Redação Pragmatismo
Corrupção 01/Set/2019 às 10:22 COMENTÁRIOS
Corrupção

Suspeita de que Michelle Bolsonaro era gerente de caixa 2 deixa deputados nervosos

Publicado em 01 Set, 2019 às 10h22

Bancada do PSL apreensiva: escândalo a que se referiu Jair Bolsonaro apontaria sua esposa Michelle como gerente do caixa 2 da família

michelle bolsonaro escândalo caixa 2
Michelle Bolsonaro (Imagem: DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES)

O Diário do Centro do Mundo noticiou neste sábado (31) que é grande a apreensão do PSL com o escândalo que está para estourar envolvendo a primeira dama Michelle Bolsonaro.

Texto assinado por Joaquim de Carvalho, citando um parlamentar da legenda, diz que a denúncia que virá à baila vai apontar Michelle como uma espécie de gerente do caixa 2 alimentado com dinheiro dos gabinetes dos parlamentares da família Bolsonaro.

“Pode ser dinheiro de funcionários dos gabinetes, o que caracteriza peculato (apropriação de bem público). Pode ser recurso do esquema de milicianos, ao qual Fabrício Queiroz e família Bolsonaro são ligados. Pode ser dinheiro de corrupção pura e simples. A conferir”, observa Joaquim.

Jair Bolsonaro já tem conhecimento da nitroglicerina. Na última segunda-feira (26) ele antecipou o que estaria por vir.

“Não adianta fazer essa campanha pesada contra a minha pessoa, contra a minha família. E, agora, contra quem está do meu lado também, porque está para estourar um problema também… Problema, não, uma falsa acusação de uma pessoa importante que está do meu lado. É o tempo todo assim! O tempo todo assim! Nós vamos ganhar essa batalha”, declarou a jornalistas na saída do Palácio da Alvorada.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Bolsonaro fez críticas à imprensa e não quis responder a perguntas dos jornalistas, nem esclareceu sobre a que estava se referindo.

No início do ano, o Coaf rastreou um depósito de R$ 24 mil na conta da primeira-dama. O dinheiro foi depositado pelo ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz.

Queiroz estava desaparecido há meses, mas foi encontrado pela Revista Veja na última semana no bairro do Morumbi, em São Paulo.

Acusado de envolvimento com milícias, o ex-policial trabalhou para a família Bolsonaro durante anos. Natália, filha de Queiroz, chegou a ser lotada no gabinete de Jair Bolsonaro. Ela recebia sem trabalhar.

Recomendações

Comentários