Redação Pragmatismo
Barbárie 17/May/2019 às 12:04 COMENTÁRIOS

Grávida de 19 anos é estrangulada e tem o bebê arrancado da barriga

Jovem grávida de 9 meses é estrangulada e tem o bebê arrancado da barriga. Recém-nascido sobrevive, mas está em estado grave. O crime ocorreu na cidade de Chicago, nos Estados Unidos

bebê arrancado da barriga Marlen
A jovem Marlen Ochoa-Lopez estava grávida de 9 meses, quando foi assassinada e teve o bebê retirado de sua barriga

Marlen Ochoa-Lopez, de 19 anos, foi estrangulada e teve o bebê arrancado à força de sua barriga em um crime que chocou a cidade de Chicago, no estado de Illinois (EUA). As informações são da CNN e do NY Post.

A jovem, que estava grávida de 9 meses e já era mãe de outra criança de três anos, se interessou por uma oferta de roupas de bebê no Facebook e foi até a residência da suposta vendedora.

“Acreditamos que ela foi assassinada e que o bebê foi removido à força depois disso”, disse Anthony Guglielmi, porta-voz da polícia de Chicago. Ele chamou o crime de “ato indescritível de violência”.

O crime aconteceu há três semanas, no dia 23 de abril, e Marlen foi dada como desaparecida durante todo esse período. Seu corpo foi encontrado na madrugada da última quarta-feira (15), nos fundos da casa onde ocorreu a barbárie. A polícia comunicou o crime à imprensa nesta quinta-feira (16).

Naquele mesmo 23 de abril, paramédicos foram chamados à casa onde o corpo de Marlen posteriormente foi encontrado para atender uma ocorrência de um recém-nascido com problemas respiratórios.

O porta-voz do corpo de bombeiros de Chicago, Larry Merritt, disse que o chamado tinha sido feito por uma mulher de 46 anos, que ligou para a emergência relatando que seu bebê recém-nascido estava em perigo.

Quando os paramédicos chegaram, “o bebê não estava respirando, estava azul”, disse Merritt, ao relatar que os médicos tentaram ressuscitar o bebê a caminho do hospital.

Família arrasada

Desde o desaparecimento de Marlen, a família vinha formando grupos de busca, organizando coletivas de imprensa e pressionando a polícia por novidades na investigação.

A grande descoberta ocorreu quando a mulher de 46 anos, que tinha afirmado ter dado à luz o bebê, criou uma campanha de arrecadação online. Segundo a campanha, a criança estava prestes a morrer e o dinheiro era necessário para o funeral.

A polícia então fez testes de DNA e descobriu que Marlen e o marido, Yiovanni Lopez, eram os pais da criança. Yiovanni tem visitado o filho no hospital. A criança respira com a ajuda de aparelhos.

“Por que essas pessoas más fizeram isso? Ela não fez nada a elas”, desabafou Yiovanni a repórteres na noite de quarta-feira (15). “Ela era uma boa pessoa”, lamentou, aos prantos.

“Sinto muita dor, muita angústia, muita tristeza. É doloroso perder sua esposa, a mulher que você mais ama. É doloroso”, finalizou o marido.

Yiovanni Lopez, marido de Marlen (reprodução)

Clarissa Figueroa

Clarissa Figueroa, de 46 anos, foi presa e apontada como a responsável pelo assassinato de Marlen. Outras duas pessoas que moravam na casa também foram detidas: Desiree Figueroa, 24, filha de Clarissa; e Piotr Bobak, namorado de Clarissa.

A família de Marlen diz que, através do Facebook, Clarissa convidou a jovem para a sua casa oferecendo um carrinho e roupas de bebê. “Ela estava doando roupas, supostamente sob o pretexto de que as filhas dela tinham recebido roupas de presente e elas tinham várias roupas sobrando para meninos”, contou Cecelia Garcia, parente de Marlen.

Clarissa, Desiree e Piotr estão presos e vão responder por assassinato

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Comentários