Redação Pragmatismo
Compartilhar
Rede Globo 06/Jul/2012 às 15:44
16
Comentários

Na moral: Programa de Pedro Bial se destina à defesa do preconceito

Jornalista tem direito a fazer o que quiser, mesmo que isso ofenda a dignidade de outras pessoas. Afinal, somos semideuses, perfeitos

Por Cris Rodrigues, do Somos Andando.

Ontem, Pedro Bial, aquele do Big Brother, lançou um programa destinado, basicamente, à defesa do preconceito. Despolitização é a palavra que melhor se encaixa.

Leia mais

E o fez consciente e descaradamente. Primeiro, promoveu a defesa do músico Alexandre Pires, acusado de promover o sexismo, o machismo, o preconceito racial, com o clipe da música Kong. Segundo a Ouvidoria Nacional da Igualdade Racial, “o vídeo usa clichês e estereótipos contra a população negra” e “reforça estereótipos equivocados das mulheres como símbolo sexual”.

pedro bial na moral

É a velha história do jornalista como dono da verdade. A gente não erra, não mente, não manipula, não tem ideologia (não pode!), então não tem por que ter nosso trabalho observado. (Foto: TV GLOBO / Renato Rocha Miranda)

E o apresentador do Big Brother o fez usando – ele e seus convidados, escolhidos intencionalmente pela sua produção – do velho argumento falacioso e manipulador da censura, da ditadura disfarçada.

Como se não bastasse defender o vídeo que fala de negros e é ilustrado com macacos, ainda reforçou o discurso preconceituoso ao levar ao palco do seu programa pessoas vestidas de gorila e mulheres “popozudas”, que apresentam uma visão sexista do papel da mulher na sociedade, vista como objeto. E ó, eu não faço parte de nenhum movimento feminista, mas como mulher me sinto ofendida com esse uso da imagem, com a consolidação, o reforço de algo que há tanta luta para romper, que é estereotipar a mulher, mostrá-la como um ser que não pensa. Além do apelo sexual da figura da mulher, é um incentivo ao tratamento superficial das pessoas, reduzidas à aparência.

Da mesma forma que a mídia não pode condenar antecipadamente acusados ainda não julgados de algum crime, também não cabe a ela inocentá-los, principalmente quando se trata de um suposto crime contra a coletividade. Qual era o propósito de absolver Alexandre Pires em rede nacional? Para que comprar essa história?

Isso sem falar que o assunto está velho, o caso já foi até arquivado. E o irônico é que Bial começou o programa criticando assédio sexual e assédio moral, que esse tipo de apelo sexual e rebaixadamento da mulher à categoria de objeto incentivam absurdamente.

A linha do programa já ficava clara pela escolha dos participantes. Destaco o reacionarissimo Luís Felipe Pondé, tratado a pão de ló. Apesar de estar presente também Antônio Carlos Queiroz, a diferença de tratamento foi evidente. Queiroz é autor da cartilha “Politicamente correto & Direitos”, criada pelo governo federal como uma tentativa de combater preconceitos e criticada pelo apresentador, o mesmo que diz que críticas não servem pra nada, que nem ouve as direcionadas a ele.

“A cartilha foi dedicada a professores, policiais etc. etc. (aqui entrou uma lista de profissões que eu não vou saber repetir, todas passíveis de receber orientação externa) e… tchan tchan tchan, jornalistas (os intocáveis). E aí você mexe com a liberdade de expressão.” Fora o que está dentro dos parênteses e os et ceteras, foi bem assim que o Bial falou, com o tom dramático que traduz em absurdo jornalistas sofrerem qualquer tipo de influência, inclusive a de uma orientação.

Opa, jornalista, como formador de opinião, não pode receber orientações sobre preconceito, para evitar na sua prática diária que forme opiniões discriminatórias contribuindo para que as diferenças de gênero, classe, cor etc. nunca tenham fim. É a velha história do jornalista como dono da verdade. A gente não erra, não mente, não manipula, não tem ideologia (não pode!), então não tem por que ter nosso trabalho observado. Jornalista tem direito a fazer o que quiser, mesmo que isso ofenda a dignidade de outras pessoas. Afinal, somos semideuses, perfeitos. Vai ver é por isso que o diploma é desnecessário. Afinal, a faculdade orienta, e jornalistas estão acima desse tipo de coisa.

Não vou falar em decepção com esse programa porque né, 12 anos de BBB não deixam criar nenhuma expectativa. Mas um mínimo de bom senso vinha bem, viu.

Isso tudo sem contar o nome do programa, que seria bacaninha uns 15 anos atrás, quando a gíria era moderninha.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 06/Jul/2012 às 17:53

    GLOBO E VOCÊ : NADA A VER .

  2. Christian Benvenuti Postado em 06/Jul/2012 às 19:16

    Se tem uma coisa faltando no Brasil, é jornalismo. Jornalismo responsável, então, só deve existir em nível comunitário, localíssimo, em jornal de bairro, ou em quase-redutos na internet. Pedro Bial, tenho certeza, decepcionou muitos jornalistas formados nos anos 80 e 90. Mas a Globo, vira e mexe, não decepciona e, como diria Mario Quintana, "quem te viu, quem te vê: sempre a mesma coisa".

  3. Anon Postado em 06/Jul/2012 às 23:38

    sem contar que o nome do programa é plagio de outro de menos ibope...

  4. Marcel Postado em 07/Jul/2012 às 15:16

    Que o Pedro Bial é um babaca todo mundo sabe...Mas defebnedr cartilha de politicamente correto, isso é mais imbecil ainda.... Chega dessa patrulha estatal, isso nunca resoveu nada, nao esta resolvendo e não é a solução...

  5. Rubem Perdomo Postado em 07/Jul/2012 às 18:29

    Na moral?

  6. Daniel M Moreira Postado em 08/Jul/2012 às 00:52

    Eu não assisto TV aberta há mais de cinco anos, por conta de energúmenos como esse Rei dos BBB, aquela merda apresentada pelo próprio. Em nomento algum imaginaria um apostura jornalistica de tamanha incompetência, afinal lamenta-se o apoio de quem assiste.

  7. luiz Postado em 08/Jul/2012 às 17:45

    Fadado ao fracaso.

  8. Fernando Pereira Postado em 08/Jul/2012 às 21:53

    O que seria "na moral"? O que seria imoral? O Programa se encaixaria mais no imoral. Torço para que esse programa não tenha boa audiência,bom só torcer também é uma pena,pois até quando a globo fica fora do ar ela rende alta audiência! Filosofia de boteco,pra mim é o parece esse programa,não serve e nem me agrada em nada esse tipo de falácia em rede pública.

  9. amanda Postado em 09/Jul/2012 às 15:07

    sou totalmente contra a discriminação racial, mas perai! o cara tambem é negro! parece que se criou uma redoma os negros estão lá dentro, e se voce colocar negro e macacos na mesma frase, nao importa o contexto, voce já esta discriminando. to achando meio radical demais

  10. Laila Postado em 09/Jul/2012 às 20:29

    "Da mesma forma que a mídia não pode condenar antecipadamente acusados ainda não julgados de algum crime, também não cabe a ela inocentá-los, principalmente quando se trata de um suposto crime contra a coletividade. Qual era o propósito de absolver Alexandre Pires em rede nacional? Para que comprar essa história?" Pode sim meu bem, até que provem o contrário, todo e qualquer um é inocente!!! "Pedro Bial, aquele do Big Brother, lançou um programa destinado, basicamente, à defesa do preconceito." é por causa de pessoas com a opinião como a sua que ele teve que fazer um programa de tv bobo e rebater oq deveria ser obvio.

  11. Postado em 13/Jul/2012 às 00:46

    Bial abusa da inteligência do telespectador e mostra uma montagem fraca e horrendamente tendenciosa de temas importantes para entendermos a sociedade brasileira. Fica no senso comum, no clichê cínico e na banalização maniqueísta. Pratica o que chamo de Politicamente Correto invertido: isto é, tenta nos fazer acreditar que não devemos lutar por d...ireitos iguais às pessoas que são discriminadas por serem diferentes. Agora, somos policiados para não fazê-lo sob pena de ser considerado careta, pervertido ou vitimista. Junta Perolas de um pobre humor panfletário e finaliza achando que está ajudando a humanidade. Poderia fazer algo mais instigante e desafiador, pelo dinheiro que obteve para isso. Enfim, que o poder das mídias sociais destrua mais este lixo, como tem ocorrido com outros...

  12. COMPOSITOR DEMARIO Postado em 27/Jul/2012 às 00:08

    CRIADOR DA GIRIA "NA MORAL DIZ... EU,COMPOSITOR DEMARIO CRIEI A GIRIA NOS ANOS 80,FAZ PARTE DE UMA MUSICA INSCRITA NO FESTIVAL DA ESCOLA (REPUBLICA DO PARAGUAI) V.PRUDENTE-S.P . PORTANTO,AI ESTÁ A ORIGEM DA GIRIA (AGORA QUE SABEM) A GLOBO PODERIA AO MENOS NOTIFICAR QUE...CRIEI ESTE DIZER,EMBORA SEJA DE DOMINIO POPULAR.

  13. Yra Noronha Postado em 26/Sep/2012 às 02:19

    concordo em quase tudo com vc, só discordo na parte do racismo. vcs, mesmos, é que acham que tudo qto tem imagem de macaco se remete aos negros. sendo assim, vamos matar todas as especies desses primatas, existentes no mundo, só pra dizer que estamos a combater o racismo... pelamor, gente! nem tudo é racismo. e o cara é negro... mas o apelo da mulher objeto, concordo totalmente! essa ação mercadológica do corpo feminino está tomando âmbitos mais apelativos que na década de 90. e acho q a tendencia é piorar! bjux.

  14. Gilberto Alves Postado em 27/Jun/2013 às 15:38

    Na Moral, um programa imoral conduzido por uma auto declarada celebridade, que pretende parecer intelectual (mesmo que para isso se aproprie de textos alheios, modificando-os e não dando o devido crédito) e totalmente sem moral.

  15. eu daqui Postado em 20/Jan/2014 às 16:42

    Esse barango Deve ser brocha há anos. Incubado ! Bem feito ser o que é: precisar inferiorizar o outro é atestar o próprio fracasso.