Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Mídia desonesta 03/May/2013 às 19:31
29
Comentários

Joaquim Barbosa admite que mídia brasileira é de 'direita' e 'racista'

Joaquim Barbosa admite que mídia brasileira é de direita e racista. Avaliando a ausência de diversidade político-ideológica, Barbosa lembrou que há apenas três jornais de circulação nacional, “todos eles com tendência ao pensamento de direita”

Em discurso há pouco no evento de comemoração do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, realizado pela Unesco, na Costa Rica, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, afirmou que a mídia brasileira é afetada pela ausência de pluralismo.

Ressaltando que neste ponto falava como acadêmico, e não como presidente do STF, Barbosa avaliou que esta característica pode ser percebida especialmente pela ausência de negros nos meios de comunicação e pela pouca diversidade política e ideológica da mídia.

joaquim barbosa mídia brasileira

Joaquim Barbosa fala na Costa Rica o que nunca disse no Brasil (Foto: ABr)

A apresentação do presidente do STF se deu em quatro partes voltadas a apresentar uma perspectiva multifacetada sobre liberdade de imprensa. Na abertura, reafirmou o compromisso da corte e do país com a liberdade de expressão e de imprensa, e ressaltou que uma imprensa livre, aberta e economicamente sólida é o melhor antídoto contra arbitrariedades. Barbosa lembrou a ausência de censura pública no Brasil desde a redemocratização em 1985.

Na segunda parte, o ministro apresentou como o tema é tratado na Constituição de 1988, que pela primeira vez reservou um capítulo específico para a comunicação. Segundo Barbosa, no sistema legal brasileiro nenhum direito fundamental deve ser tratado como absoluto, mas sempre interpretado em completa harmonia com outros direitos, como privacidade, imagem pessoal e, citando textualmente o texto constitucional, “o respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família”. Nesse sentido, ressaltou o ministro, o sistema legal brasileiro relaciona a liberdade de expressão com a responsabilidade legal correspondente. “A lei se aplica a todos e deve ser obedecida. A liberdade de imprensa não opera como uma folha em branco ou como um sinal verde para violar as regras da sociedade”, afirmou Barbosa.

Leia também

Na terceira parte de seu discurso, Joaquim Barbosa apresentou dois casos em que o Supremo Tribunal Federal teve que lidar com a liberdade de expressão e de imprensa. No primeiro, lembrou a a análise que o STF teve de fazer sobre a publicação de obras racistas contra judeus por parte de Siegfried Ellwanger. Neste caso, a corte avaliou que a proteção dos direitos do povo judeu deveria prevalecer em relação ao direito de publicar casos discriminatórios. Em seguida, falou sobre a lei de imprensa, que foi derrubada pelo Supremo por ser considerada em desacordo com a Constituição e extremamente opressora aos direitos de liberdade de expressão e de imprensa.

Antes de encerrar, porém, Barbosa fez questão de ressaltar que não estaria sendo sincero se não destacasse os problemas que via na mídia brasileira. Falando da ausência de diversidade racial, o ministro lembrou que embora pretos e mulatos correspondam à metade da população, é muito rara sua presença nos estúdios de televisão e nas posições de poder e liderança na maioria das emissoras. “Eles raramente são chamados para expressar suas posições e sua expertise, e de forma geral são tratados de forma estereotipada”, afirmou o ministro.

Avaliando a ausência de diversidade político-ideológica, Barbosa lembrou que há apenas três jornais de circulação nacional, “todos eles com tendência ao pensamento de direita”. Para ele, a ausência de pluralismo é uma ameaça ao direito das minorias. Barbosa finalizou suas observações sobre os problemas do sistema de comunicação destacando o problema da violência contra jornalistas. “Só neste ano foram assassinados quatro profissionais, todos eles trabalhando para pequenos veículos. Os casos de assassinatos são quase todos ligados a denúncias de corrupção ou de tráfico de drogas em âmbito local, e representam grave violação de direitos humanos”.

Em resposta a questionamentos do público, Barbosa lembrou um dos motivos da impunidade nos crimes contra a liberdade de imprensa é a disfuncionalidade do sistema judicial brasileira, que tem quatro níveis e “infinitas possibilidades de apelo”. Além disto, a justiça brasileira tem, na perspectivas de Barbosa, sistemas de proteção aos poderosos, que influenciam diretamente os juízes. “A justiça condena pobres e pretos, gente sem conexão. As pessoas são tratadas de forma diferente de acordo com seu status, cor de pele ou poder econômico”, concluiu Barbosa.

João Brant, da Costa Rica, Observatório do Direito a Comunicação

Recomendados para você

Comentários

  1. Jonathas Torres Postado em 04/May/2013 às 11:34

    sou eu de novo. tem um errinho ali no final do texto. disfuncionalidade do sistema judicial brasileira, segunda linha do último parágrafo. beijos

  2. H.92 Postado em 04/May/2013 às 13:21

    No exterior é fácil criticar, aqui todo mundo sabe que ele faz parte dessa sujeira.

  3. Eliana Postado em 04/May/2013 às 14:31

    Exatamente, meu caro, H.92

  4. Igor M. Postado em 04/May/2013 às 14:45

    H.92 Em quais esquemas o Joaquim Barbosa está envolvido? Que sujeira é essa? (Por favor, não seja mais um "comentarista" de acusações levianas e apresente suas fontes)

  5. Cacique Postado em 04/May/2013 às 20:09

    Prezados H.92 e Eliana, eu não sei de que sujeira ele faz parte. Até imagino, por alto, mas realmente não sei. Se vocês puderem indicar, eu agradeço. Abraço

  6. Vincent Postado em 06/May/2013 às 00:13

    "No exterior é fácil criticar..." Até parece que a mídia brasileira dar liberdade de expressão para qualquer um poder se expressar e poder vomitar o que pensa, ainda mais se tratando dela mesma. Imagina só, a Globo fazendo uma matéria sobre Liberdade de Imprensa, me entrevistar e eu poder dizer que a mídia brasileira é corporativista, é de direita, racista, burguesa e que precisa-se de uma mudança radical na imprensa brasileira. Se a princípio, ela não cortar a entrevista e colocar a matéria no ar, pode se dizer que já está havendo a mudança. Enfim, utopia!

  7. Pedro Postado em 11/May/2013 às 23:35

    Cara, não existe negros no Brasil assim como não existe brancos no Brasil mais, é de uma total ignorância criar essa raciação baseada apenas na cor da pele. São quase 500 anos que o processo de miscigenação que incorporou portugueses, negros e indígenas vem se desenvolvendo.Querer formar grupos, de que se dizem de uma de defesa de uma raça ou outra e querer fazer politica com isso é querer dividir nosso povo que é mestíço.É querer fomentar mais a violência e a guerra e o deamor

  8. Pedro Postado em 11/May/2013 às 23:40

    Cara, não existe negros no Brasil assim como não existe brancos no Brasil mais, é de uma total ignorância criar essa raciação baseada apenas na cor da pele. São quase 500 anos que o processo de miscigenação que incorporou portugueses, negros e indígenas vem se desenvolvendo.Querer formar grupos, que se dizem de defesa de uma raça ou outra e querer fazer politica com, isso é querer dividir nosso povo que é mestíço.É querer fomentar mais a violência e a guerra e o de amor

  9. Filipe Postado em 14/May/2013 às 14:19

    Pedro, apoio sua defesa pela pluralidade étnica no nosso país, mas não é pela abolição das defesas identitarias que isso se estibilzará de fato, uma vez que se torna muito mais fácil a manipulação midiática de uma população que não se reconhece como nada além de um corpo neutro aberto às informações enlatadas. Calma, não acredito que o racismo vá resolver simplesmente pela afirmação de um traço genético em detrimento de outro, mas o auto-reconhecimento com sua identidade, sobre qualquer parâmetro que seja, nos torna conscientes como indivíduo em meio à sociedade, não se trata do prevalecimento de um discurso específico, mas busca da pluralização e melhor representação de voz da nossa população puramente mestiça.

  10. Filipe Postado em 14/May/2013 às 14:23

    Referindo ao Joaquim Barbosa, acredito que tenha citado a escassez de pessoas negras nos espaços de poder, meramente como defesa de um traço pessoal, afirmação da própria identidade. Uma voz única que, se solitária, acaba afogada pela dominação do discurso mono-valente

  11. Getúlio Jorge Cidade Postado em 16/May/2013 às 11:13

    Francamente, antes ainda não havia formado opinião concreta sobre o assunto. Li a matéria e respectivos comentários e concordo com o do Sr. Pedro, segundo o qual, em quase 500 anos que o processo de miscigenação incorporou portugueses, negros e indígenas vem se desenvolvendo. Quanto às declarações do Sr. Ministro do nosso TRT, Joaquim Barbosa, não passam de teses acadêmicas, dirigidas aos estudantes daquele país. No fundo, êle não quis fomentar a violência e a guerra entre a a liberdade de expressão de nossa mídia e nem o preconceito racial que ainda existe de forma velada em nosso Pais.

  12. alan Postado em 26/May/2013 às 20:56

    H.92 e Eliana, 2 pessoas supostamente melhor informadas q nós, poderiam apresentar pelo menos 1 exemplo da tal "sujeira" à qual associam o nome de JBarbosa. Como pessoas ilibadas, devo supor tb, q são, não saem reproduzindo falácias nem acusações mentirosas, levianas, tiradas a esmo de boatos maliciosos e fundamentados no rancor dos q procuram manter o poder nas próprias mãos custe o q custar.

  13. Joaquim Postado em 27/May/2013 às 10:36

    Até que enfim algo que vale a pena ler!!!! Mas a grande imprensa não vai transcrever...

  14. Ludwig Postado em 01/Jun/2013 às 17:19

    Brasil 500 anos de burrice # onde se rouba tudo,cabos de energia,roupas no varal, números das casas,assaltos nas ruas,padarias,lojas,hospitais,igrejas. e onde os canalhas no congresso e no senado roubam descaradamente milhões, bilhões dos cofres públicos!! Mídia racista de direita,estupida,manipuladora..

  15. gilson alfredo de moura Postado em 23/Jun/2013 às 22:05

    No Brasil qualquer autoridade tem um preço! Um conselho: não acredite em ninguém!STF!\CBf. ! Politicos nem pensar: esses são verdadeiros parasitas! Senadores, ministros, PT,PSDB, DEm, Governadores, prefeitos! Advogados, Juízes, não acredite na MÍDIA: essa é maior praga e deve ser banida! Mente !\Mente! Esconde a verdade!

  16. Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na "Socialização" - Estou entre os 80 milhões Postado em 16/Jul/2013 às 11:00

    MENSALÃO TUCANO: este post é dedicado especialmente aos leitores que vivem cobrando que eu aborde o assunto http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2012/10/mensalao-tucano-este-post-e-dedicado_3.html

  17. Fernando Lopes Postado em 23/Jul/2013 às 11:28

    Coincidentemente sua Excelência também é de direita e racista… é também falastrão, oportunista e não tem noção do que representa a função que exerce, faz pré julgamentos, faz comentários indevidos sobre assuntos em litígio, desrespeita os outros poderes e também as entidades representativas do próprio poder judiciário … eu diria que elle também é um PIGUISTA, sonha em ser candidato do PIG…

  18. FAGNER Postado em 28/Jul/2013 às 10:15

    Em tempos de mentiras dizer a verdade é um ato REVOLUCIONÁRIO. Vivemos em meio as grandes manipulações da mídia, falada, escrita, assistida etc. Sempre irá ter alguns grupos interessados em fazer tudo por seus próprios interesses, e a sociedade vive nesse fogo cruzado.

  19. Aristóteles Postado em 06/Jul/2014 às 00:16

    Mas, quem diria, hein!? Joaquim metendo a ripa na mídia que o mantém num pedestal de pureza e na falácia do "faça o que eu digo; mas, não faça o que eu faço"!