Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Religião 16/Aug/2012 às 00:40
28
Comentários

Liberdade de escolha? Brasil é ouro em intolerância

Liberdade religiosa só existe quando não se mistura religião a nada. Nem à política, nem à educação, nem à ciência e nem ao esporte

volei feminino reza

Vôlei feminino após a conquista do ouro em Londres 2012. Foto: divulgação

Por André Barcinski

Já virou hábito: toda vez que um time ou uma seleção do Brasil ganha um título, os atletas interrompem a comemoração para abrir um círculo e rezar. Sempre diante das câmeras, claro.

O mesmo aconteceu sábado passado, quando a seleção feminina de vôlei conquistou espetacularmente o bicampeonato olímpico em cima da seleção norte-americana, que era favorita.

O Brasil é oficialmente laico desde 1891 e a Constituição prevê a liberdade de religião.

Será mesmo?

Leia mais

O que aconteceria se alguma jogadora da seleção de vôlei fosse budista? Ou mórmon? Ou umbandista? Ou agnóstica? Ou islâmica?

Alguém perguntou a todas as atletas e aos membros da comissão técnica se gostariam de rezar o “Pai Nosso”?

Ou será que alguns se sentiram compelidos a participar para não destoar da festa?

Será que essas manifestações públicas e encenadas, em vez de propagar o caráter multirreligioso do país, não o estão atrapalhando?

Claro que ninguém questiona a boa intenção das atletas. Mas o gesto da reza coletiva está tão arraigado, que ninguém pensa em seu real simbolismo e significado.

A questão não é opção religiosa, mas a liberdade de escolha. Qualquer pessoa pode acreditar no que quiser, contanto que deixe a outra livre para fazer o mesmo. Sem constrangimentos. E não é o que está acontecendo.

Liberdade religiosa só existe quando não se mistura religião a nada. Nem à política, nem à educação, nem à ciência e nem ao esporte.

Em 2010, a Fifa acertou ao proibir manifestações religiosas na Copa da África do Sul. A decisão foi tomada depois de a seleção brasileira ter rezado fervorosamente em campo depois da vitória na Copa das Confederações, um ano antes, o que provocou protestos de países como a Dinamarca.

Em 2014 e 2016, o Brasil vai sediar a Copa do Mundo e as Olimpíadas. A CBF e o COL precisam tomar providências para que os eventos não se tornem festivais públicos de intolerância.

Atletas precisam entender que estão representando um país de religiosidade livre. Eles têm todo o direito de manifestar sua crença, mas não enquanto vestem uma camisa laica.

Claro que atitudes assim serão impopulares e gerarão protestos. Muita gente confunde a garantia da liberdade de opção religiosa com censura.

Quem disse que é fácil viver numa democracia?

Recomendados para você

Comentários

  1. Luís Henrique (lhr13) Postado em 16/Aug/2012 às 06:43

    Até porque se deus existe e é brasileiro, todas as equipes ganhariam mdalha de ouro né?

  2. Paulo Postado em 16/Aug/2012 às 09:53

    Pelo jeito André Barcinski, ou voçê é Ateu ou Atóa, se não tem algo a falar sobre assuntos importantes, deixe os religiosos a parte, pois estamos não só no esporte mas em TUDO, e vejo que é uma opinião individual sua e não da população brasileira, e são milhares de católicos, evangélicos e espiritas em todo o Brasil. Coloque um artigo de interesse popular, pare de criticar os religiosos, Deus te abençoe.

  3. Alana Postado em 16/Aug/2012 às 09:58

    Só vi "intolerância" pela parte do autor. Agora vão repreender até a forma como os atletas comemoram uma vitória. Talvez, se elas fizessem algum sinal ou oração satânicos, em comemoração, não iriam criticar em nada, tampouco a tentativa de intervenção. Há outras formas de "fanatismo" que deveriam incomodar muito mais. E assim caminha o mundo...

  4. Pedro Postado em 16/Aug/2012 às 11:03

    Concordo, Alana. Intolerância por parte do autor é o que há. Não há sentido em limitar a forma com que atletas comemorem suas conquistas. Acho correto tentar impedir que o objetivo dos competições esportivas seja sobrepujado por campanhas defensoras de alguma religião. Porém, nada justifica impedir que atletas comemorem à sua maneira religiosa (que dificilmente causará mal e/ou ofenderá alguém).

  5. João Alberto Postado em 16/Aug/2012 às 11:04

    Religiões são o maior problema do mundo. Na verdade, o 2º maior. Fica atrás apenas do analfabetismo funcional…

  6. Glauber Postado em 16/Aug/2012 às 11:17

    No Brasil, parece que carregaremos por toda a eternidade certa herança que trazemos desde o período colonial: a dificuldade, quase crônica, que o brasileiro tem de separar o público do privado. As jogadoras da seleção, independentemente das crenças pessoais, representam, durante os jogos, queiram ou não, o país. E, considerando que o Brasil é um país laico, é mesmo de se lamentar que determinadas pessoas, em um ambiente público e representando, de certo modo, toda a população do país, teimem em fazer prevalecer suas crenças pessoais. Religião é, sem dúvida alguma, muito importante na vida de muitas pessoas. Porém, trata-se de um aspecto privado, íntimo, da vida do indivíduo. Por que essa necessidade gritante de querem impor a terceiros determinadas crenças que, a rigor, são estritamente pessoais?

  7. Leandro Coelho Postado em 16/Aug/2012 às 11:23

    Também concordo com as opiniões aqui expostas. Acho que o autor não foi feliz. As meninas só rezaram ou oraram, e só. Não creio ter havido qualquer imposição de fé por parte de ninguém. Se for pelo pensamento do texto, daqui apouco rezar numa praça pública será um ato atentatório contra o Estado laico, passivo de prisão. Vamos tomar cuidado para não nos tornarmos um "admirável mundo novo", onde uma simples reza é considerado um ato de selvageria....

  8. João Postado em 16/Aug/2012 às 15:13

    Sou ateu e achei patético esse texto. Dizer que o fato de uma pessoa querer rezar em campo é praticar "intolerância religiosa" é simplesmente uma atitude totalitária e vergonhosa. Acho que nós, ateus, muitas vezes perseguimos os religiosos também e devemos simplesmente lhes dar a liberdade de praticarem suas religiões. Duvido muito que se tivesse uma jogadora umbandista que resolvesse praticar algum ato religioso antes do jogo vocês viriam reclamar, mas como é com o cristianismo, a religião da maioria, vocês fazem questão de dizer que é preconceito. O Estado não tem que se meter na religião das pessoas a menos que estas violem os direitos à vida e à liberdade das outras. Lidem com isso.

    • Antônio Dantas Postado em 16/Aug/2012 às 15:20

      Via de regra não é o estado que se mete com a religião, mas a religião que se infiltra no estado. Como exemplo, basta observar o cenário político brasileiro atual. É inquestionável que as religiões dominantes no Brasil violam a liberdade, mas não estou convicto de que isso tenha ocorrido no cenário apresentado pelo autor do texto.

  9. Bruno S Postado em 16/Aug/2012 às 15:31

    Concordo com o autor. Um grupo que representa um país oficialmente laico passando mensagem religiosa ao mundo me incomoda bastante. E, se questionar o uso indevido da religião não fosse importante, não apareceriam nervosinhos para reclamar.

  10. Thiago Postado em 16/Aug/2012 às 16:13

    Toda vez que vejo/ouço alguém dizer "graças a deus" sempre me pergunto se a pessoa acha/tem certeza de que deus tomou partido. Seria insensato da parte dele fazer isso. Nesse sentido devo concordar com o André Barcinski, mas é por esse motivo também que mudo de canal depois de um jogo. Não quero ver orações, elas não me interessam.

  11. Valdo Postado em 16/Aug/2012 às 17:25

    Intolerância e contra-senso, são as essências deste texto. Um tiro no pé, por assim dizer.

  12. Paulo Postado em 16/Aug/2012 às 17:40

    Laico é o Estado que não ostenta uma religião oficial, o que a meu ver é um dos grandes avanços das democracias ocidentais. No entanto, laico também é o Estado que, a despeito disso, dá plena liberdade de expressão a qualquer religião. Impor um "laicismo" por decreto pode ser tão perigoso quanto os antigos Estados Religiosos ou as novíssimas "legislaturas religiosas" em nosso Senado e Congresso. Viva à LIBERDADE [de crer ou não] !!!

  13. Rogério Postado em 17/Aug/2012 às 03:30

    Suponhamos que as atletas fossem lésbicas. No final do jogo elas comemoram com um beijaço. Mas uma delas se recusaria a participar do beijaço porque a religião dela não permite. Quem nesse caso hipotético e imaginário seria intolerante? As atletas lésbicas ou a que não é?

  14. Diego Postado em 17/Aug/2012 às 09:44

    Incrível! É como procurar chifre em cabeça de cavalo! Onde está a liberdade religiosa? Qual é o problema de uma seleção fazer uma oração/rezar? Primeiro que o Pai Nosso não é uma oração católica, evangélica ou de qualquer tipo religioso, é uma oração ensinada por uma figura histórica chamada Jesus, ou seja, já é intolerante e até "ignorante" classificar ela dentro de qualquer religião. Esse artigo, com sua posição idealista, sim, é um ato de falta de liberdade religiosa. Agora vai ter que ter cotas de manifestação de religião nas seleções? Onde fica a liberdade nisso? Como disse o Paulo...Viva à LIBERDADE [de crer ou não, de orar ou não] !!

  15. Higor Postado em 17/Aug/2012 às 11:36

    Eu, heim, se cada uma concorda, que rezem. A bancada religiosa no legislativo é algo mais perigoso que atletas e esportistas que rezam.

  16. Tiago Postado em 17/Aug/2012 às 11:55

    Acredito André Barcinski que você deve amadurecer melhor sua opinião para não criar influências sem sentido. Este seu texto (E não artigo já que não tem base em nada a não ser a própria opinião intolerante) visa influenciar a opinião acrítica em relação à religião, você força a idéia de que o Estado é Laico, portanto nada de religião à frente das câmeras. Elas rezaram/oraram, mas não foi pra você, não foi pra mim, não foi pelo Brasil, foi em agradecimento à conquista delas, não fizeram o "ato intolerante" simplesmente para mostrar que o Brasil é contrário ao que dizem ou para influenciar outras pessoas, fizeram simplesmente pela crença individual. Se tivesse budista, atéia ou qualquer outra forma de crença (ou não) elas não estariam ali no meio, é opinião individual e a intolerância total aqui é a sua caro André Barcinski que não amadureceu a opinião antes de jogá-la simplesmente por aqui. Sem mais.

  17. Ricardo Postado em 17/Aug/2012 às 12:01

    Hipocrisia, querem um estado laico, mas não dispensam um feriadão religioso (natal, páscoa, corpus cristi etc.!! )!!!

  18. Tiago Postado em 17/Aug/2012 às 12:03

    Ah sim, só mais uma coisa, o Brasil é sim um país democrático que permite até mesmo escrever um texto horrível e tendencioso como esse.

  19. Bruno S Postado em 17/Aug/2012 às 14:47

    Me divirto com as respotas revoltadinhas que aparecem quando alguém mexe com a religião. Jesus vira figura histórica, orientação sexual é comparada à religião, rezar em frente às câmeras deixa de ser divulgação de fé. Quando um grupo vestido como representantes do país comemora numa praça esportiva com uma prece cristã há uma mensagem bem clara.

  20. Mateus B Postado em 17/Aug/2012 às 18:56

    Quando leio comentários enraivecidos como vários acima, me pergunto se estamos no Brasil do século XXI ou na Alemanha da década de 30/40. Medo!!!!! Pior é o povo que não entende o ponto de vista e a linha argumentativa do autor e responde com senso comum!

  21. Marcelo Maldini Postado em 17/Aug/2012 às 19:42

    Não pode mais orar? Intolerante é você André.

  22. Anderson Postado em 17/Aug/2012 às 22:26

    Aí a Marisa Monte encerra as Olimpíadas vestida de Iemanjá e ninguém reclama, pois religião afrobrasileira é bonitinha e nela ninguém pode tocar. Só é pecado ser da religião hegemônica.

  23. Jordane Postado em 18/Aug/2012 às 01:12

    Brasil Não é democracia, e sim Cleptocracia.

  24. luciano maia Postado em 18/Aug/2012 às 02:05

    Interessante a maneira alguns entendem a tal LAICIDADE do estado. Fica claro que eles entendem LAICIDADE como extinção completa da liberdade religiosa em detrimento dos "melindres" ateístas disfarçados através desse discurso falacioso. Sim, o Estado brasileiro é laico, e isso significa apenas que tem de servir com IGUALDADE a TODOS os cidadãos, INDEPENDENTE de seu credo religioso ou da ausência dele. Ser laico não significa ser ANTI-RELIGIOSO.Qual o próximo passo do Neo-Ateísmo ? Inquisição ? Caça aos Religiosos ? Alguma duvida de esse movimento extremo, fundamentalista tornou-se "religioso" e vive a plagiar a religião no que ela tem de pior ? Affss..

  25. Julio Postado em 06/Sep/2012 às 11:22

    bom comentário... na verdade religiosamente falando acho falta de bom senso rezar nos jogos, pois, foi Deus que te fez vencer uma competição esportiva? e fez o outro perder??? acho que ele está mais ocupado que assistindo joguinhos...

  26. Gustavo Martins Postado em 04/Oct/2012 às 14:45

    É impressionante como na visão de alguns religiosos, 'Deus' se preocupa com equipes ganhando jogos, e esquece, ou caga e anda pra milhões de pessoas passando fome mundo a fora...

  27. jocimar malaquias Postado em 30/Nov/2012 às 00:40

    acho normal isso ai.