Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 04/Sep/2013 às 11:51
29
Comentários
Revista Babel

10 maneiras infalíveis de criminalizar a medicina cubana

Para facilitar a vida dos que combatem a chegada dos médicos cubanos com “isenção política e ideológica”, confira algumas dicas para criminalizar esses profissionais de saúde

Mário Bentes*, Revista Babel

Nota do editor: caso você seja contra o programa “Mais Médicos”, mas sua linha de raciocínio passe longe dos itens listados a seguir, então esse texto não é pra você.

medicina cubana brasil
Médicas brasileiras rejeitam chegada de cubanos

Para facilitar a sua vida, amigos reacionários que combatem, sem “visões políticas e ideológicas”, a vinda de médicos cubanos ao Brasil – ainda que, whatever, não sejam apenas cubanos –, elenco aqui algumas dicas infalíveis para criminalizar a chegada dessas pessoas e também ao seu país. Para cada dica, também apresentamos os riscos de contraprova e os caminhos para contorná-las. Tudo simples e superficial, como suas mentes.

1. Acuse os médicos cubanos envolvidos nas missões internacionais de serem “guerrilheiros comunistas” enviados ao Brasil para fazer propaganda ideológica. Se a pecha não colar, já que os 132 mil médicos cubanos enviados a 102 países pelas missões internacionais não converteram nenhuma dessas nações, que continuam capitalistas (ufa!), tente ser pragmático para esconder sua paranoia reacionária e direitista – mas sempre desprovida de ideologias, claro.

2. Colete dados de blogs aleatórios, principalmente daqueles anti-comunistas disfarçados, mesmo que eles não apresentem fontes confiáveis, para sustentar sua tese (agora aparentemente desprovida de pretensões ideológicas) de que a medicina cubana não presta. Que a ilha está mergulhada em doenças erradicadas até em Serra Leoa e que… enfim, a medicina cubana não presta, fim.

Caso apareçam notícias de que a Organização Mundial da Saúde (OMS) não apenas aprove, mas recomende o modelo médico cubano para o resto do mundo, faça vista grossa. Afinal, a OMS está cheia de comunistas. Mesma tática deve ser feita se a Organização das Nações Unidas (ONU) reconhecer o modelo clínico cubano de atenção a saúde básica. A ONU foi cooptada pelos rios de dinheiro castrista.

3. Mate o mensageiro antes que ele dê a mensagem. Para evitar que qualquer nova notícia incômoda, com aqueles chatos dados e números comprovados, venha a derrubar sua tese, bata sempre na mesma tecla: qualquer notícia favorável ao “regime comunista dos irmãos Castro” só pode ser propaganda oficial do governo. OMS achou a medicina cubana exemplar? Propaganda oficial do governo. ONU também? Propaganda oficial do governo. Nenhum dos mais de 100 países em todo o planeta nunca reclamaram do trabalho dos comunistas? Propaganda oficial do governo.

Leia também: os 40 mandamentos do reacionário perfeito

4. Não dê atenção a mentiras disseminadas pela propaganda oficial do governo, como “Cuba avança na prevenção e combate ao câncer com investimento em biotecnologia, afirma OMS”, ainda que esteja no site da ONU e ainda que quem afirme seja a OMS. Afinal, esses “médicos” de pele escura, com cara de empregadas domésticas, que não se impõem pela aparência, jamais poderiam ser médicos – que dirá bons médicos. Tudo mentira castro-comunista.

5. Coma pelas beiradas e adote argumentos serenos, como a exigência do Revalida para os cubanos. Ops, para qualquer médico estrangeiro. Evite fazer o que fizeram alguns médicos cearenses, que vaiaram a chegada dos cubanos no aeroporto (ainda que você tenha vibrado com isso). Afinal, sua luta é contra o governo do PT, que quer implantar a ditadura comunista no Brasil.

Se notícias antigas mostrarem que a vinda de cubanos era festejada, inclusive pela revista Veja, quando o presidente era o Fernando Henrique Cardoso e o ministro da saúde o José Serra – ambos do PSDB –, também faça vista grossa. No máximo, diga que “o contexto era outro”.

6. Diga que, nos moldes como está sendo feita, a contratação dos cubanos representa “escravidão” – já que o repasse do pagamento será feito direto ao governo comunista. Use palavras e expressões prolixas pro que você está acostumado, ainda que lembrem discursos de esquerda (risos), como “atentado às leis trabalhistas”, “exploração de mão-de-obra” e similares. Tudo bem que você nunca se importou com “escravidão” enquanto comprava suas roupas na Zara ou na Le Lis Blanc, ou quando foi contra a regulamentação do trabalho das domésticas. Mas agora é uma boa hora para mudar, não é mesmo? (quando a poeira baixar, volte a deixar o assunto de lado)

Leia também

7. Não se desespere se pintar alguma notícia de que os cubanos têm aparecido nos primeiros lugares no Revalida em edições recentes do exame, como 2011 e 2012. Afinal, a Escola Latino-Americana de Cuba (Elam), ainda que seja reconhecida por órgãos internacionais pela boa formação médica, é uma escola de formação marxista cultural. Fazer vista grossa é preciso. Se você não conheceu, nada aconteceu.

8. Procure notícias que sustentem sua tese. Exemplo: uma que diga que algumas prefeituras do interior têm o interesse de mandar embora os médicos brasileiros que já estão contratados para trocar por profissionais cubanos (mais em conta, afinal são escravos). Não importa se a safadeza é da prefeitura cujo prefeito você nem se interessa em saber de qual partido é. Não importa se o Ministério da Saúde já havia advertido aos espertalhões, quase dois meses antes, que essa troca não poderia ser feita e que demissões indevidas seriam punidas com o cancelamento dos repasses. Não importa se o jornal que publicou a notícia omitiu deliberadamente essa informação. Compartilhe e notícia e use-a como bandeira. Se o desmentido começar a circular, ignore.

9. Use como suas as palavras dos presidentes de organizações de classe, em especial a de que a formação médica em Cuba é insuficiente e que o currículo não é adequado ao nosso país. Ignore solenemente se algum líder da revolta tenha filhos formados na ilha comunista e que, inclusive, exercem a profissão no país. Se perguntarem, diga que os tais filhos do presidente seguiram o caminho correto e, depois de se formar na atrasada ilha, voltaram ao Brasil e fizeram o Revalida – onde tiveram que reaprender a medicina (nesse caso, continue repetindo o item 7).

10. Se nada mais der certo, e as notícias com fontes de credibilidade continuarem a circular e as notícias de fonte duvidosa serem desmentidas, pare por um momento, respire fundo e tome uma atitude ousada e corajosa: volte ao primeiro passo. Mesmo que haja dados suficientes para negar essas tolices de “guerrilheiros comunistas”, repita o processo sempre que alguém permitir.

*Mário Bentes é jornalista, escritor e fotógrafo.

Recomendados para você

Comentários

  1. Lana Postado em 04/Sep/2013 às 12:38

    Só rindo... ah, Cuba não é um regime Comunista e sim Socialista!

    • Gabriela Postado em 04/Sep/2013 às 16:58

      Comunismo=Socialismo... só rindo MESMO

      • Marta Postado em 05/Sep/2013 às 23:22

        não é não

      • Osmar Postado em 27/Sep/2013 às 07:56

        Não É uhauhauha, foi pagar de espertinha e se f#$*#

  2. Ricardo Duarte Jr Postado em 04/Sep/2013 às 12:58

    Argumentação idiota. Há um sistema jurídico vigente. E os fins não justificam os meios. Para se trazer os médicos, deve-se observar o ordenamento jurídico. O texto acima quer dizer que aqueles que são contra os meios utilizados para trazer os médicos cubanos estão imersos em questões ideológicas. E quem elaborou o texto? Dá forma como foi colocado, quem não concordar com tais médicos é reacionário. Idiotice! Argumento do totalitário. Segue abaixo meu comentário sobre a situação no Facebook "Nunca fui contra a chegada de médicos estrangeiros, desde que haja a observância do nosso sistema jurídico. Temos extrema necessidade de médicos em algumas localidades, principalmente naquelas áreas em que há pouco ou quase nenhum médico brasileiro. Se há uma necessidade e há a possibilidade de suprir isso com médicos externos, que venham. No entanto, entendo que isso deve ser realizado de acordo com o sistema jurídico vigente, sem “arquiteturas jurídicas” para acomodar determinada posição ou ideologia. E isso implica dizer que: 1) Quanto à necessidade de revalidação. Inicialmente, eu era a favor da obrigatoriedade da revalidação. Mas a partir de uma discussão com meu querido professor Fabiano Mendonça , percebi que não observei a medida provisória que institui o programa mais médicos. Apesar de não ter sido especificamente essa a observação do professor, eu entendo no sentido de que a necessidade de revalidação, exigência legal, foi relativizada, nessa situação específica, por essa Medida Provisória, que tem validade de 120 dias (60 dias, mais prorrogação por igual período). Caso não haja a conversão dessa MP em lei, a possibilidade dos médicos estrangeiros exercerem a profissão no Brasil se extingue em virtude de um requisito básico para tal atuação: o diploma válido em território nacional. 2) Minha segunda observação é quanto à questão salarial. Caso os médicos queiram vir ao Brasil para trabalhar por solidariedade ou humanismo, isso é algo pessoal do médico. O governo brasileiro deve pagar o salário de acordo com o sistema trabalhista brasileiro, e caso o MÉDICO não queira o salário, que receba e doe a quem quiser e achar pertinente. O que não pode é o salário ser pago ao governo cubano e este decidir quanto deve repassar ao médico, sob a análise do desse governo de quanto o médico deve receber, em flagrante afronta aos direitos trabalhistas previstos constitucionalmente. Não pode uma negociação entre o Estado brasileiro e o cubano ficar acima de direitos trabalhistas nacionais, com base na constituição. Da forma em que está, há a possibilidade de o governo brasileiro assumir em massa a responsabilidade pela inadimplência dos direitos trabalhistas referentes a esses médicos (Súmula 331, V, do TST). Segundo meu querido amigo e professor de direito do trabalho Humberto Lucena , há uma evidente inconstitucionalidade nessa forma de remuneração salarial pelos seguintes motivos: a) Não há previsão nem autorização constitucional para o Brasil atuar como um tomador de serviços perante uma pessoa jurídica de direito público externo; b) O que há, nesse caso, é uma “quarteirização”, o que é ilícita, pois acaba por tornar precário a relação jurídica estatutária, transformando-a em relação empregatícia, em hipóteses que não são possíveis (atividades meio) e, assim, excepcionar a regra do concurso público em situações não previstas nem possíveis. c) Isso pode aparentar, ainda, uma intermediação de mão-de-obra por meio de cooperativas (conhecidas por fraudoperativas, na maioria das vezes), com o objetivo de desviar ou fragilizar a relação jurídica real (celetista ou estatutária) em nome de uma formalização cível ou de outra natureza (na maioria das vezes sob a pecha de boa intenção). E isso é algo extremamente combatido, nos últimos anos, tanto pela JT quanto pelo MPT e MTE. Apesar disso, nada justifica as agressões que os médicos cubanos vêm sofrendo. Isso é lamentável e vergonhoso. Se qualquer pessoa ou classe quiser fazer alguma manifestação, que o faça perante o governo brasileiro, o responsável pela situação. Os médicos cubanos apenas agarraram uma oportunidade, seja por melhoria de vida, ideal ou solidariedade; e merecem respeito"

    • MArcos Garcia Neto Postado em 11/Sep/2013 às 14:39

      Finalmente um comentário inteligente. Sempre falei isso. Tragam médicos, enfermeiros, veterinários, o que quiserem, mas NÃO violem a lei e nem a soberania nacional. Cade o revalida? Cade o regime trabalhista brasileiro? Tudo bem trazer médicos, mas da forma como foi feito é absolutamente ilegal. O triste é que políticos tentam desviar a discussão para o campo ideológico (cuba, preconceitos etc) e as pessoas caem nessa.

  3. Gustavo Postado em 04/Sep/2013 às 13:31

    Por que se esquivou da necessidade de médicos estrangeiros, inclusive os cubanos, de fazer o revalida? Esse é um assunto que deve sim ser tratado, e de forma séria, não utilizando-se de auxese para ridicularizar uma discussão tão importante.

    • Therezinha Postado em 06/Sep/2013 às 04:39

      Tá na hora dos médicos brasileiros fazerem o Revalida, obrigatório, e se não passar não clinica. Vão estudar mais e fazer novo exame!!! Exemplo da OAB!!! E fazer o Revalida do jeito que esta, sem mudar nada, nem facilitar!!! Quem tem passado no Revalida são os cubanos, 2011 e 20012!!!

  4. Carlos Postado em 04/Sep/2013 às 14:00

    São cubanos da Ilha dos Castros e do Che! Falar mais o que? ____________________________________________________________ Esse pessoal não tem a mínima vontade de pensar no país. Só olham a bandeira do partido que promove a ação para já expressar uma opinião, que será fortalecida com "argumentos" dos seus meios de informação. Nada estará bom. A curto prazo é necessário médicos em regiões carentes. E não podemos obrigar a qualquer um ir até lá e prestar serviços voluntários. Há quem vá querer e irá, mas outros colocarão muitas outra prioridades na balança e decidirão não ir. Tudo bem, é natural esta reação. Porém se os médicos são necessários e tem quem queira ajudar porque vem de um sistema com esta visão e trabalha exatamente com isto, para que impedi-los? E no Brasil temos esta mentalidade de ficar na nossa zona de conforto, de não investir além do que todos fazem. As pessoas não querem sair dos grandes centros e criar a infraestrutura no interior do Brasil. Nos EUA tivemos o desbravamento do extremo oeste, no Brasil aos pouco vamos conseguindo sair de algumas vilas no litoral.

    • Rick Postado em 13/Sep/2013 às 13:58

      Se os caras são voluntários, então o Brasil não precisa pagar o salário deles. Sejam bem vindos samaritanos cubanos, precisamos da caridade de vocês, ser uma das 8 maiores economias do mundo não nos permite investir em saúde, educação, segurança e tudo o mais. Nosso mercado nacional de profissionais é uma porcaria, precisamos testar todos eles depois que saem da faculdade, por hora só a OAB faz questão disso, mas em breve testaremos também os médicos, pedagogos, engenheiros, físicos, e qualquer outro graduado no Brasil, afinal a função de fiscalização do ministério da educação já foi esquecida há anos. Estamos contentes com migalhas de direitos, e nossa cota de direitos está sendo reduzida e aplaudida pelos politizados, FHC começou, Lula criticou, mas quando chegou ao poder continuou no mesmo caminho. Dilma está na extensão. Comemorem cada migalha, elas estão acabando.

  5. Érika Postado em 04/Sep/2013 às 14:31

    Hahahahahaha! Excelente !!!!!! Adorei o senso de humor do autor, embora seja um tanto quanto deprimente saber que tem gente nesse nosso querido país que veste exatamente o modelito do personagem satirizado pelo autor! Coitados dos corporativistas, dos "bacanas de jaleco"!!!!! É triste! Li outro dia que um país que tem uma classe médica patrimonialista como a brasileira, faz sentido ter um eleitorado que colocou em Brasília os Donadons da vida! Pensando bem, faz mesmo sentido!!!!

  6. Gustavo Postado em 04/Sep/2013 às 14:57

    E vocês que sempre lutaram pelos direitos trabalhistas, vão aceitar uma situação dessas? Os médicos ficarão aquartelados e serão vigiados, sem direito a liberdade! Acham justo?

    • André Postado em 05/Sep/2013 às 20:13

      Leia o número 6 novamente. Na verdade, leia tudo de novo...

  7. Victoria Postado em 04/Sep/2013 às 15:01

    Uma dica para quem vai seguir o conselho número 2: leia o blog do Reinaldo Azevedo, é perfeito! [ironia]

    • Elizabeth Postado em 05/Sep/2013 às 11:03

      Este cara nao e confiável

  8. Irene Postado em 04/Sep/2013 às 15:28

    Seria bom que os médicos daqui também fizessem esse exame, como os advogados fazem o da OAB, aí sim, íamos ver como eles saem da faculdade. Tem ótimas faculdades no Brasil, mas também tem umas que ficam só na teoria, e depende muito do aluno se empenhar e ser bom.

  9. Victoria Postado em 04/Sep/2013 às 15:58

    Há um tempo atrás li um post dele (Azevedo) destruindo os números fornecidos por Cuba à ONU e à OMS...seria cômico se não fosse trágico...as pessoas nos comentários agradecem pelo "esclarecimento" e o chamam de Rei (obviamente, em sentido duplo)

  10. Rose Postado em 04/Sep/2013 às 16:41

    Acreditem outro dia li um comentário que dizia assim : "Caso eu tenha um mal súbito e precise de atendimento de emergência posso me recusar a ser atendido por um médico cubano ? " Não costumo alimentar trol mas não me contive: Claro amigo apartidário ( todo reaça é apartidário ) há pessoas que não fazem nenhuma falta no mundo.

    • Rodrigo Postado em 04/Sep/2013 às 18:39

      Perfeito!

    • Marcelo Postado em 04/Sep/2013 às 21:44

      O mal súbito a que ele se referiu é a tal da burrice.

  11. Victoria Postado em 04/Sep/2013 às 18:11

    Se ele tiver um mal súbito, provavelmente vai morrer, no mínimo vai estar inconsciente, não vai poder escolher o médico...

  12. Fabiano Postado em 04/Sep/2013 às 18:28

    E se depois do mal súbito ele acordar e souber que uma médica cubana que ele achava parecida com a faxineira do hospital salvou a vida dele, o que vai fazer? Cometer suicídio?

  13. Erani Deschk. Postado em 04/Sep/2013 às 19:12

    Já trabalhei em saúde pública, falta tudo... Porém não importa qual raça é o médico brasileiro ou cubano, muito bom ou ruim. Escutar a dor do paciente não cura a doença, é preciso exames complementares, etc,. O sistema único de saúde SUS precisa muito melhorar, o governo precisa ajudar. Sem verbas e sem condições de trabalho nem um mágico consegue salvar a população. Acorda povo, preste atenção nos políticos. Ano que vem tem eleição...

    • André Postado em 05/Sep/2013 às 20:14

      "Raça"?????????????

    • Waldemir Postado em 06/Sep/2013 às 12:06

      Mas que, pelo menos, tenha um médico lá reclamando e solicitando material, e não apenas um ponto batido e uma fila de pacientes remarcando consultas.

  14. Célio Postado em 05/Sep/2013 às 23:20

    No Brasil tem médico? Agora sim mas não são brasileiros.

  15. Paulo Masato Sumitomo Postado em 06/Sep/2013 às 02:03

    Médicas patricinhas, não entenderam nada do que acontece com a saúde no País. O Brasil necessita de assistência básica em todo o território nacional, onde carecem de profissionais da saúde para a prática de prevenção, de medicina básica, e os casos mais graves seriam encaminhados às cidades maiores , mais estruturados para tal. No entanto, ao invés de atacar e criticar médicos estrangeiros, seria mais humano e coerente ajudar esses colegas de trabalho. Deveriam estar honradas com a presença deles, deveriam aprender com eles, pois têm muita experiência em locais de extrema pobreza, onde vocês, as patricinhas, nem sonham em trabalhar. Os médicos estrangeiros estão em locais onde vocês, patricinhas, não querem estar nem trabalhar!

  16. Andre Postado em 16/Apr/2014 às 17:35

    Este lixo de site chapa branca não consegue sequer um bom número de comentários a favor de sua mal disfarçada linha político-partidária. Os dias desses esquerdopatas estão contados...

  17. Nicolau Postado em 20/Nov/2014 às 10:30

    Artigo acima escrito por um Neo-Burguês Socialista Subdesenvolvido que nem quer viver em Cuba terceoromundista!