Redação Pragmatismo
Política Externa 24/Set/2019 às 14:26 COMENTÁRIOS
Política Externa

Discurso de Jair Bolsonaro na ONU é uma vergonha histórica; veja a íntegra

Publicado em 24 Set, 2019 às 14h26

Aparentando nervosismo, impaciência e irritação, Jair Bolsonaro faz na ONU discurso retrógrado escrito por aluno de Olavo de Carvalho e que remete aos tempos da Guerra Fria. Diante dos olhos do mundo, presidente não se intimidou em divulgar informações falsas

discurso de jair bolsonaro na onu

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em Nova York, foi chamado de vergonhoso por oposicionistas e de retrógrado pela imprensa internacional.

Em seu pronunciamento, Bolsonaro demonstrou dificuldades para ler o teleprompter e negou que a Amazônia esteja sendo devastada.

O presidente ainda atacou líderes estrangeiros, como Nicolás Maduro, da Venezuela, e Emmanuel Macron, da França, além do cacique Raoni, um dos principais porta-vozes da causa indígena em todo o planeta.

Em mais de 30 minutos, Jair Bolsonaro pareceu nervoso e atacou a imprensa internacional pela publicação do que chamou de notícias “sensacionalistas” sobre os incêndios na floresta amazônica. Segundo ele, é uma falácia dizer que a Amazônia é “um patrimônio da humanidade”.

Diante dos olhos do mundo, Bolsonaro não se intimidou em divulgar informações falsas, como a de que os incêndios na Amazônia são naturais e “consequência do clima seco”, além de afirmar que as queimadas são provocadas pelos “próprios indígenas”. A fala do mandatário brasileiro repercutiu imediatamente no Brasil e no mundo.

“O discurso de Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU expõe o Brasil ao mundo como um país refém de um presidente que sofre de cegueira ideológica, mente, insulta países parceiros e ataca um dos maiores líderes indígenas brasileiros, o cacique Raoni. Que vergonha!”, comentou o deputado Alessandro Molon.

“O Brasil nunca passou tanta vergonha na ONU! Bolsonaro foi até lá culpar nossos indígenas pela sua gestão ridícula da crise na Amazônia, atacou nações que nos ofereceram ajuda, defendeu a ditadura militar e esbravejou asneiras ideológicas diante do mundo! Vexame”, disse o senador Randolfe Rodrigues.

“Bolsonaro repudia tanto a questão ideológica que se limitou a fazer um discurso puramente ideológico, raso, repleto de mentiras e fake news em plena ONU. Levou sua ignorância para o palco do mundo. Que vergonha! Uma vergonha histórica”, afirmou a deputada Jandira Feghali.

“De onde menos se espera, daí é que não sai nada. A frase do Barão de Itararé resume perfeitamente mais esse vexame internacional de Bolsonaro”, assinalou Marcelo Freixo.

Guerra Fria

O discurso de Bolsonaro foi avaliado como retrógrado por observadores internacionais, que associaram a fala do mandatário brasileiro ao período anterior à queda do Muro de Berlim. Em sua fala, Jair Bolsonaro criticou os governos anteriores ao seu e afirmou que o Brasil esteve a ponto de ser tomado pelo “comunismo”.

O presidente brasileiro fez ao críticas ‘Foro de São Paulo’, seguindo recomendação do seu guru Olavo de Carvalho. “O Foro de São Paulo, organização criminosa criada em 1990 por Fidel Castro, Lula e Hugo Chávez para difundir e implementar o socialismo na América Latina, ainda continua vivo e tem que ser combatido”, esbravejou.

O discurso que Bolsonaro leu na ONU foi escrito por Filipe Martins, aluno de Olavo de Carvalho que ocupa o cargo de assessor especial da Presidência da República. Veja a íntegra abaixo:

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários