Redação Pragmatismo
Justiça 05/Jul/2019 às 14:51 COMENTÁRIOS

Filho de Carlos Velloso é nomeado por Bolsonaro após pai defender Moro

Filho de ex-ministro do STF é nomeado por Bolsonaro para o TSE após pai defender Sergio Moro. Carlos Velloso foi um dos poucos juristas conhecidos a manifestar apoio ao ex-juiz e não ver "nada demais" nos diálogos vazados

Bolsonaro Moro TSE Carlos Velloso
Bolsonaro e Moro (imagem: Franklin de Freitas)

O presidente Jair Bolsonaro escolheu o advogado Carlos Velloso Filho para a vaga de ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ao nomear Carlos Velloso Filho, Bolsonaro deixa de lado a tradição de escolher o primeiro colocado da lista tríplice. A advogada Daniela Teixeira encabeçava a lista enviada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ao presidente.

Velloso Filho – que é filho do ex-presidente do Supremo Carlos Velloso – ficou em terceiro lugar, atrás de Daniela e de Marçal Justen Filho. Embora a lista seja para uma vaga no TSE, cabe ao Supremo votá-la e enviá-la ao presidente.

Na última semana, o ex-ministro Carlos Velloso defendeu publicamente o ministro da Justiça, Sérgio Moro, no caso dos vazamentos feitos pelo site The Intercept Brasil.

“O ministro Moro apresenta todas as condições constitucionais para ocupar o cargo de ministro de qualquer tribunal superior, inclusive do Supremo Tribunal Federal. Um juiz severo, mas garantidor das garantias individuais. É meu modo de ver. In Moro, I trust.”, declarou Carlos Velloso.

É possível que Carlos Velloso tenha sido o único jurista de renome a não ver nenhuma ilegalidade nos diálogos entre Sergio Moro e os membros da força-tarefa da Lava Jato.

Em Brasília comenta-se que o posicionamento de Velloso foi estratégico e visava assegurar a simpatia de Bolsonaro para que seu filho ficasse com a vaga no TSE — o que, de fato, aconteceu.

Durante a audiência na Câmara no início da semana, quando teve que dar explicações aos deputados sobre as suas conversas com os procuradores da da Lava Jato, Sérgio Moro citou várias vezes as declarações do pai do novo integrante do TSE tentando justificar a sua inocência.

A escolha de Carlos Velloso Filho para a vaga do TSE mantém uma velha prática do judiciário brasileiro de nomeação de filhos de pessoas que têm ou já tiveram cargos importantes dentro dos tribunais.

Carlos Velloso

Ex-ministro do STF, Carlos Velloso é advogado e porta-voz do deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG), que Moro considera uma pessoa engraçada.

Em 2006, no segundo mandato de Aécio no governo de Minas, Velloso ocupou o cargo de Secretário da “Secretaria Extraordinária de Relações Institucionais”. O órgão não tinha qualquer estrutura, possuía apenas o secretário Carlos Velloso.

Expert na obtenção de cargos por articulação política, Velloso foi de juiz federal indicado pelo general Humberto Castello Branco, que inaugurou a ditadura militar no Brasil, a ministro do Supremo Tribunal Federal.

Praticamente não chegou a exercer a advocacia. Formou-se em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 1963, já em 1967 assumia o cargo de juiz federal no Estado.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários