Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Blogosfera 02/Jun/2012 às 13:47
3
Comentários

Ataque de Gilmar aos 'blogs sujos' respinga em 'blogs cheirosos'; Ricardo Noblat responde

O jornalista Ricardo Nobtal critcou a pretensão do ministro Gilmar Mendes, do STF, de impedir o patrocínio de estatais aos chamados ‘blogs sujos’que, segundo ele, atacam as instituições. O comentátio segue abaixo:

ricardo noblat gilmar mendes

Jornalista e Blogueiro Ricardo Noblat critica Gilmar Mendes

O equívoco de Gilmar Mendes, por Ricardo Noblat (O Globo)

O ministro GilmarMendes informou à Rádio do Moreno que entrará com uma ação na Procuradoria-Geral da República pedindo o substrato das empresas estatais que usam o dinheiro público para o financiar blogs que atacam as instituições.

Disse Gilmar:

– É inadmissível que esses blogueiros sujos recebam dinheiro público para atacar as instituições e seus representantes. Num caso específico de um desses, eu já ponderei ao ministro da Fazenda que a Caixa Econômica Federal, que subsidia o blog, não pode patrocinar ataques às instituições.

E disse ainda:

Leia mais

– O direito de crítica, de opinião, deve ser respeitado. Mas o ataque às instituições é intolerável.

Ataco a instituição chamada presidência da República quando ataco o eventual ocupante da cadeira de presidente da República?

Por mais que eu critique um ministro do Supremo Tribunal Federal posso ser acusado de criticar o próprio Supremo?

E se digo que o Congresso virou um antro de políticos interessados antes de tudo em enriquecer devo ser punido com a supressão de anúncios de empresas estatais que porventura prestigiam meu blog?

A VEJA está repleta de anúncios de empresas estatais – e ela não dá moleza para o governo. Deveria perder tais anúncios?

Acho que o ministro confunde “Cid Sampaio” com “feijoada com paio”.

Qualquer pessoa ou instituição que se julgue ofendida por um jornalista ou veículo de comunicação tem o direito de procurar a Justiça e pedir reparação.

É como procede o próprio Gilmar, alvo preferencial de blogs que fazem parte do PIG (Partido da Imprensa Governista).

De resto, é bom não confundir pessoas com instituições. Instituições são permanentes. Pessoas passam.

As próprias instituições também são passíveis de censura. Por que não deveriam ser?

Pregar o fim do patrocínio publicitário a qualquer veículo é trair o desejo de asfixiá-lo.

Isso atenta, sim, contra a liberdade de imprensa.

Em tempo: o titular deste blog não ganha um tostão, nem direta nem indiretamente, pelos anúncios aqui veiculados.

Recomendados para você

Comentários

  1. Rita Candeu Postado em 03/Jun/2012 às 09:24

    que absurdo!!! o que GM pretende? calar a todos? e viva os blogs e a internet que nos livrou do PIG

  2. Matheus Postado em 22/Aug/2012 às 20:48

    Uma vergonha!!

  3. Matheus Postado em 22/Aug/2012 às 20:49

    Parabéns pela matéria e pelo blog!!