Redação Pragmatismo
Redes Sociais 18/Jul/2019 às 09:34 COMENTÁRIOS

Carlos Bolsonaro e Carla Zambelli surtam após atualização do Instagram

Atualização do Instagram provoca a fúria de alguns personagens da política brasileira. Outras figuras consideram a mudança positiva. Entenda as causas e efeitos da alteração

carla zambelli carlos bolsonaro instagram
Carla Zambelli e Carlos Bolsonaro (Michel Jesus/Câmara dos Deputados)

Dois personagens da política brasileira estão inconformados com a mais recente atualização divulgada pelo Instagram nesta quarta-feira (17). De acordo com o vereador Carlos Bolsonaro, as mudanças representam uma conspiração com o objetivo de prejudicar o seu pai, o presidente Jair Bolsonaro.

“Confere que o Instagram não mostra mais o número de curtidas numa postagem? Empresa privada, ok. Se isso for real saiba que o intuito é barrar o crescimento dos que pensam de forma independente, ou seja, aqueles que estão rompendo o sistema. Quem raciocina sabe o q isso significa”, postou Carlos Bolsonaro.

O filho do presidente acrescentou: “As justificativas usadas para não mostrar as curtidas no Instagram, como combate ao bullying e suas derivações são apenas a certeza de que seguem a cartilha ideológica “progressista”. Querem limitar o interesse da informação e criar manipulados como em todos os campos já sabidos”.

Um internauta ironizou a reação de Carlos: “Sim, Carlos, o Instagram lança uma mudança GLOBAL de ocultar número de curtidas (Kim Kardashian, Obama, Beyoncé, todo mundo recebendo a mesma mudança), mas na verdade o Instagram quer calar quem luta contra o “sistema” do seu pai hahahaha, que autoestima da p*”.

A deputada federal Carla Zambelli (PSL), por sua vez, acredita que a atualização do Instagram só traz benefícios para “gordas, feministas e peludas” frustradas.

“E o Instagram sumiu mesmo com o número de likes. Tudo para a gorda feminista peluda do cabelo roxo não ficar deprimida ao ver o desempenho da coleguinha na rede”, escreveu a parlamentar.

Zambelli recebeu cerca de 5 mil comentários após a postagem, a maioria repudiando sua atitude. “Procure ajuda. Se medique. Consulte um bom psiquiatra”, disse um seguidor.

“É no mínimo triste um comentário desse vindo de uma mulher que também não se encontra dentro dos padrões impostos pela sociedade e precisa depreciar outras mulheres pra se sentir aceita diante o público masculino”, disse uma seguidora.

Alguns comentários rebatiam o que está escrito no perfil da deputada, que se descreve como “cristã” e fala de Jesus, uma vez que o cristianismo prega o amor ao próximo como mandamento fundamental.

Atualização do Instagram

Nesta quarta-feira (17), o Instagram anunciou uma de suas mudanças mais radicais: o início do fim dos ‘likes’ para os usuários brasileiros. Esse experimento começou em maio, no Canadá, país no qual tem se tido êxito com a iniciativa.

Em um comunicado oficial, a rede social disse que a decisão é uma forma de desestimular a competição entre as pessoas e incentivar que o app seja usado para contar histórias, sem visar ‘likes’ apenas.

Ainda será possível curtir as fotos e vídeos dos outros no Instagram. A diferença é que só quem publicou o post conseguirá ver o número de likes recebidos. Número este que, portanto, não ficará exibido publicamente.

Ainda segundo o Instagram, a novidade procura tornar o ambiente virtual mais saudável, menos viciante, um meio para conversas que promovam sentimentos benéficos aos usuários.

“Iniciamos esse teste porque queremos que os seguidores se concentrem mais nas fotos e vídeos que são compartilhados, do que na quantidade de curtidas que recebem. Não queremos que as pessoas sintam que estão em uma competição dentro do Instagram”, comunicou a rede social.

Atualização é boa ou ruim?

Diretor da ONG SaferNet, o psicólogo Rodrigo Nejm acredita que a mudança é positiva, sobretudo para os mais jovens. “A atualização mostra que o próprio Instagram entende que o público tem experimentado uma vivência tóxica e nociva, que não é boa para a saúde, nem para as vendas de publicidade que eles esperam.”

“Há tempos existe a noção de que as redes sociais trabalham com escolhas prejudiciais ao usuário. Como os aplicativos funcionam, como os números se mostram, ou como as notificações são recebidas, tudo é desenhado para criar um ambiente de constante ansiedade e expectativa. Ajustar e equilibrar pode resultar em mudanças positivas para como as pessoas investem o seu tempo nessas mídias. Essa atualização levará essa discussão aos jovens, que são os mais afetados pelo ambiente online e têm mostrado demandas por uma vida menos artificial”, concluiu.

Apesar das reclamações de Carlos Bolsonaro e Carla Zambelli, diversas figuras que também gozam de bastante alcance na rede social comemoraram a medida.

“Viva o fim do LIKE! Já vi muitos se frustrando simplesmente por não ter um número “x” de likes em determinada foto, e isso faz mal. Não vendo o número de likes temos uma coisa a menos para se comparar com os outros e de quebra ainda reparamos mais no conteúdo e menos em um número”, opinou o ator e apresentador Felipe Castanhari.

A mudança do Instagram significa também um duro golpe para os influenciadores e personagens públicos que estavam acostumados a iludir o público — aqueles que se apoiam em táticas conhecidas de compra de números de seguidores e curtidas. A partir de agora, a estratégia não terá mais tanto efeito.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários