Luis Soares
Colunista
Justiça 29/May/2013 às 19:24
3
Comentários

Sumiu – STF tira do ar informações sobre mordomias aéreas

STF tira do ar dados sobre viagens. A medida foi tomada após a descoberta de que a corte pagou R$ 608 mil em passagens de 1ª classe para mulheres de ministros

stf viagens aéreas

Após série de denúncias, STF tira do ar informações sobre mordomias aéreas de mulheres de ministros (Reprodução / Página STF)

O site oficial do Supremo Tribunal Federal retirou do ar as informações referentes aos gastos da corte com passagens aéreas. A medida foi tomada após a descoberta, pelo jornal O Estado de S.Paulo, de que o Supremo gastou 608 mil reais com viagens das mulheres dos ministros do STF que acompanhavam os maridos entre 2009 e 2012.

Os dados estavam disponibilizados neste link: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verTexto.asp?servico=transparenciaPassagens

De acordo com o Supremo, as informações foram retiradas temporariamente do portal “devido a inconsistências encontradas nos dados anteriormente divulgados”.

Quem conseguiu acessar os dados antes da retirada descobriu que, dos 608 mil reais gastos com as mulheres dos ministros, 437 mil custearam viagens de Guiomar Feitosa de Albuquerque Ferreira Mendes, esposa do ministro Gilmar Mendes. Entre 2009 e 2011, ela acompanhou o marido 20 vezes ao exterior, gasto médio de quase 22 mil reais por viagem – em 2012, não há registro de viagens dela.

Leia também

O ato interno citado pelo STF como fundamento legal para o gasto com as passagens também respalda que elas sejam de primeira classe.

Auditor-fiscal, o deputado Amauri Teixeira (PT-BA) acredita que um ato interno não serve como justificativa. Por isso, reforçou a CartaCapital que, na próxima terça-feira, encaminhará representações ao Tribunal de Contas da União (TCU), ao Conselho Nacional de Justiça e à Procuradoria Geral da República com pedidos de investigações sobre o assunto e cobrem a eventual devolução do dinheiro.

“Em vez de tomar providências, o Supremo, que é o órgão de controle de todos os órgãos, pura e simplesmente tira as informações do ar diante de um ato questionável”, disse o deputado.

Para Teixeira, a retirada das informações apenas reforça a ideia de que o Judiciário tem dificuldade em prestar contas de seus gastos à sociedade. Ele disse que os dados sobre as viagens estão salvas em um arquivo e serão anexadas nas representações.

Segundo o STF, “as informações serão novamente disponibilizadas assim que revisadas”.

CartaCapital

Posts relacionados

Comentários

  1. Anselmo Postado em 29/May/2013 às 20:00

    câncer do pais! Extirpar é pouco.

  2. Brasil deixa de ser lanterna dos Brics e fica atrás apenas da China, diz IBGE | SCOMBROS Postado em 29/May/2013 às 20:22

    [...] Sumiu – STF tira do ar informações sobre mordomias aéreas [...]

  3. Gazy Andraus Postado em 30/May/2013 às 20:27

    E revisadas significa o que? Retirar as informações dos gastos referentes às esposas dos ministros? Ou maquiagem dos gastos (caso isso possa ser feito)? Um país triste o nosso. Corruptivamente triste!

O e-mail não será publicado.