Redação Pragmatismo
Compartilhar
Corrupção 22/May/2013 às 14:48
4
Comentários

Perícia confirma assinaturas de Randolfe em esquema de corrupção

Laudo técnico atesta que são mesmo do senador Randolfe Rodrigues (PSOL) as assinaturas em recibos de propina no esquema do 'mensalão do Amapá'. Roberto Gurgel, no entanto, mandou arquivar as denúncias no mês passado, alegando não ser crível que um parlamentar assinasse recibos

randolfe psol corrupção

Perícia confirma: foi Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) que assinou. (Foto: Agência Senado)

Denúncia documentada, formulada pelo ex-presidente da Assembleia Legislativa do Amapá, Fran Junior, no mês passado, foi arquivada na Procuradoria Geral da República, mesmo sem os laudos da perícia grafotécnica, que comprovaram, nesta quarta-feira, ser do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) as assinaturas nas provas de corrupção encaminhadas à Mesa Diretora do Senado.

Segundo o processo, o ex-governador do Amapá, João Capiberibe, do PSB, organizou um mensalão no Estado, que beneficiou vários deputados com depósitos de até R$ 20 mil. Entre eles, o próprio Fran Junior além do hoje senador Randolfe Rodrigues. Após se manifestar sobre a criação de partidos, alinhando-se com o ministro Gilmar Mendes, assim como ao grupo de senadores, do qual Randolfe fez parte, que foi ao STF pedir pela intervenção do Supremo no Congresso, Gurgel foi favorável ao senador do Amapá e mandou arquivar a denúncia, sob a alegação que não seria crível um parlamentar assinar recibos que comprovassem um ato ilícito.

Leia também

No caso conhecido como ‘mensalão, no entanto, Gurgel usou como provas contra os parlamentares envolvidos exatamente os recibos assinados por eles no Banco Rural. A denúncia, na época, também partiu de um parlamentar, o então Roberto Jefferson (PTB-RJ).

No ‘mensalinho’ amapaense, a denúncia é do presidente da Assembleia, que, além do seu próprio testemunho, apresentou os recibos. Segundo Gurgel, no entanto, usou de pesos diferentes para cada processo.

Nota de apoio

Logo após a eclosão do escândalo, a Executiva Nacional do PSOL, em conjunto com a bancada do partido no Congresso, divulgou uma nota em defesa do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), “que tem sido vitima de falsas denúncias levadas a cabo por políticos do Amapá considerados fichas-sujas”, afirma o texto. A solidariedade do partido foi manifestada logo após as “investidas de setores conservadores do Estado, em jornais da grande imprensa, que acusam Randolfe de ter recebido mesada durante seis meses como deputado estadual do Amapá”. De acordo com a nota, tais investidas são capitaneadas pelo atual presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (AL).

“Na verdade, o artífice desta ofensiva é Renan Calheiros, cujas credenciais dispensam comentários e contra quem o PSOL lutou sem trégua, desde 2007, quando encabeçou a campanha ‘Fora Renan’”, ressalta o documento.

com Correio do Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. dinio Postado em 22/May/2013 às 16:30

    Mas tem que investigar pô! Ficha limpa é para todos, independente do partido. O Demóstenes também não era o "paladino" da ética ...e no que deu? Por que seu Randolfo está acima da lei? Só porque bate no governo...Isto todos que buscam holofotes o fazem! Esse Gurgel é mais resvaloso que mussum com vasilina! Êta Democracia Torta esta nossa !

  2. Pedro Souto Postado em 22/May/2013 às 17:38

    Notícia do perito da bolinha de papel do Serra é sacanagem. Não tem nem coragem de citar o "perito".

  3. Marcos Postado em 22/May/2013 às 17:57

    "Sr. Ricardo Molina [que não é Perito!] produz laudos no interesse de quem o contrata e sua credibilidade não é suficiente para a apresentação de uma denúncia. Se há a necessidade de um laudo pericial, o mesmo só pode ser assinado por um Perito Oficial, conforme CPP." Portanto, Roberto Gurgel agiu corretamente ao arquivar as denúncias.

  4. beth zhalouth Postado em 23/May/2013 às 13:25

    sabe por que achei estranho? Porque na época acompanhei várias sessões na Assembleia Legislativa do Amapá, e Randolfe Rodrigues e Clecio Luís, PSOL, votavam sempre contra o governo que supostamente pagavam seus mensalões. Eles eram da oposição, entende? Os dois votos contra o governo eram sempre desses dois que eu citei...E eu não sou de partido nenhum, nem tenho cargo, e nunca tive, viu...