Redação Pragmatismo
Senado Federal 04/Feb/2019 às 16:51 COMENTÁRIOS

Renan rebate texto de Dora Kramer com ataque de cunho sexual

Internautas questionaram se era mesmo verdadeira a publicação de Renan Calheiros em resposta ao texto de Dora Kramer. Senador trouxe à baila uma história de cunho sexual para atacar a jornalista

Dora Kramer e Renan Calheiros
Dora Kramer e Renan Calheiros

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) reagiu mal à derrota na disputa à presidência do Senado. Em comentário publicado na noite desse domingo (3), Renan fez ataque, de natureza sexual, contra a jornalista Dora Kramer, colunista da revista Veja, e o pai da senadora Simone Tebet (MDB-MS), uma das articuladoras da vitória de Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Chamado por Dora de arrogante no artigo em que a colunista analisava o resultado da eleição no Senado, Renan escreveu em sua conta no Twitter que já foi assediado sexualmente pela jornalista.

“A Dora Kramer (Veja) acha que sou arrogante. Não sou. Sou casado e por isso sempre fugi do seu assédio. Ora, seu marido era meu assessor, e preferi encorajar Geddel e Ramez, que chegou a colocar um membro mecânico para namorá-la. Não foi presunção. Foi fidelidade.”

O senador se refere ao ex-deputado preso Geddel Vieira Lima (MDB-BA) e ao ex-presidente do Senado Ramez Tebet (MDB-MS), falecido em 2006.

Filha de Ramez, Simone se aliou a Alcolumbre após ter sido preterida por Renan, em votação da bancada do MDB, na disputa à presidência da Casa. A hashtag #RenanCassado virou o assunto mais comentado do Twitter.

A jornalista recebeu centenas de manifestações de solidariedade nas redes. Dora agradeceu o apoio e disse que o senador mostrava, com seu comentário, quem de fato é. “Amigos, agradeço demais as manifestações, mas quero dizer que me abalo zero com essa coisa do Twitter. Não vou responder porque o que ele diz fala por ele”, escreveu a colunista no Facebook.

Jornalistas também saíram em defesa de Dora Kramer. “Seu post, senador, dá a real dimensão do seu caráter. Ou da falta dele”, respondeu Ricardo Noblat, também de Veja.

Fidelidade

Apesar das juras de fidelidade no casamento, Renan foi apeado da presidência do Senado em 2007 depois de ter sido acusado de direcionar emenda parlamentar em favor da empreiteira Mendes Junior.

Em troca, segundo a denúncia, o lobista da empresa pagava a pensão alimentícia devida pelo senador a uma filha que teve em relação extraconjugal com a jornalista Mônica Veloso.

Na época, o emedebista teve a cassação recomendada pelo Conselho de Ética, mas foi absolvido em plenário em votação secreta. Embora tenha preservado o mandato, ele teve de abrir mão da presidência da Casa, cargo que voltou a ocupar posteriormente por outros dois biênios.

Edson Sardinha, Congresso em Foco

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Araújo Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    Esse cara é bem pior do que eu podia imaginar!

  2. realista Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    Ele apenas detalhou fatos que acontece nos bastidores da politica. Apesar de ser chulo muitas vezes é isso que acontece nos corredores de Brasilia. O povo precisa saber mais sobre muitas coisas que nem sempre são revelados em público. Todos os pros e contra sempre tem um fundo de verdade la no fundo escondido das pessoas.

  3. nelodecarvalho Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    ESTÃO COM DOR DA VEJA, OU DAS VAGINAS QUE ENFEITAM ESTE BORDEL? Sinceramente, sou mais por Renan Calheiro do que a tubulação de excrecência e rebentada da VEJA que despeja esgoto no cérebro dos brasileiros. Não vejo porque defender gente mercenária na pele de piranhas, ou até mesmo baratas e ratas vindo dos escombros, em nome de um tal femininismo que não repeita a inocência das pessoas, se alistou ao que há de pior nesse país. Difamaram o PT e Lula, diabolizam as Esquerdas, imbecilizaram o país, ajudaram entregar este nas mãos de milicianos e esquadrões da morte. Quem tudo isso faz, quer confiança e consideração de quem!? O femininismo não está acima de interesses legítimos e honrados, muito menos quando este comunga com a mentira, a calunia e a difamação. Vindo da VEJA tudo isso é um fato, informar para agradar patrões ainda que isso custe reputações. A VEJA e quem trabalha nela não têm moral para reclamar de xingamentos ou até de de supostas mentiras. Afinal, esta se identifica muito bem com elas. Por mim, os proxenetas podem comer a VEJA e a VEJA chupar estes a bel prazer. Boa sorte! Nelo de Carvalho

  4. Roberto Pedroso Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    Eita.....Renan sendo Renan.......bom enfim....mas agora que se cuidem, MDB e Renan não estão satisfeitos por ficarem de fora de um governo amador/vacilante/juvenil e o MDB sem espaço dentro desta atual confraria politica que se estabelece onde estão envolvidos apenas partidecos inexpressivos,baixo clero,demagogos, oportunistas e os envergonhados membros do PSDB compondo a ''base governista'',diante desse quadro certamente o PMDB ''veio de guera''ficou com o orgulho ferido e irá atras de vingança,irão a forra e isso poderá significar um problema para a atual administração incipiente,vacilante,inábil que agora é responsável pelo Pais, afinal como disse Temer em entrevista a Folha alguns anos atras: ''não se governa sem o PMDB''Renan se esforçará muito para fazer jus a veracidade dessa frase....