Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 22/Nov/2019 às 12:59 COMENTÁRIOS
Mulheres violadas

Danielly Teles, mais uma vítima de feminicídio no Brasil

Publicado em 22 Nov, 2019 às 12h59

Danielly Teles foi assassinada a facadas em praça pública pelo ex-companheiro, que não aceitava o fim do relacionamento. No momento do crime, ela tomava um sorvete. Sepultamento deve atrasar porque irmã e mãe da vítima moram no exterior e estão a caminho do Brasil

Danielly Teles
Danielly Teles

Danielly Teles Baffa, de 25 anos, é mais uma vítima de feminicídio no Brasil. A jovem foi assassinada a facadas pelo ex-namorado enquanto tomava sorvete em uma praça na cidade de Araraquara (SP), na noite desta quinta-feira (21).

A jovem tinha saído do trabalho e foi até a praça com um amigo para tomar o sorvete que tinha comprado em uma lanchonete. Os dois estavam sentados em um banco, quando o agressor chegou de moto e partiu para cima do homem que estava com a vítima.

O rapaz correu e o ex-namorado atacou Danielly com vários golpes nos braços, pescoço e pernas. Em seguida ele tentou fugir de moto, mas não conseguiu ligar o veículo, chegando a derrubá-lo e fugiu a pé.

Testemunhas do crime tentaram ajudar Danielly, mas ela já estava morta quando os socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegaram. A jovem iria fazer 26 anos na próxima terça-feira (26).

No bolso de Danielly a Polícia Científica encontrou uma carta de amor, possivelmente escrita pelo ex-namorado, que permanece foragido até a publicação deste texto.

A princípio, a polícia não divulgou o nome do agressor, mas testemunhas afirmaram que se trata de Dagner Ribas dos Santos Silva, de 33 anos. O namoro acabou recentemente mas ele não aceitava o fim do relacionamento.

O velório de Danielly deve começar a acontecer por volta das 15:30 desta sexta-feira (22), e o sepultamento apenas no próximo domingo (24), pois a irmã e a mãe da vítima moram na Itália e estão a caminho do Brasil.

Feminicídio no Brasil

No Brasil, 13 mulheres são mortas por dia. No total, 4,8 em cada 100 mil mulheres morrem por violência doméstica – essa taxa coloca o Brasil em quinto lugar no ranking de violência doméstica criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A cada 1 hora e meia, uma mulher morre no Brasil por causas violentas – e, nesse cenário, o marido ou namorado é responsável por mais de 80% dos casos. Os dados são de pesquisas do Ipea, Mapa da Violência e do SESC.

A denúncia de violência doméstica pode ser feita em qualquer delegacia, com o registro de um boletim de ocorrência, ou pela Central de Atendimento à Mulher (Ligue 180), serviço da Secretaria de Políticas para as Mulheres. Vale lembrar: a denúncia é anônima e gratuita, disponível 24 horas, em todo o país.

Para proteger e ajudar as mulheres a entenderem quais são seus direitos, em 2014, a Secretaria lançou um aplicativo para celular (Clique 180) que traz diversas informações importantes, como os tópicos da Lei Maria da Penha.

O Código Penal estipula a pena de reclusão de 12 a 30 anos para o homicídio contra a mulher por razões da condição de sexo feminino (feminicídio).

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários