Redação Pragmatismo
Educação 26/Feb/2019 às 11:13 COMENTÁRIOS

1º vídeo de alunos cantando o Hino Nacional não vai agradar o MEC

Caiu na rede: 1º vídeo de alunos cantando o Hino Nacional não vai agradar o Ministério da Educação

vídeo alunos cantando hino nacional

A carta do Ministério da Educação (MEC) para as escolas brasileiras repercute intensamente na internet.

O documento exige que as instituições de ensino filmem seus alunos e funcionários cantando o Hino Nacional e repetindo o slogan de campanha de Jair Bolsonaro (PSL).

“Brasileiros! Vamos saudar o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!”, diz o texto da carta.

Internautas publicaram nas redes sociais o que já seria o 1º vídeo enviado a Ricardo Vélez Rodriguez, atual ministro da Educação. As imagens não teriam agradado o MEC. Assista:

Naturalmente, trata-se de uma brincadeira diante do pedido tragicômico do MEC. O vídeo com os estudantes dançando o hino nacional em ritmo de funk foi gravado em 2014, mas oportunamente resgatado após a manifestação surreal do ministro Ricardo Vélez Rodriguez.

O tema continua a monopolizar as conversas no Twitter, Instagram e Facebook. A hipocrisia do ‘Escola Sem Partido’ — projeto defendido pela atual gestão — e o princípio da impessoalidade foram os tópicos mais lembrados pelos internautas, citando a Constituição Federal:

“A ‘escola sem partido’ virou ‘escola de um partido só’. Esse é o ridículo Ministro da Educação indicado pelo filósofo fake Olavo de Carvalho, é nisso que dá. Filósofo fake indica Ministro delirante. É isso que chamam de meritocracia? Com esse nível de preparo e sandice? E a Constituição? E os direitos do Art. 5°, e a impessoalidade da coisa pública presente no caput do Art. 37? A finalidade da coisa pública é o próprio interesse público, abstrato e difuso, não o governo de A, B ou L. Onde fica a ‘liberdade de crença e religião’ com ‘Deus acima de todos’? Onde fica a liberdade política com crianças repetindo um slogan de campanha como um dogma sacramentado?! Honestamente, ridículo”, escreveu um usuário.

Janaína Paschoal (PSL-SP), deputada estadual mais votada do Brasil, também manifestou-se. Segundo a parlamentar, “O e-mail [do MEC] foi surreal, mas esse pessoal [críticos do governo] não enxerga o ridículo da desproporção das próprias reações”.

A advogada do impeachment sugeriu ainda que o ministro contrate um assessor jurídico. “Ministro, contrate urgentemente um assessor jurídico, especialista em ECA. Não se pode sair filmando as crianças (isso vale para os amantes de face, insta, etc). Ademais, primeiro realize algo concreto e os elogios virão naturalmente”, escreveu.

Segundo outros internautas, a “zoeira never ends”:

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários