Redação Pragmatismo
Compartilhar
Corrupção 27/Jun/2013 às 21:27
7
Comentários

Demóstenes Torres ganha R$ 24 mil sem precisar trabalhar

Farra no Ministério Público. Ex-senador cassado por corrupção, Demóstenes Torres ganha R$ 24 mil para responder processo sem trabalhar

demóstenes torres salário ministério público

Demóstenes Torres continua recebendo R$ 24 mil mensais do Ministério Público sem fazer nada (Foto: Agência Senado)

Em meio a protestos nas ruas contra corrupção, privilégios e campanha contra a PEC-37, o Ministério Público de Goiás finalmente denunciou à Justiça o ex-senador e ainda procurador Demóstenes Torres (ex-DEM) por vários crimes, junto com o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Paradoxalmente, Demóstenes Torres continua no cargo de promotor do próprio Ministério Público de Goiás, recebendo um salário bruto de R$ 24.117,62 mil por mês. Apenas para não trabalhar, já que está afastado enquanto responde a processos internos.

Seus colegas procuradores goianos, constrangidos, tentaram suspendê-lo em definitivo, mas o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) considerou o cargo vitalício, e o tem mantido afastado, sem perder o salário.

A Polícia Federal passou um ano e três meses investigando o que resultou na Operação Monte Carlo, e entregou o relatório e as provas colhidas ao Ministério Público para denunciar. A denúncia do MP acontece um ano e cinco meses depois da operação deflagrada e ainda tem de ser aceita por um juiz para o processo começar a tramitar.

Leia também

O MP de Goiás declarou que apurou fatos, como o recebimento de R$ 5,1 milhões em dinheiro indevido por Demóstenes, além de outras vantagens indevidas, como presentes de alto valor e viagens.

Atualmente, um grande número de policiais defende a PEC 37, que dá só a eles a incumbência da investigação criminal. O Ministério Público é contra. Juristas se dividem, com muitos considerando que quem denuncia não tem isenção para investigar imparcialmente, e o acúmulo das duas funções deixaria poderes demais na mão de um órgão sem ter quem o controle.

Note-se também: os policiais civis e federais tem trinta dias de férias por ano, e ganham menos. Os procuradores do MP tem férias de sessenta dias e ganham mais.

Enquanto essa discussão acontece, pelo menos a instituição Ministério Público poderia reformar seus estatutos para o contribuinte não ter de pagar um salário de R$ 24 mil para um procurador, afastado por corrupção, ficar sem trabalhar.

Helena Stephanowitz, Rede Brasil Atual

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. fernanda Postado em 27/Jun/2013 às 23:21

    Diante da farra da privataria tucana, este aí ganhando cinco milhões e uns presentinhos se vendeu barato...

  2. Dinio Postado em 27/Jun/2013 às 23:39

    Dá pena ver tanta gente bem intencionada, servindo de degrau de escada para bandido. Culmiinando com o "mor" ocupando uma cadeira, onde deveria ser estimulado a cultura e a história do país. Me vem a imagem do filme "The Wall" do "Pink Floid", todos marchando para uma máquina de moer carne. QUE SAUDADES DO ROCK AND ROLL !!!

  3. Eu Postado em 28/Jun/2013 às 16:17

    COVARDIA COM O POVO ISSO PARECE FILME DE TERROR ATE QUANDO TEREMOS QUE SUPORTAR ESTA FARRA POLITICA UM PAIS QUE TEM TUDO PARA SER DE PRIMEIRO MUNDO VERGONHA E DE DAR NOJO LASTIMA.

  4. renato Postado em 07/Aug/2013 às 19:45

    Disem que Goiais é um Paraíso, por que será?