Redação Pragmatismo
Desigualdade Social 09/Jan/2020 às 17:29 COMENTÁRIOS
Desigualdade Social

Desabafo de mulher branca "em defesa da maioria" vira piada nas redes

Publicado em 09 Jan, 2020 às 17h29

Desabafo de mulher branca "em defesa da maioria" rende série de críticas e piadas. Internautas ainda compararam o vídeo com um famoso discurso de Jair Bolsonaro

loira branca maioria minoria

“A gente fica muito preocupado com as minorias, mas aí, e com a maioria? A gente não se preocupa também? Eles não podem ser ajudados também? A maioria não pode ser ajudada porque existe uma minoria?”

O “desabafo” acima é de uma mulher loira, branca e de identidade desconhecida. O vídeo viralizou nas redes sociais nesta quinta-feira (9).

“Esses direitos da minoria são ótimos, eu acho que todo mundo, cada vez mais, faz parte de uma minoria que tem que ter voz, que tem que ter, sabe? Sim”, pondera a mulher.

“Mas aí só porque é minoria, agora tem que ser mais importante do que a maioria? Não acho. Acho que todos são importantes, a maioria e a minoria. O importante é o ser-humano”, acrescenta.

O vídeo foi alvo de críticas e piadas. “É quase como questionar: Por que se preocupar apenas com o meio ambiente e não com o ambiente inteiro?”, ironizou um internauta.

“Cinco minutos de conversa com essa pessoa já é mais do que suficiente para levar qualquer pessoa com cinco neurônios ao suicídio”, escreveu outro.

Internautas afirmaram ainda que o vídeo lembra uma famosa frase de Jair Bolsonaro. “Não tem essa historinha de estado laico não. O estado é cristão e a minoria que for contra, que se mude. As minorias tem que se curvar para as maiorias”, disse o presidente durante discurso em 2017 (relembre abaixo).

VÍDEOS:

Desigualdade no Brasil

A última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, publicada em novembro de 2019, revelou o caráter avassalador da desigualdade no Brasil.

Uma mulher negra, por exemplo, precisa trabalhar 55 minutos a mais para recolher o mesmo que um homem branco ganha em uma hora. Já para os homens negros, o número é de 45 minutos a mais de trabalho.

O rendimento médio por hora trabalhada também apresenta desigualdade de gênero e etnia no país. Enquanto a média dos negros é de R$ 11 para homens e R$ 10, para mulheres, para as pessoas brancas é R$ 19 para homens e R$ 17, para mulheres. Em todos os estados, os negros recebem 30% menos que os não negros, em média.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários