Redação Pragmatismo
Governo 25/Jun/2019 às 13:58 COMENTÁRIOS

Em decisão política, Paulo Henrique Amorim é afastado da TV Record

Crítico de Jair Bolsonaro, jornalista Paulo Henrique Amorim é afastado da TV Record depois de 14 anos ininterruptos no Domingo Espetacular. Emissora é uma das principais beneficiadas financeiramente pelo atual governo

Paulo Henrique Amorim
Paulo Henrique Amorim (reprodução)

A TV Record anunciou o afastamento do jornalista Paulo Henrique Amorim nesta segunda-feira (24). Depois de 14 anos ininterruptos comandando o programa Domingo Espetacular, o comunicador deixa a atração definitivamente.

“Paulo Henrique Amorim deixa o programa e permanece na emissora à disposição para novos projetos”, disse a emissora em nota oficial. O jornalista tem contrato com a Record até 2021.

Embora a Record não divulgue as razões por trás do afastamento, no meio jornalístico e também no televisivo sabe-se que Paulo Henrique Amorim é considerado uma das pedras no sapato do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

O bispo evangélico Edir Macedo, dono da Record, é amigo pessoal de Bolsonaro e participou ativamente da campanha eleitoral de 2018. Uma das principais fontes de receita da emissora é a verba de publicidade do governo federal.

Segundo o site Notícias da TV, do portal UOL, faz tempo que a Record é pressionada por apoiadores de Sergio Moro e de Jair Bolsonaro para demitir Paulo Henrique Amorim.

A emissora resistiu durante algum tempo, afinal uma pesquisa apontou que o rosto do profissional era fundamental para a credibilidade do programa Domingo Espetacular.

Além de jornalista e apresentador, Paulo Henrique Amorim edita o blog Conversa Afiada.

Leia a íntegra da nota da Record:

O Domingo Espetacular, a partir deste domingo, 30/06, será apresentado por Patrícia Costa e Eduardo Ribeiro. Paulo Henrique Amorim deixa o programa e permanece na emissora à disposição para novos projetos.

As mudanças fazem parte do processo de reformulação do jornalismo da Record TV, que está sendo implementado pelo vice-presidente de jornalismo da Record TV, Antonio Guerreiro, desde janeiro deste ano.

Dízimo

Para o jornalista Fernando Brito, o afastamento de Paulo Henrique Amorim tem viés político e financeiro. “A TV Record está dando a sua parte, o seu dízimo, pelas graças alcançadas com o Governo, de natureza nada espiritual”, observa Brito.

O jornalista refere-se ao aumento dos gastos oficiais do governo federal com publicidade, com fatia generosa (e inédita) para a TV Record, que chegou a superar a Globo em faturamento. Confira:

 Gasto de publicidade no governo Bolsonaro cresce, e Record supera Globo

Recomendações

Comentários

  1. Apocalipsis 13 Postado em 05/Jul/2019 às 16:20

    https://uploads.disquscdn.com/images/9c1fda2519bf86cb1e049d016849a3d493e51d2bc5e1de4d4be423d02067cd37.jpg

  2. andersonwergutzflip Postado em 05/Jul/2019 às 16:20

    Tchau Querido!!

  3. Guerreiro Genuíno Postado em 05/Jul/2019 às 16:20

    demitiram o PHA só porque ele é mentiroso, racista, caluniador, mercenário e tem a oratória de uma lombriga com alzheimer???!!??!? começou a ditadura!!!

  4. Afonso Dumont Postado em 05/Jul/2019 às 16:20

    Nem gosto desses trocadalhos do carilho, mas nesse caso cai como uma luva: quem lacra não lucra. Aprendam a lição.

  5. Wilson Roberto Nunes Postado em 05/Jul/2019 às 16:20

    Ô Pacheco, e o cara da ABIN no começo do gov Lula? E a Joice? E o analista do Santander? E A analista do Santander pela Dilma? Isso, obviamente, ñ foi ditadura! Agora é?