Redação Pragmatismo
Educação 29/Apr/2019 às 16:55 COMENTÁRIOS

Professor explica a Bolsonaro para que serve a Filosofia

No último dia 26/04, Jair Bolsonaro tornou pública, por mensagem no Twitter, a opinião de que não considera a Filosofia útil para a sociedade. Mas para que serve a Filosofia?

Professor explica a Bolsonaro para que serve a Filosofia educação
Jair Bolsonaro e Marcos Francisco Martins (Imagem: Marcos Corrêa | PR e Currículo Lattes)

Marcos Francisco Martins*, via Facebook

Discutir a utilidade da filosofia é recorrente a quem é da área, pois se depara a todo momento com esse tipo de indagação. E as respostas, normalmente, começam com uma nova pergunta: o que se entende por utilidade?

A considerar como útil o que serve para alguma coisa, algumas coisas mais importantes da vida são inúteis. Pense na amizade: a riqueza desse tipo de relação reside no fato de que ela não serve para nada, porque se servir para alguma coisa, deixou de ser amizade porquanto se tornou algo útil. E aquele que me é útil pode ser qualquer coisa, menos meu amigo de verdade. Então, só é amizade verdadeira quando é inútil.

Todavia, não parece ser esse o espírito da fala do Presidente. Supõe-se que o que ele pretendeu dizer é que a Filosofia não é útil porque não tem aplicabilidade prática imediata, ou seja, ela não passa pelo crivo do pragmatismo. Sendo assim, não merece ser financiada por recursos públicos e os cursos de Filosofia, então, devem ser fechados ou não contarem mais com o dinheiro do contribuinte.

Considerando esse entendimento da Filosofia, é preciso dizer que, realmente, ela não tem aplicabilidade prática porque não é ciência aplicada. A propósito, filosofia não é ciência. Embora ambas tenham identidades, pois são racionais (baseadas na razão e não na fé, por exemplo), radicais (vão à raiz dos problemas) e rigorosas (têm métodos bem definidos), as ciências produzem conhecimento sobre objetos específicos (História: tempo; Física: movimento; Química: transformação das substâncias), enquanto a filosofia não tem um objeto, porque é uma reflexão global sobre os problemas humanos e, inclusive, investe-se da condição de consciência crítica das ciências.

Se Filosofia não é ciência, menos ainda é ciência aplicada. Se é que se pode diferenciar as ciências entre puras (básicas) ou aplicadas, as primeiras procuram compreender os “porquês” dos fenômenos e as outras detém-se em resolver problemas, em responder “como” fazer algo.

As ciências aplicadas, sobretudo, desenvolvem-se como um processo de produção do conhecimento, que visa a gerar algo como um produto, um equipamento, um instrumento qualquer, enfim, tecnologias (aplicação do conhecimento no cotidiano). A filosofia, diversamente, se processa como reflexão, de modo que seu produto é reflexivo e, assim, se identifica com a formação humana.

E para que serve a referida “formação humana”?

Para formar pessoas críticas (que não se deixam levar pelas aparências das coisas) e com senso ético (consciência da própria ação), aptas à civilidade e não à barbárie. Na educação escolar, a Filosofia procura ensinar o sujeito a expressar-se, a pensar-se e a pensar sobre os problemas da existência no mundo, com racionalidade, radicalidade, rigorosidade e amplitude.

Observe que a Constituição põe como finalidade da educação nacional três objetivos básicos: “pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho” (Art. 205). As ciências, puras e aplicadas, não são suficientes para alcançar esses objetivos, porque eles dependem de processos reflexivos e, assim, a Filosofia se torna necessária na educação básica e no ensino superior.

Além disso, a Filosofia também é a consciência das ciências. As grandes revoluções científicas (e também as sociopolíticas e religiosas) da humanidade foram precedidas, estimuladas e consolidadas por reflexões filosóficas. As teorias científicas encontram fundamento na filosofia, bem como são questionadas, em larga medida, com argumentos filosóficos.

Isso sem contar a contribuição da Filosofia para algumas áreas específicas, por exemplo:

a) Direito: impossível exercitá-lo e mesmo formar pessoas para essa área, cujo objeto é o bem, sem a Filosofia;
b) Economia: ampara-se em teorias cujo fundamento se encontra na Filosofia;
c) Administração: como formar gestores sem as teorias da administração, que se sustentam em discussões e proposições filosóficas?

Em relação à fala de Bolsonaro sobre Filosofia, cabe lhe responder que seria producente gastar menos tempo no Twitter e mais na leitura filosófica… bem como na gestão do País.

Saiba mais: Japão viveu crise institucional com extinção de cursos de humanas e voltou atrás

*Prof. Dr. Marcos Francisco Martins é graduado em Filosofia, docente da UFSCar campus Sorocaba e pesquisador do CNPq.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Paulo Roberto Galliac Postado em 05/Jul/2019 às 16:36

    É como conversar com formigas ou um ser inanimado. Bolsonaro e seus fanáticos são da planolândia. Não sabem o que é uma terceira dimensão. Só conseguem ver o eixo X e Y.

    • Pedrão de Cunha Postado em 06/Jul/2019 às 00:39

      O Brasil inteiro viu o que se estava aprendendo nessas FACÚS: ENROLAR BASEADOS, BATER LATAS, PICHAR PAREDES, CIRANDA DEDO NO "COOL", CHÁ DE AYUASKA, MUITA MACONHA, CERVEJA... OS RESULTADOS PROVAM QUE BOLSONARO ESTÁ CERTO!

  2. chichano goncalvez Postado em 05/Jul/2019 às 16:36

    Acho não, tenho absoluta certeza, que explicar ao analfabeto politico como o Bolso Nada, pra que serve a filosofia é perda de tempo, ele até agora não governou o pais para o qual foi eleito. Um cara que foi EXPULSO de uma escola não tem nenhuma condição de governar um lixão (me desculpe a classe, pois eles são extremamente uteis, pois limpam a sujeira que as pessoas fazem).

    • AndersonFlip Postado em 06/Jul/2019 às 00:39

      Filosofar com dinheiro publico em faculdades que em nada retornam ao país a não ser um exercito de militantes ociosos...

  3. Eduardo Ribeiro Postado em 05/Jul/2019 às 16:36

    Se explicasse pra essa mesa velha de madeira onde apoio meu computador, seria algo mais frutífero e construtivo. A mesa entende a importância da Filosofia uns 6 anos antes desse asinino. Típico de um país retrogrado, atrasado, de ignorantes....trata professor como ameaça/inimigo, e trata conhecimento/cultura como "inuteis". O estrago que esse animal esta causando vai levar décadas pra ser superado.

    • Pedrão de Cunha Postado em 06/Jul/2019 às 00:39

      Retrogrado, atrasado, de ignorante é quem emp pleno século 21 usa como avatar a foto de um psicopata com CHE GUEVARA, que SOZINHO MATOU 5X MAIS QUE TODO O REGIME MILITAR EM 21 ANOS, o covarde matou crianças, comerciantes, fazendeiros e depois foi traido por seu mestre maligno: FIDEL CASTRO!

  4. Apocalipsis 13 Postado em 06/Jul/2019 às 00:39

    Ensinar o Bozo...esse aí perdeu tempo na vida.