Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Direitos Humanos 04/Sep/2012 às 06:58
10
Comentários

Pegar comida no lixo é proibido? Trabalhadores são presos por esse "crime"

Trabalhadores pegam comida no lixo e vão parar na cadeia. Cláudio, que no momento está preso, se diz abalado por causa da vergonha a que está sendo submetido

Trabalhadores da Ultraserv fizeram uma paralisação no Cenpes, em solidariedade aos colegas injustiçados. Foto: divulgação / Cenpes

A realidade pode ser mais dura do que a ficção. No Centro de Pesquisa da Petrobrás (Cenpes), três trabalhadores de uma empresa que presta serviços à estatal foram retirados em camburão do trabalho e processados criminalmente. Um deles, Cláudio Charles Gonçalves, de 33 anos, está desde terça (28) preso na 54º DP, em Belford Roxo. Na quarta-feira (29) seria transferido para o presídio de Bangu. O crime cometido? Tentou levar para casa um frango jogado no lixo. Eles trabalham para a firma Ultraserve, contratada pela Petrobrás e responsável por servir as refeições no restaurante do Cenpes.

A retirada dos três rapazes do seu local de trabalho em camburão, diante de todos os colegas, aconteceu no dia 19 de julho. Diogo Cardoso, 27, também processado, é um jovem magro, de olhar assustado. Ele relatou que uma de suas funções na Ultraserve é recolher os sacos de lixo para descarte. Disse que as normas da Anvisa são muito rigorosas e os frangos, depois de descongelados, quando não aproveitados na refeição, são sempre descartados, “pois não poderiam ser congelados novamente”.

Leia também

Assim, teria achado um desperdício aquele descarte. Com o produto já no lixo – dois ou três frangos – achou que não haveria problema em dividir aqueles restos de comida com um amigo. Foi o que fez, dividindo o descarte com Cláudio Charles, que no momento está preso. Segundo a sua esposa, ele está muito abalado emocionalmente, “por causa da vergonha a que está sendo submetido”.

O amigo Diogo – ambos são vizinhos na localidade de Nova Aurora, em Belfort Roxo – só não foi para a cadeia esta semana, porque não estava em casa quando a polícia chegou, a mando da Ultraserve, com ordem de prisão preventiva. O que não impediu sua esposa de passar por momentos de tensão, quando a polícia adentrou pela sua casa. Aos 27 anos de idade, Diogo já tem três filhos, um deles com necessidades especiais.

O terceiro trabalhador processado criminalmente pela Ultraserve é Marcos Paulo, de 24 anos, residente numa comunidade em Caxias. Ele trabalhava em outro restaurante do Cenpes, quando foi detido. Seu crime foi tentar levar para casa, achando que dava para aproveitar, “algumas barrinhas de chocolate quebradas e amassadas e um pouco de iogurte fora da validade”.

Se hoje Marcos Paulo não está detido em Bangu, preso preventivamente como se fosse um perigoso fora da lei, é porque não estava em casa, no momento em que a polícia chegou à casa de seus pais com a ordem de prisão.

O Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) denunciou há cerca de um mês, em editorial publicado no jornal Surgente, o absurdo daqueles processos criminais. Na ocasião, o sindicato já exigia providências da Petrobrás contra o que considerou um abuso de autoridade e desrespeito aos trabalhadores.

Mas, na terça (28), recebe uma notícia ainda mais inusitada: é decretada a “prisão preventiva” dos trabalhadores, a pedido da Ultraserve. Em apoio às vítimas dessa arbitrariedade, o sindicato indicou um advogado para acompanhar o caso. O mais ilógico é que as leis em vigor jamais condenariam à prisão três trabalhadores de ficha limpa, por tentar levar para casa ninharias destinadas ao lixo. A prisão preventiva deveria estar reservada a bandidos perigosos que ameaçam a sociedade.

Na manhã da última quarta-feira (29), os trabalhadores da Ultraserve fizeram uma paralisação no Cenpes, em solidariedade aos colegas injustiçados. Representantes do Sindipetro-RJ se reuniram com a gerência de Recursos Humanos (RH) do Cenpes e aguardam providências. O advogado que vai defender os trabalhadores dará entrevista à TV Petroleira, ao vivo, na próxima segunda-feira, 3 de setembro, às 19 horas) – o endereço eletrônico é tvpetroleira.tv.

APN/Sindipetro-RJ

Recomendados para você

Comentários

  1. macka Postado em 04/Sep/2012 às 09:06

    Meu, a Petrobrás não tem nada com isso. Pq não imagens da contratada?

    • Moderação Postado em 04/Sep/2012 às 09:44

      Olá Macka, A foto é do Cenpes, local onde aconteceu o caso e palco posterior do protesto dos trabalhadores. Infelizmente não há imagem disponível da empresa (Ultraserv) contratada.

  2. Fernando Figueiredo Postado em 04/Sep/2012 às 15:35

    A situação passa do absurdo. Duro é a "justiça" negar o relaxamento de prisão. A imagem da Petrobras circula na internet e no face. Quem vê pensa que ela solicitou a prisão e não a Ultraserv. Não faça " jornalismo marrom", se não tem a imagem da Ultraserv, não use a da Petrobras, nem para ilustrar. Uma rápida pesquisa na internet, vc encontra imagens da empresa. Mesmo assim, parabéns pela matéria. Precisamos denunciar essas incongruências da justiça.

  3. Lenin Postado em 04/Sep/2012 às 16:52

    Muito boa atuação dos petroleiros em solidariedade aos trabalhadores precarizados!

  4. hercules Postado em 04/Sep/2012 às 18:12

    Esta com certeza é mais uma destas empresas que só tem escritório de fachada para ganhar licitações fraudulentas ...

  5. Marco Cardoso Postado em 06/Sep/2012 às 09:32

    Concordo com o comentário do(a) macka sobre a foto. A única coisa visível é o logotipo da Petrobrás, entre carros e árvores. Não dá pra reconhecer o prédio e nem dá pra ler o que está escrito na placa. Se não há uma foto razoável pra ilustrar a matéria, o mais correto seria não colocar nenhuma. No mais, boa matéria e absurda a situação dos funcionários. Fico me questionando quem teria denunciado. Seria uma represália ou algum paladino da moralidade?

    • Moderação Postado em 06/Sep/2012 às 11:31

      Olá Marco, O comentário do(a) Macka referia-se a outra foto, que foi removida justamente após a manifestação do(a) colega. Na foto removida, a placa do Cenpes (Petrobras) aparecia em plano mais próximo. Nesta, tirada no estacionamento do Cenpes, a placa aparece ao fundo e nos pareceu menos agressiva. De todo modo, agradecemos sua sugestão.

  6. celso Postado em 09/Sep/2012 às 16:47

    pqp cade os fdp que comanda a justiça brasileira?Ninguem olha pra tamanha injustiça?o povo desta cidade ou onde souber desta barbaridades saia de suas toca e meta a boca no trombone nesses malditos de toga

  7. Felipe Postado em 25/May/2013 às 19:15

    Meu tio trabalha na Petrobrás e costuma mesmo contar como o serviço terceirizado de alimentação lá pratica desperdício, jogando fora comida boa somente por causa do medo mortal de alguma comida estragada adoecer algum funcionário e eles se verem no meio de um processo. Brasil, uma terra de desperdiçadores que não tem noção do privilégio e abundância que temos aqui.

  8. Alex Postado em 27/May/2013 às 11:24

    Embora muitos reclamem da foto com a imagem da Petrobras cabe lembrar que esta é indiretamente responsável também, já que é a contratante da Ultraserv, executora da barbárie. Sabemos que o sindicato dos petroleiros esta apoiando mas vítimas mas e a direção da Petrobrás? Se manifestou? Está pressionando a Ultraserv pela retirada das queixas? Aplicou alguma sanção a prestadora de serviços? Se as três respostas são negativas a Petrobras embora não seja culpada é tão responsável quanto a terceirizada.