pedra? Talvez a ideia de preconceito possa ter originado na entrelinhas, mas como confirmar? Com relação aos "mimos" as empresas em sua maioria tentam compensar com esse tipo de conduta.Já aconteceu muitas vezes comigo e nem por isso fiquei querendo que a empresa se dane, existem falhas e se fosse algo que não houvesse retratamento ai sim recorreria na justiça. Ah, antes que falem que nunca passei por preconceitos, sou negra e não fico com paranoias de achar que todo comportamento das pessoas são ofensivas até qu seja externado de fato como algo concreto e não só na minha imaginação.

    • Lika Postado em 19/Sep/2013 às 14:49

      Disse tudo e mais um pouco, são poucos os que pensam assim, com um pouco de nexo e sem ódio. Uma amiga minha já passou por isso há muito tempo atrás, e pasmem ela era branca, sim branca! A filha idem, a vendedora ficou enfurecida porque a filha da minha amiga vomitou no balcão, trouxe o pano e disse que minha amiga teria que limpar, por ser muito nova ou pela inocência mesmo, minha amiga limpou e muito sem graça saímos da loja, não cabe agora citar nomes, mas já voltei em outros filiais dessa loja de lá pra cá e sempre fui muito bem atendida. Na minha opinião, a funcionária trataria assim independente de ser negro, branco, moreno ou verde com bolinhas azuis. E lembrando que não estou defendendo ninguém, nem a marca nem a funcionária, só dei minha opinião, atitude extremamente errada, seja com negras ou brancas, isso não se faz. Inclusive pra quem tiver com a mente aberta e quiser dar uma pesquisada, um tempo atrás uma mãe (branca, acho estupidamente ridículo ter que citar a cor, mas já que o assunto é esse...) postou no youtube um video onde a loja mandava ela limpar o vomito da filha, e ela filma tudo, a funcionária mandando e ela limpando e gritando pra toda loja ver, que fim deu? Não me lembro, mas provavelmente, não deu em nada. Então, é com muito desgosto que digo que essa mediocridade não se destina apenas a mulheres negras.

    • Letícia Postado em 19/Sep/2013 às 15:03

      Parabéns, o único ser humano aqui com bom senso.

    • Kary Cintra Postado em 19/Sep/2013 às 15:30

      Com certeza, foi o que eu estava pensando durante toda a leitura... O que eu percebo é que uma injúria cometida,é uma injúria, contra qualquer ser humano, mas não, o destaque é porque ela é negra...Mas em nenhum momento é citado absolutamente nada que prove que a vendedora teve tal atitude pelo fato de a mulher ser negra...Dai a afirmar que se a mulher fosse branca isso não teria ocorrido, é muito "achismo" não? E outra coisa que eu me pergunto,quantos outros casos de mal tratos por vendedores a clientes estão sendo retratados aqui? Este, especificamente pelo fato de a mulher ser negra, não pelo fato em si... Isso, na minha opinião, se chama sensacionalismo...O preconceito existe, é fato, não estou negando esse fato de maneira alguma. Porém se o que tanto se busca é igualdade para as raças, credos e sexos, temos que parar de fazer distinções sejam elas qual forem, o ser humano merece respeito, nem o negro mais, nem o branco mais, nem os demais mais, iguais...

    • pronto falei! Postado em 19/Sep/2013 às 15:40

      Por que a funcionaria não chamou uma auxiliar de limpeza??? Com certeza houve racismo sim....está impregnado na SUA mente através das novelas da Rede EsGoto de televisão! Só quem sente na pelo sabe como é !!!

    • Ramon Postado em 19/Sep/2013 às 16:25

      Concordo plenamente. Não há indícios que provem que se a cor da pele da cliente fosse outra o tratamento também seria. Achei o texto tendencioso ao racismo. Também não é "culpa da Malwee" e sim da funcionária.

      • Elizabeth Manja Postado em 19/Sep/2013 às 19:34

        É, vocês estão com a razão, não deve ser racismo de fato, deve ser somente falta de ética profissional, desumanidade ou coisas do tipo, "infelizmente" foi com uma mãe negra, poderia ter sido com qualquer uma outra, afinal, a vendedora não disse que mandou a mulher limpar o chão porque era uma negra, para ser racismo ela deveria dizê-lonão é mesmo? Segundo o Ramon "Não há indícios que provem que se a cor da pele da cliente fosse outra o tratamento também seria". Essas coisas também acontecem com brancas e como "nunca" ouvimos dizer que uma branca teve que limpar o chão de uma loja no shopping porque sua filhinha involuntária e acidentalmente o sujara, talvez seja porque elas não se sintam tão ofendidas, como as negras que tudo acham que é racismo, daí ficam divulgando essas coisas na internet. Parabéns, Ramon, Kary,Letícia e Inadequado Cidadão, pelas observações de vcs!!

    • Isaac Postado em 20/Sep/2013 às 23:24

      Não importa se o discurso remete ao racismo ou não, o que importa é que o racismo vem embutido nesse tipo de situação, é cultural situações de descaso, desrespeito, abuso envolver negros, a questão é essa, querer minimizar não anula a presença do racismo ali, não anula a hipótese de que se fosse uma mãe e criança branca não haveria esse constrangimento, o ponto aqui não puramente o racismo, é toda a circunstância que envolveu esse racismo.

    • rasena Postado em 07/Jan/2014 às 12:55

      Panos quentes vc trabalha la. R

  7. Adriana Postado em 19/Sep/2013 às 11:14

    Ainda surge quem defenda um absurdo desses? Espera-se da marca que se retrate, que se comprometa a treinar bem seus funcionários, e que assim o faça, que corrija este erro, ou será um padrão? Que não tripudie sobre o sofrimento e a humilhação, ofertando bugingangas. Estamos aceitando o racismo com uma fatalidade? Como algo imutável no mundo em que vivemos?

  8. Pedro Postado em 19/Sep/2013 às 11:25

    Mas se por um acaso isso acontecer com uma mulher branca o que isso caracteriza, racismo ? Só por que ela é branca ela teve que fazer isso. Eu concordo que no Brasil existe muito racismo , muito racismo vindo de pessoas negras contra elas mesmas. Somente discordo quanto a esse caso. O que acontece é que muitos sofrem racismo ou mesmo se não sofrem tem ciência de que ele existe no Brasil e ficam com o pé atrás em relação a qualquer comportamento que não lhe agrade e acabam colocando racismo onde as vezes é algo que aconteceria independente da cor da pessoa.

  9. Gertrudes Maria Vieira da Postado em 19/Sep/2013 às 11:31

    A vendedora nao teve o menor tato, educacao. E acredito que faria isso tb com uma pele branca, existe treinamento , existe o suporte das empresas, o que uma empresa nao da suporte e a educacao, sutileza, gentileza, e qdo da poder a estas pessoinhas feinhas elas crescem, se forem negras mais se forem brancas menos..mas tb.

  10. Ezequiel Postado em 19/Sep/2013 às 11:37

    Concordo com a Maria e acho que a matéria acabou sendo bem infeliz(mas essa é minha opinião) Erros são para ser corrigidos e temos a chance de aprender com eles... Assim como um ato não justifica todo a uma vida.... e um funcionário não representa uma empresa e a visão do dono.... jah que citou tanto em família, imagine a mesma cena acontecendo no ambiente familiar, onde alguém com seu sobrenome comete um erro, apenas um, e julgam toda uma geração por essa falha... temos que refletir mais antes de escrever nossos textos..

  11. Modesto Postado em 19/Sep/2013 às 11:37

    Sim, houve racismo. Sim, deve ser punido. Mas você está latindo contra a árvore errada. Racismo é crime e crime é responsabilidade pessoal. Não foi a loja franqueada nem a empresa dona da marca Malwee que humiliou a mãe. O funcionário da loja é o único responsável pelo seu gesto. Culpar a loja, ou a marca, significa absolver a única pessoa que cometeu crime de racismo nessa história.

  12. Nubia Oliveira Postado em 19/Sep/2013 às 11:39

    É incrível como as pessoas ficam ofendidas quando alguém relata um caso de racismo e sua indignação com o mesmo. Enfim, é tudo muito triste e desanimador. Creio que essa doença um dia tenha cura, mas vai demorar.

  13. José Luís Postado em 19/Sep/2013 às 11:39

    Em um MUNDO Mariana em que não haja uma idiota como a funcionária causadora do constrangimento e pessoas como você que tentam justificar o injustificável. O pior é que talvez, eu digo talvez, a aludida funcionária e mesmo a Sra. Mariana sejam negras ou descendentes, imbuidas no entanto da ideologia do sr. de escravos.

  14. rosi Postado em 19/Sep/2013 às 11:52

    Dona Mariana, então voce defende que esse desrespeito é NORMAL? Mas as equipes não são treinadas para que esse tipo de coisa NAO ACONTEÇA? De que serve esse suposto treinamento então? Na empresa em que eu trabalho ( com mais de 150 lojas no Brasil), os funcionários nunca fariam tal absurdo, nunca tratariam tão mal um cliente, pois todos são muito bem educados ( os gerentes vigiem bem de perto o comportamento dos funcionários, veja só). E digo: isso é o mínimo que uma empresa séria deve fazer, vigiar de perto o comportamento de seus funcionários. E isso não foi apenas um deslize, coisa corriqueira, isso foi um ato de extrema falta de senso! Nunca na minha vida vi alguma funcionária pedir para CLIENTE LIMPAR A LOJA. É para isso que serve o serviço de limpeza. E a sujeira foi claramente um acidente. Sério mesmo que educação e bom senso virou coisa de gente idealista? Pois esses são um dos pilares da boa convivência no mundo em que eu vivo. Sinto muito se não é assim no seu.

  15. pedro Postado em 19/Sep/2013 às 12:22

    Se fosse na minha loja, ou eu fosse vendedora, podia ser branca, preta ou amarela, vomitou, limpou. Não vamos deslindar para o sensacionalismo, nem tudo é racismo. Uma notícia dessas serve para tirar a atenção daquilo que realmente importa.

    • MICHEL Postado em 19/Sep/2013 às 12:53

      Com certeza você não tem uma loja, ou se tiver deve ser de ultimo nível... Colocar um cliente pra limpar chão, é coisa de gente retardada, desequilibrada, e fracassada empresarialmente. E sei bem o que estou lhe falando, pra chegar onde cheguei já engraxei sapatos, vendi bolos.....e detalhe, sou negro Jornalista e empresário.

      • Carlos Francisco Postado em 19/Sep/2013 às 14:16

        A criança passando mal e a mulher entra na Malwee... HAHAHAHAHA... é piada... Sou branco e quando criança, sempre que tive vontade de vomitar minha mãe me dava um saco de plástico e falava pra eu vomitar dentro. Isso é uma questão de educação que vem de berço.

      • Ricardo Postado em 19/Sep/2013 às 14:31

        Apoiado!!!

      • André Postado em 19/Sep/2013 às 18:38

        Ta certo então pq você é negro, jornalista e empresario você é foda agora! Nessa reportagem ambas as partes agirão sem pensar. A vendedora agiu indelicadamente, a mãe poderia ter evitado a situação e a loja poderia ter procurado uma maneira melhor para se retratar. Só acho que apelar pelo sensacionalismo fode com qualquer artigo. O Pedro ai em cima deve ter se expressado mal em palavras mais entendi o sentido. Agora você é repugnante velho. Além de criticar quer se vangloriar. E ainda vai querer pensar em falar que tem orgulho e bláblá, se eu bate no peito e dizer: sou branco,jornalista e empresario. Ai o pau fecha. Vem outro salame com mentalidade inferior a uma pedra dizer que sou um monte bosta. O que estou querendo dizer com isso é pra parar de apelar toda hora pro lado racista história e procurar ver as coisas com outros olhos. O passado foi marcado, mais se não pararmos com esse tipo de visão jamis sairemos do lugar. E só pra constar não sou negro, mais venho de uma família que é.

      • pedro Postado em 19/Sep/2013 às 19:27

        Realmente, é típico de um homem bem-sucedido ficar falando bem de si mesmo na internet. O fato de você ser empresário, negro e jornalista não altera em nada minha percepção de que essa notícia é sensacionalista. E ser negro e ter nascido pobre não é exclusividade sua nem te faz melhor ou mais "valoroso", cara. Seja mais humilde

    • Andre Kenji Postado em 19/Sep/2013 às 13:16

      Nunca me DEIXARAM limpar nada que sujei em loja nenhuma, e olha que eu me ofereci. Mas não sou negro. De qualquer forma, não é de se espantar que haja gente pensando assim devido à péssima qualidade de atendimento no varejo no país.

  16. Felipe Dallagnolo Postado em 19/Sep/2013 às 12:32

    Muito bonito o texto, bem escrito, com argumentos bem defendidos. Porém, o que vejo é alguém simplesmente criticando os fatos ocorridos. Creio que o mais certo a ter feito, ao invés de "esculachar" a marca, seria apresentar maneiras para a empresa retratar-se pelo acontecido. Acho muito fácil sair pelas redes sociais criticando, criticando e criticando. Qual a sua participação, como influenciadora de opinião, para que fatos como esse não se repitam? Pelo que entendi, "algumas sacolas de roupa" não foram o suficiente. Qual a medida correta, um milhão de reais, dois milhões de reais, o presidente da empresa ir de joelhos até a casa da Sra. Jóice?! Qual a medida correta? E outra, não existe maneira de uma empresa controlar todos os seus funcionários, estamos falando de seres humanos, não de robôs programados para atender. Cada um de nós tem as suas particularidades. Quem deve levar o demérito pelo ocorrido é a funcionária, que teve a infeliz atitude de levar o balde e o pano, exigindo que a cliente limpasse aquele acidente. Poderia ter acontecido em qualquer lugar, na Malwee, na Dudalina, na Ralph Lauren, ou seja lá em quais marcas você compra a suas roupas. Concordo, foi uma atitude racista, porém não acho que seja a empresa que tem culpa disso.

  17. Michel Ferreira Postado em 19/Sep/2013 às 12:50

    Infelizmente vivemos em um País extremamente racista, e nós negros somos por vezes obrigados a simplesmente nos calar. Porque uma meia dúzia de hipócritas acredita que o preconceito e racismo não existem, ele vem desde uma vendedora desqualificado, até o mais alto escalão de empresários. Lamentável, eu que sempre comprei a marca por achar bonito os comerciais, e apreciar a qualidade do material, hoje também dispenso esse abraço. ATT: Um negro jornalista. Para a assessoria da "conceituada Malvee"

  18. Felipe Postado em 19/Sep/2013 às 12:53

    Por isso que não compro roupas em lojas com "padrões de vendedores". O marketing Barbie e Ken nunca me atraiu!!

  19. Antonio Mensch Postado em 19/Sep/2013 às 13:01

    Talvez, se substituíssemos a palavra "racismo" por "pré-conceito"... Veja: se uma senhora, com a cor da pele que seja, passase por esta situação e estivesse bem vestida e apresentada passaria por esse desaforo? AÍ é que me refiro. Racismo existe sim. Silencioso e, como você disse, prestes a preencher determinados vazios sempre que exista a oportunidade. Mas o que se vê, na maioria das vezes, são atitudes baseadas numa relação de poder: Das roupas, do sotaque, da articulação, e PRINCIPALMENTE da "aparente" classe social. Abraço a todos!

  20. José Ferreira Postado em 19/Sep/2013 às 13:14

    Essa atitude não foi racista, mas a funcionária deve ser demitida por conta da forma que maltrata os seus clientes. Hoje é a Joice, amanhã pode ser você...

  21. Dani Postado em 19/Sep/2013 às 13:55

    Acho que a autora foi além. Muito além. É óbvio que a consumidora é negra. Mas em momento algum ela mencionou isso em seu texto ou deu a entender que houve racismo, por mais que tenha sido o caso. Pode sim ter ocorrido racismo, mas como saber? Só por conta da foto de perfil da consumidora? E antes que digam algo: sim, sou negra, e realmente acho que caberia uma punição severa aos funcionários da loja em questão.

  22. bibi Postado em 19/Sep/2013 às 13:56

    Pra ser sincera, se meu filho vomita em uma loja ou em qualquer lugar eu sou a primeira a pedir um pano para limpar. Ninguém é obrigado a limpar a sujeira de meu filho, menos ainda uma coitada de uma vendedora que ganha uma miséria (já fui vendedora e sei do que estou falando). Agora, que isso não seria feito se a mãe em questão fosse branca e bem vestida, isso é verdade...

    • Roberto Postado em 05/Jan/2014 às 23:06

      cade o gerente ou a pessoa responvel da loja malwee do shoppin inerlagos -isto e decadente-e assim q tratam seus clientes consumidores em pleno seculo globalizado .eles responsavel da loja nao tomaram atitude tendo em vista o cargo que ocupam -diante da postura que a sua funcionaria lamentavelmente tomou .isto e uma vergonha-comprometendo toda empresa diante do vergonhoso episodio.isto e um tapa na cara dos seus consumidores.que isso sirva de reflexao para a malwee.Que reavejam seus principios

  23. Alex Alves Bastos Postado em 19/Sep/2013 às 14:36

    Mais educação e respeito em todos os momentos... Recomendo a leitura do texto da jornalista Silvana Mascagna: http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/silvana-mascagna/quer-casar-comigo-1.714938 E viva a gentileza sempre!

  24. Vanessa Postado em 19/Sep/2013 às 14:51

    Olá, eu entendo e compartilho da indignação da mãe e do ocorrido, mas sinceramente agora eu não entendi exatamente o que você gostaria que a loja fizesse? A loja admite que foi um erro, a loja pediu desculpas a consumidora inclusive enviando uma representante oficialmente até a casa dela para pedir desculpas, informou que suas funcionárias são treinadas para que isso não ocorra e tomara as medidas cabíveis (leia-se, provavelmente as funcionárias serão demitidas). O brinde não é um cala boca, o brinde é apenas parte da desculpas, um algo a mais que quiseram fazer. O que você, se trabalhasse na Malwee recomendaria que eles fizessem exatamente? Nenhum ´representante da marca, em hipótese alguma vai admitir a possibilidade de racismo nesse caso, porque sai da esfera cível e vai para a criminal. Também não cabe a marca oferecer dinheiro pois aparentemente não é isso que a consumidora quer, e sim uma retratação pessoal (que foi feita) uma retratação pública (que foi feita) e um compromisso que tomarão medidas (o que dizem que farão). Então o que mais? Achar que a loja admitiria racismo é um pouco delirante não acha? Se a Joyce quer que seja oferecido qualquer coisa diferente do que a loja ofereceu, então ela precisa dizer, em minha opinião, cabe retratação por danos morais, mas aí só na justiça...

  25. mari Postado em 19/Sep/2013 às 15:08

    Se estou em algum lugar e alguém vomita, mesmo tendo vontade de repetir o ato (obviamente que não propositalmente, mas convenhamos que seja de criança amarela, adulto roxo, parente cinza, ninguém fica à vontade com o vômito alheio) o mínimo que faria era oferecer ajuda, sendo eu cliente ou vendedor - é uma questão de humanidade. Agora acho descabido culpar a marca por causa da atitude do funcionário, trabalho em uma empresa em que o que não faltam são treinamentos e é simplesmente impossível compreender o comportamento humano, é difícil conduzir treinamentos para sanar falhas técnicas, quem dirá de comportamento. Na minha opinião a marca se equivocou quanto aos brindes, atribuindo um caráter de "compra" à dignidade da família.

  26. Igor Postado em 19/Sep/2013 às 15:12

    E se fosse branca? http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2013/08/1324027-oprah-diz-ter-sofrido-racismo-ao-tentar-comprar-bolsa-de-luxo-na-suica.shtml

  27. Myrna Postado em 19/Sep/2013 às 17:10

    Eu também limparia, depois de socorrer e garantir que meu filho estivesse bem. Quanto a srta. Mariana, fica uma dica 0800 pra você: Reflita antes de sair em defesa do patrão. Na dúvida, não diga nada. Tchau.

  28. João Augusto Postado em 19/Sep/2013 às 18:03

    É Fácil falar ou apontar o erro né?!!...você nem estava lá e já sai acusando a loja, porque uma mulher contou numa rede social o que supostamente aconteceu, se fazendo de vítima !...me poupe !!..você deve ser o tipo de pessoa que gosta de barraco, que sai de casa para incomodar e fazer barraco no comercio em geral. Odeio gente barraqueira !!..acham que podem tudo, que tem todos os direitos do mundo ! Não julgue se não estava lá...não tome dores que você se quer sabe !!....não estou dando razão para a loja, mas existem muitas pessoas que se fazem de vítima!.. e mais racista é você em imaginar que isso só poderia ter acontecido com uma pessoa negra, pare de perder seu tempo levantando calunias seja contra quem for...vai ler um livro, já ajudou alguém hoje ?, já ajudou um necessitado ?..não né?..deve tá aí...apontando o erro dos outros !!..Barraqueira !! ( Quem publicou esta matéria)

  29. Joao Batista Postado em 19/Sep/2013 às 19:55

    Se eu trabalho para o governo federal e no execício da minha função sou racista com uma pessoa... Quero ver qual de vocês vai processar o ESTADO... e mais, dos que processarem, quantos vão ganhar?!?! nenhunzinho sequer.

  30. MARIA Postado em 19/Sep/2013 às 22:20

    SINTO NOJO DESSA ATITUDE.......MALWEE NUNCA MAIS...!

  31. Danilo Postado em 19/Sep/2013 às 22:54

    Vish, meu comentário foi "rejeitado", só um alerta para um dos comentários. Já prestei serviço na área de TI da Abril e já teve caso de racismo sim!. Quanto maior a quantidade de funcionários maior a chance de ter algum crime envolvido, não só racsita, discurssão violenta, drogas, roubo (já vi roubarem um celular na empresa Wickbold) e outras coisas..., não sei pois não trabalho na Malwee, mas isso parece um funcionário delinquente, a empresa acaba respondendo porque é um funcionário dela, mas não confundam as coisas. Só porque o funcionário x é racista, não significa que a empresa x também seja e antes de virem postando que a sua empresa é tudo de bom investiguem na "rádio peão" (fofocas e boatos) sobre os podres da empresa.

  32. Lucas Postado em 20/Sep/2013 às 02:22

    Eu já trabalhei em comércio e já passei por uma situação muito parecida, mas no meu caso faltou algo que não me deixou fazer como a vendedora da Malwee fez. Não acho, é responsabilidade sim do responsável pela criança fazer a limpeza da sujeira. É muito fácil apedrejar a "maldita da vendedora racista", afinal quem é ela? Ela deveria se colocar no lugar dela e assumir uma postura adequada para a função que exerce, que é de subserviência e limpar a cagada do filho dos outros? Acho que não. O erro da empresa na minha opinião, foi de tentar comprar a cliente com intuito de amenizar a atitude da vendedora que não se curvou ao cliente.

  33. Julio Roman Postado em 20/Sep/2013 às 11:22

    Para que entendam melhor a situação: o descaso e humilhação não ficaram restritos a loja de Interlagos. A senhora que sofreu tudo isso fez uma reclamação no site Reclame Aqui. Segue o link: http://www.reclameaqui.com.br/6401934/malwee/pessimo-atendimento-e-descaso/ Gostaria que todos lessem o TOM da resposta OFICIAL da Malwee... Essa resposta não pode ser individualizada e atribuida apenas ao digitador de defecou nas teclas no momento em que enviou a resposta. Foi a Malwee como empresa que respondeu, oficialmente. Fica claro como a neve o desrespeito com o consumidor.

  34. Valquiria Postado em 20/Sep/2013 às 11:30

    Antes quero deixar claro que sou negra e tenho orgulho disso. Lendo a matéria e alguns comentários resolvi expor o meu ponto de vista sobre o ocorrido. Essa situação ao meu ver foi constrangedora para todos os envolvidos, sejam eles clientes e vendedores. Independente da cor (raça) do ser humano limpar vomito alheio não é agradavel para ninguem. E se há alguém aqui que faria o serviço rindo, se apresente por favor. Aqui foi falado de empatia, alguém tentou se colocar no lugar da vendedora, alguém sabe os motivos que há levaram fazer oq fez? Por mais que pareça não estou defendendo ninguém. Só acho que para julgarmos uma situação teriamos que ter mais informações do que uma reportagem vaga como esta. Aqui não ficou registrado se foi oferecido apoio a criança a qual as pessoas deveriam se importar. Não fala se os vendedores da loja se importaram em socorrer, (saber se ela esta bem, se precisa de um auxilio médico em fim...) Espero realmente que a revolta geral seja por esse motivo a falta de sensibilidade em um momento que se exigia isso. O que devemos priorizar é o ser humano.

  35. Thiago Teixeira Postado em 20/Sep/2013 às 12:22

    Vamos aos fatos, a criança vomitou, ai ... : 1- Limpou a boquinha da filha e foi saindo de fininho? 2- Se preocupou e disse: Moça (vendedora), dá um balde que eu limpo! 3- Nossa, quer que eu chamo o pessoal da limpeza? 4- Ai que mico, o que que eu faço moça? Para cada atitude há uma ação, eu acho que nesse caso, como a moça é Negra (eu também sou), quer posar de superior, se acha intelectual e contextualizada, metida, deve ter praticado a opção 1 e deu no que deu.

    • Line Postado em 27/Sep/2013 às 09:38

      Não duvido q tenha sido isso mesmo.

  36. Renata Maia Postado em 20/Sep/2013 às 19:16

    na minha opinião, a loja deveria entrar em contato com a vítima e perguntar qual a melhor solução, quem já sofreu tanto na vida ( com certeza não foi a primeira vez q sofreu racismo/preconceito) as vezes só quer mesmo um pedido de desculpas, sincero. Eu falo por mim, não sou negra, mas já passei por situações horríveis, onde um "processo judicial" me deixaria com mais dinheiro, porém eu realmente queria que a pessoa pensasse, tivesse consciência do que ela fez e não fizesse de novo por que não acha justo, não pq ela vai perder algum dinheiro.

  37. Cristian Favaro Postado em 20/Sep/2013 às 20:44

    Foi realmente incrível... Fico imaginando a situação que essa mulher passou. Mas desculpe... O que mais queriam que a empresa fizesse? OU melhor: o que queriam que a assessoria fizesse além do pedido de desculpas e dos brindes? Pagar uma indenização milionária?Por favor, neh. E achei a nota da empresa mais do que correta. Pediu desculpas... O que mais eles poderiam fazer? Com relação a funcionária... Claro que ela não vai ficar muito tempo no trabalho.

  38. Joao Postado em 20/Sep/2013 às 22:58

    "se esta mãe fosse branca a vassoura jamais lhe seria apresentada". Ops, parece que você está redondamente enganada. Se nesse caso foi racismo, no caso abaixo foi o que? Brancofobia? http://tnonline.com.br/noticias/economia/34,29415,25,06,crianca-faz-xixi-em-loja-e-mae-e-obrigada-a-limpar-tapete.shtml Não associe tudo de ruim que acontece com negros de racismo. Acorde pro mundo. Não são só os negros que sofrem com ignorância alheia.

  39. Ana Postado em 20/Sep/2013 às 22:59

    Acho tudo isso muito sem noção.Falta de tato e de educação da vendedora,mas racismo?acho que com uma mulher "branca" teria sido a mesmíssima coisa.

  40. Monize Bello Postado em 21/Sep/2013 às 15:26

    Você realmente acredita que não comprar vai mudar toda uma mentalidade cultural exercida há séculos? Preconceito é segregação. Também fiquei chocada. Porém, não consumir não vai mudar grandes paradigmas sociais. Por fim, qual é a próxima empresa eticamente correta correta para o consumo? Uma exclusão não implica necessariamente em uma inclusão. Somente repetição nos padrões.

  41. Jorge Postado em 12/Oct/2013 às 07:00

    jà nao sei mais quantas vezes tenho lido sobre essa materia, mas levo para frente a ideia de que "racismo" foi mesmo...seja atravez da atitude, seja por outros motivos. Nao tem divida...o simple fato de desrespeitar uma pessoa de tao jeito nao encontra outra explicaçao. Nao ter respeito pode dar origem a outras màs atitudes. Saber o que è RESPEITO leva para bem longe do RACISMO. DESRESPEITO tem o RACISMO como sinonimo...

  42. dils santos Postado em 18/Oct/2013 às 09:03

    tragico!!!! aos poucos a gente vai vendo e percebendo que quase todas as grifes !brancas tem essa atitude imoral,insana contra futuros compradores e o que eles ganha com isso e que QUASE ninguem vai preso,processado,essa turma ja age sabendo os fins

  43. Simaura Postado em 20/Oct/2013 às 09:39

    Tudo o que for fazer a um negro tem que ter muito cuidado pois, para eles tudo é racismo. A funcionária devia ter sido mandada embora pois, é sem educação, preguiçosa e mal educada. No entanto a rede não é culpada por um funcionário, no entanto se esta pessoa fosse branca, teria passado apenas por desculpas e ponto.

  44. Loren Postado em 14/Nov/2013 às 19:18

    É triste como algumas pessoas se recusam a aceitar que o Brasil é um país preconceituoso. O racismo existe e não é invenção de "preto", é só procurar casos desse tipo, negros que são mortos por engano pela polícia ... O preconceito não é só com os negros, mas com os gordos, pobres, gente que se veste mal. Pura ignorância, pois o essencial não é visível aos olhos, decência, honestidade, tudo isso não é visto através da aparência, é aí que muita gente quebra a cara. Só lamento a burrice desse povo que julga sem conhecer, julga por um pouco mais de melanina, espero que um dia vocês se tornem humanos.

  45. Rogerio Postado em 20/Nov/2013 às 18:31

    Sei lá não tem ninguém inocente aí .... Quando ela aceitou a vassoura....ela devia ter chamado a polícia que não serve pra nada almenos ia tumultuar...sou de cor meu pai e somos descriminado por não ter dinheiro mas nunca aceitarão uma umilhacao desta...sou rápido em dar resposta rssssss fui criado assim quer respeito de respeito....

  46. natália Postado em 26/Dec/2013 às 08:48

    queria compartilhar pessoas eu era funcionaria desta empresa me senti muito injustiçada,o tratamento dado,vindo de uma cordenadora é muito abusivo,ja estava la a mais de dois anos,passei um ano e oito meses sem faltar,ate mesmo doente eu ia trabalhar,e porq os medicos da cidade e das cidades visinhas afirmavam que as empresas não queriam que fosse dado atestados medicos,eu estava com febre,vomitando,dor de cabeça sintomas de dengue e tudo que conseguia era declaração,e quando chegava lá era humilhada era tirado o descaso,isso não acontecia só comigo mas com minhas companheiras de trabalho,meu pai morreu em março e um mes depois minha mãe descobre ter câncer no seio foi retirado e ela ainda passou por uma segunda sirurgiae agora esta fazendo tratamento isso,abate qualquer pessoa tive problemas de saude estou fazendo tratamento para depressão,queria que os donos da malwee tomassem conhecimento disso mas é quase impossivel não tenho como falar diretamente com com eles,e ainda tem mais não podemos entregar atestado indo no transporte da empresa isso foi proibido para dificultar que as pessoas entrega assim perdão o dia que seria seu por direito,os transporte não são de boa qualidade,as pessoas que vem da matriz tem transporte diferenciado com ar condicionado,tv e vai pegar na porta de casa,pedil pra sair porque la é assim tem que pedir e perder os direitos eles mexem com o psicologico das pessoas ate elas pedirem pra sair,estou sem dinheiro passei fome,muito dificil o dinheiro serviria para comprar um carro pra levar minha mãe para o tratamento ja que ela anda 65 kilometros para chegar em fortaleza,mas tive que pedir pra sair fique sem dinheiro pra nada e vai de condução e no foi so eu que passou por maus momentos tem mais pessoas,queria que muitas pessoas lesem essa História la não é gostoso como um abraço,é muito mas dolorido do que uma tapa,queria que estou me sentindo muito injustiçada mesmo tendo sido uma boa fucionaria perdil meus direitos,isso de medicos falarem que empresas falam que não é para da atestados medicos quando o funcionario estiver doente deveria ser envestigado.

  47. VIVIANE DE MELO Postado em 06/Jan/2014 às 17:03

    COM CERTEZA É UM ABSORDO ISSO TENHO UMA CRIANÇA DE 3 ANOS NAO JUSTIFICA O OCORRIDO COLOCANDO CULPA EM RH,SE NESSE CASO ACONTECECE COMIGO EU AJUDARIA ,COM ELA DEVERIA TER FEITO COM CHAMADO TAMBEM EMERGENCIA E CHAMANDO O DEPÁRTAMENTO RESPONSAVEL PELA LIMPEZA,ISSO NAO É TREINAMENTO É CARACTER ,EDUCAÇAO E COLOCAR IMPATIA NO LUGAR SE DANE DINHEIRO ,O QUE VALE A A HONESTIDADE,SERVIÇO TEM MUITOS EDUCAÇAO VEM DE CASA...

  48. Revolution Postado em 21/Feb/2014 às 21:50

    A vendedora não tem obrigação de limpar sujeira dos outros.

  49. erica Postado em 23/Apr/2014 às 14:02

    Mas se isso acontece comigo eu vou em cima da vendedora e dou na cara dessa vagabunda ,EU SOU NEGRA E MEU ESPOSO TAMBÉM MAS NEM POR ISSO EU DEIXO NINGUÉM ME HUMILHAR NÃO. Eu quero que isso aconteça comigo que ela vai ver do que uma negra nervosa é capaz.

  50. maria Postado em 19/Jul/2014 às 00:38

    Sou zeladora em uma escola e ja tive que limpar vomitos e fezes de alunos ate mesmo em pleno horario de aula. Acho que os negros sao a raca mais racista e fazem sensacionalismo por tudo. Contudo, concordo que se a cliente fosse uma branquela a atitude seria outra, concordo tambem que a empresa nao pode ser responsabilizada e difamada pela atitude desprovida de educacao ds funcionaria, na minha opiniao quem sugeriu que a negra limpasse o chao deveria ser demitido para dar exemplo aos demais.

O e-mail não será publicado.