Redação Pragmatismo
Barbárie 26/Jun/2019 às 17:29 COMENTÁRIOS

Homem mata mulher em festa infantil após discussão por causa de um bolo

"Nunca vi isso. O cara vir armado numa brincadeira de criança, chegar na covardia e tirar a vida de uma mãe de família", desabafa marido da vítima. Vanderléia deixa 4 filhos pequenos que continuam chamando por ela

Nelson de Oliveira Bueno bolo vanderléia
Nelson de Oliveira Bueno

Vanderléia Inácio dos Santos, de 25 anos, foi assassinada com três tiros após uma discussão envolvendo um bolo durante uma festa junina infantil na cidade de Sete Barras (SP).

“Nunca vi isso. O cara vir armado numa brincadeira de criança, chegar na covardia e tirar a vida de uma mãe de família. O psicológico da gente não tem nem explicação”, desabafou o marido da vítima.

O marido de Vanderléia contou que não estava no local, mas ouviu os disparos que tiraram a vida da esposa. “Achei que era bombinha. Quando abri a porta ela estava caída e a irmã dela estava segurando ela”, relembrou.

O autor dos disparos é Nelson de Oliveira Bueno, de 47 anos. Ele fugiu do local após cometer o crime para livrar o flagrante. Nelson se apresentou à polícia três dias depois e hoje aguarda a apuração do crime em liberdade.

“Nelson se apresentou posteriormente, já com o advogado. Como ele fugiu no dia do crime, não houve flagrante e, por isso, ele não foi preso”, disse o delegado que tomou o depoimento do atirador.

Na versão apresentada pela polícia e que consta no boletim de ocorrência, a briga foi provocada porque a vítima levou à festa um bolo em vez de um salgado, como era o combinado. Testemunhas contaram ainda que o atirador desdenhou do bolo e uma discussão teria começado.

Vanderléia deixa quatro filhos: uma menina de 6 anos e três meninos, de 8 anos, 4 anos e um bebê de 10 meses, que ela ainda amamentava. “Minha sobrinha chora toda noite querendo a mãe. E a gente consola, fala que a mãe está num bom lugar”, contou uma familiar.

O crime, registrado como homicídio qualificado, está em fase de inquérito. Após sua conclusão, a investigação será encaminhada ao Judiciário. A polícia informou que não se responsabiliza pela proteção de Nelson enquanto ele estiver em liberdade.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Carlos Augusto Normann Postado em 05/Jul/2019 às 16:20

    deixa um imbecil ter arma...olha o que dá!