Redação Pragmatismo
Jair Bolsonaro 17/Mai/2019 às 16:01 COMENTÁRIOS
Jair Bolsonaro

Jornalista da Folha é agredida verbalmente por Jair Bolsonaro em Dallas

Publicado em 17 Mai, 2019 às 16h01

Irritado durante entrevista, Jair Bolsonaro desqualifica mulher no exercício de sua profissão. Presidente ainda divulgou situação constrangedora em suas redes sociais, como se tivesse aplicado uma "mitada" na jornalista

bolsonaro repórter da Folha Dallas
Bolsonaro em Dallas (Imagem: Revista Veja)

Em uma de suas últimas aparições públicas em Dallas (EUA), Jair Bolsonaro (PSL) irritou-se com a pergunta de uma repórter do jornal Folha de S.Paulo e a agrediu verbalmente.

A jornalista Marina Dias questionou o presidente sobre o bloqueio de recursos no orçamento da educação e Bolsonaro respondeu que ela deveria “entrar de novo numa faculdade que presta e fazer bom jornalismo”.

O presidente da República disse ainda que a Folha não pode contratar “qualquer um” para trabalhar no jornal e “ficar semeando a discórdia e perguntando besteira e publicando coisas nojentas por aí”.​

Bolsonaro segue constrangendo a repórter, indagando: “Você quer debater orçamento comigo?”. A repórter diz, então, que quer saber o que ele está priorizando, quando o presidente interrompe novamente a jornalista e recebe ajuda de um assessor.

Durante a entrevista, Bolsonaro foi orientado pelo secretário de comunicação da Presidência da República, Fabio Wajngarten, a usar a palavra “contingenciamento” e não “corte”.

Como se não bastasse, Jair Bolsonaro ainda publicou o vídeo com a agressão na sua conta no Twitter.

A Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) criticou a fala do presidente, dizendo que ele expôs a repórter a ofensas e ameaças de militantes virtuais.

“Ao estimular um ambiente de confronto e intimidação contra jornalistas e veículos de mídia, Bolsonaro se afasta do compromisso democrático que assumiu ao tomar posse, e fica mais próximo dos governantes autoritários, de diversos matizes ideológicos, que buscam demonizar a imprensa por ver nela um obstáculo a seus projetos de poder”, afirma a organização em nota.

Marina Dias, a jornalista atacada por Bolsonaro, é formada na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e atua como repórter de política há 9 anos.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários