Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 31/Jul/2019 às 12:27 COMENTÁRIOS

Mãe e filha tentam defender cachorro e são espancadas no Rio de Janeiro

Mãe e filha foram agredidas quando tentavam defender um cachorro em um bar no Rio de Janeiro. Jovem levou socos, pontapés e joelhadas na cabeça e chegou a desmaiar. Homem mordeu braço de uma das vítimas

mãe filha agredidas cachorro rio

“Ver a minha filha sendo linchada no chão e não poder fazer nada porque estavam me segurando, e ver ela levando uma joelhada na cabeça e outro cara mordendo o braço dela é uma imagem que eu nunca vou esquecer.”

O depoimento acima é de uma mãe que foi espancada junto com a filha na noite do último domingo (28) em um bar na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

A confusão aconteceu quando Pâmela Espinosa, a mãe, de 39 anos, tentou defender um cachorro. Segundo a vítima, seis pessoas se sentaram numa mesa ao lado, acompanhadas de dois cães. Um dos homens do grupo começou a enforcar um dos cães com a coleira e ela pediu para que ele parasse.

“Ele pulava com o cachorro de lado para lado, e todo mundo começou a comentar”, contou Pâmela. Testemunhas afirmam que mãe e filha, Sofia, foram agredidas pelo homem e por outras duas mulheres que faziam parte do grupo.

“Uma mulher veio para cima de mim e a minha filha levantou para me defender. O homem empurrou a minha filha e a mulher me deu um tapa e me agarrou pelo cabelo. Enquanto isso, o cara estava batendo na minha filha e a outra mulher também começou a bater”, afirmou a mãe.

“Foi horrível, ainda estamos abaladas. Os garçons foram anjos na nossa vida. Se não fosse a gerente, a mulher ia me matar”, acrescentou Pâmela.

Sofia levou socos, joelhadas e pontapés na cabeça e chegou a desmaiar. Os agressores pagaram a conta com dinheiro e fugiram. Depois de algumas horas, o homem retornou ao local e fez ameaças. “Ele disse que se as imagens das agressões vazassem, haveria consequências”, contou uma testemunha.

Os responsáveis pelo bar prestaram depoimento na 16ª Delegacia de Polícia (Barra). De acordo com o delegado, os agressores ainda não foram identificados, mas responderão por lesão corporal. Imagens da câmera de segurança do bar serão analisadas pela polícia.

Presidente da Comissão de Defesa dos Animais da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, o vereador Luiz Carlos Ramos Filho encaminhará um ofício para a Subsecretaria de Bem-Estar Animal para que os responsáveis sejam autuados por maus-tratos. A multa pode variar entra R$ 1 mil e R$ 1,4 mil e ocasionar perda de guarda do animal.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários