Redação Pragmatismo
Educação 08/Feb/2019 às 09:54 COMENTÁRIOS

A carta que o ministro da Educação não vai querer ler

Professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) divulga carta para Ricardo Vélez Rodriguez, atual ministro da Educação

ministro da educação ricardo vélez
Ricardo Vélez (Imagem: Luis Fortes/MEC)

Carta de um Professor ao Ministro da Educação

Senhor Ministro,

Tomei conhecimento por diversos meios de comunicação que V. Exa. se referiu a brasileiros como sendo “canibais”, que roubam objetos de hotel e assentos salva-vidas de aviões. Senti-me pessoalmente ofendido com a fala de V. Exa. e imagino que a grande maioria dos brasileiros que tomaram conhecimento do fato estão igualmente indignados.

Sei que V. Exa. não nasceu no Brasil e muito me preocupa imaginar que os brasileiros que conheceu o tenham feito ter uma impressão tão negativa de nós. Preocupa-me ainda mais pensar que para compor sua equipe no Ministério da Educação V. Exa. tenha convidado os brasileiros que o fizeram ter essa imagem do nosso Povo.

Ao que parece, além de não conhecer os brasileiros honestos que viajam a trabalho ou a lazer, V. Exa. não teve oportunidade de conversar e dar a devida atenção a brasileiros que jamais andarão de avião e nem se hospedarão em hotéis, por não terem recurso para isso.

Garanto-lhe, Senhor Ministro, que são pessoas maravilhosas! V. Exa. deveria conhecê-las e trabalhar arduamente para dar a elas educação gratuita e de qualidade, garantir a elas o direito de estudar numa Universidade, ao invés de dizer que o ensino superior deve ser para uma “elite”. V. Exa. acha que tem o direito de dizer quem faz ou deve fazer parte da “elite” intelectual deste País?

Se se dedicasse a conhecer de verdade os brasileiros, conversando também com as pessoas mais pobres, V. Exa. iria se surpreender e se encantar com nosso Povo, iria descobrir que há pessoas não alfabetizadas que são muito mais inteligentes do que Ministros de Estado. Não confunda, Senhor Ministro, “escolaridade” ou “poder econômico” com “inteligência”.

Fiz essa introdução, Senhor Ministro, antes de dizer que sou servidor público, professor universitário concursado, e que isso muito me orgulha. Como servidor, cabe-me ensinar a V. Exa., caso ainda não saiba, que temos o Código de Ética Profissional do Servidor Público Federal, Decreto n. 1171 de 22 de junho de 1994.

No referido Decreto é citado que “(…) Tratar mal uma pessoa que paga seus tributos direta ou indiretamente significa causar-lhe dano moral (…)”. No mesmo Decreto consta como um dos deveres fundamentais do servidor público:

(…) ser cortês, ter urbanidade, disponibilidade e atenção, respeitando a capacidade e as limitações individuais de todos os usuários do serviço público, sem qualquer espécie de preconceito ou distinção de raça, sexo, nacionalidade, cor, idade, religião, cunho político e posição social, abstendo-se, dessa forma, de causar-lhes dano moral (…).

Na minha modesta avaliação, V. Exa. está causando dano moral a todos nós brasileiros e demonstrando não ter nem preparo nem dignidade para assumir o nobilíssimo cargo de Ministro de Estado da Educação. Não o conheço, Senhor Ministro, mas caso seja do tipo de pessoa que tem arroubos autoritários, cabe-me citar mais um dos deveres fundamentais do servidor público, citado no Decreto n. 1171, que é “(…) ter respeito à hierarquia, porém sem nenhum temor de representar contra qualquer comprometimento indevido da estrutura em que se funda o Poder Estatal”.

VEJA TAMBÉM: Ministro da Educação culpa a mídia por suas declarações desastrosas

Escrevo, portanto, sem nenhum temor, pois estou agindo em defesa do Povo brasileiro que foi ofendido por V. Exa. Cabe a mim essa atitude como servidor público. É esse Povo de quem V. Exa. tem uma imagem tão deturpada que paga nossos salários, é a ele que devemos dar satisfação, é para ele que devemos trabalhar, é dele que devemos cuidar.

É sempre tempo de aprender, Senhor Ministro. Desejo que V. Exa. tenha humildade para aprender algo ao ler esta carta escrita por um servidor público vinculado ao Ministério da Educação. Espero também que outros servidores públicos a leiam e que não se intimidem por superiores hierárquicos que não honram o cargo que ocupam.

Atenciosamente,

Valter Lúcio de Pádua
Universidade Federal de Minas Gerais
Professor do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental

Belo Horizonte, 3 de fevereiro de 2019.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Maria Borges Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    Professor obrigada por escrever essa carta ao Sr. Ministro da Educação. Alguém deveria escrever, mesmo. Assino embaixo. E que nível de Ministro! Defender que só a elite dever ter educação universitária é ser contra todo o desenvolvimento e progresso de um país.

  2. Roberto Pedroso Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    Não de fato o ministro não irá ler pois o sujeito não domina a língua portuguesa isso fica claro em sua fala mesmo estando já a décadas aqui no Brasil o cara fala sem pleno domínio da língua; fato é um só,este governo de estultos colocam um sujeito que se escondeu aqui no Brasil na época da Ditadura Militar(ficando acoitelado e protegido pelo regime de exceção vigente no Brasil à época)e depois de escrever uma serie de obras sem expressão ficou famoso com a publicação de um livro que atacava frontalmente um partido especifico ao qual o atual presidente se diz ''arquirrival''só isso bastou para este sujeito ser alçado ao posto de ministro,esse é o atual cenário politico, formado por um bando de descompensados/demagogos e oportunistas de primeira ordem.

  3. enganado Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    Nesta __ditadura militar_judi$$$ial ANGLO_SIONISTA___, os milicianos amigos da """ FAMIGLIA BOÇALnarCo e sua GANGUE Fardada """""" , têm seu lugar reservado em algum ministério, ou será que não tem???? Tendo vista que os Srs. Fernandinho-Beira-Mar - CV e Marcola - PCC não poderiam indicar diretamente seus representantes nesta DEMOCRADURA, só porque pegaria mal para o status quo: da embromação permanente / anti-patriotismo latente / e da PUTARIA sempre presente. Então a indicação do ''''''' vagabundo-ministro-da-deseducação ''''''''' aqui do PUTEIRO ficou a cargo do ''''''' trafico internacional de cocaína instalado na Colômbia ''''''''' , que agora se faz presente aqui no RENDEZ-VOUS_braZiU$$$A . Olha desconfio que têm dedo da CIA / NSA / PENTÁGONO nesta indicação, porque a necessidade de acabar de vez com qq ensino aqui no PUTEIRO, fazem parte de ___ WALL STREET = AIPAC ___ para destruição do ex-BRASIL o mais rápido possível , com o propósito de se assenhorar de vez do ex-Pais e transformá-lo além de <<< quintal >>> em um principal prostíbulo na América Latrina. Muito obrigado MEGANHA viDDa$$$ bôa$$$ pela sua escolha, para nós BRASILEIROS!!! Olha, o outro lado da vida lhe aguarda ansiosamente para um acerto de contas.

  4. Manuel Lopes Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    Quero me solidariza com o Professor Valter Lúcio de Pádua por ter sido o porta voz dos brasileiros que não se qualificam nas diretrizes do ministro da Educação.

  5. Marcos Silva Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    Esse professor tem meu total apoio!

  6. Josilda Dantas Palmeira Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    PARABÉNS PROFESSOR E OBRIGADA POR FALAR TÃO BEM EM NOME DE TODOS NÓS! MAS NÃO CREIO QUE O "SR" MINISTRO DE ATENÇÃO A QUALQUER QUE TIVER A BOA VONTADE DE MOSTRAR QUE ELE ESTÁ A PASSAR DOS LIMITES... SINTO DIZER ISSO MAS É A MAIS PURA VERDADE. OS GOVERNANTES QUE HOJE SE ENCONTRAM NO PODER NÃO TEM A MÍNIMA CONSIDERAÇÃO PELO POVO QUE TRABALHA E MANTÉNS A TODOS NO CARGO. MAS VALEU O QUE DISSE LAVA NOSSA ALMA.

  7. Rosa Cleide Silva Costa Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    Parabéns professor Valter lúcio de Pádua, pela a sua bravura e coragem. A educação pública em nosso país passa por retrocesso é uma educação sucateada por falta de recursos que são desviados pelos os políticos. Isso eles não consegui ver, que pagamos caro os salários e os privilégios dos políticos do nosso país, em troca temos uma educação de péssima qualidade, escolas em situações precárias os professores mal remunerados materiais didáticos desatualizados e por vai esses são alguns dos problemas na educação. E esse Sr ministro em vez de fazer uma proposta de mudança nessa área faz é deixar claro que os filhos das pessoas de classe pobre não terá acesso a faculdade pq na minha opinião essa elite a qual ele se referiu ficou clara que somente filhos de políticos terão acesso a ensino superior. Ainda tem coragem de chamar os brasileiros de ladrão dentro da nossa pátria.

  8. José Luiz Postado em 06/Jul/2019 às 00:35

    Parabéns, pelas palavras, não sou professor, sou caminhoneiro do PR.muito triste com tudo que está acontecendo, nossos jovens não tao nen aí