Redação Pragmatismo
Saúde 11/Jan/2019 às 14:05 COMENTÁRIOS

Homem vende rim para comprar Iphone e quase morre

Homem está com graves problemas de saúde depois de vender um de seus rins para comprar um Iphone e um Ipad. Na China, caso reacendeu debate sobre transplantes clandestinos de órgãos humanos

transplante órgãos rim China
Imagem da cicatriz da cirurgia de Wang (Divulgação)

Um homem chinês que vendeu um de seus rins para comprar um Iphone e um Ipad está de cama e incapacitado para trabalhar. As informações são do Daily Mail.

O doador, conhecido apenas como Wang, está hoje com 25 anos. Ele ganhou cerca de R$ 11 mil ao vender o órgão no mercado negro chinês. O caso aconteceu em 2012, quando ele tinha 17 anos de idade.

A mídia local relata que o rapaz queria comprar os novos Iphone e Ipad, mas sua família era muito pobre. Em um fórum na internet, Wang conseguiu contato com homens que trabalhavam com compra e venda de órgãos humanos.

“Na época, eu queria comprar um IPad 2, mas não tinha recursos e minha família é muito humilde. Na internet, um “agente de órgãos” disse que meu rim poderia render muito dinheiro”, conta Wang. Com o dinheiro que conseguiu, Wang comprou um Iphone 4 e um Ipad 2.

Wang fez uma viagem sem que seus pais soubessem. Ele saiu de sua casa na província de Anhui, no leste da China, até a província de Hunan, no sul do país. Dois cirurgiões, um assistente de cirurgia e uma enfermeira realizaram a operação macabra.

Policiais foram chamados quando sua mãe descobriu o que ele tinha feito e uma investigação foi iniciada. Nove pessoas envolvidas no esquema foram presas. Os intermediários foram condenados a até cinco anos de prisão e cada cirurgião recebeu pena de três anos.

Complicações

Sete anos depois da cirurgia, a saúde de Wang se deteriorou e ele começou a se sentir mal. Ao consultar um médico, descobriu que o seu outro rim havia parado de funcionar.

Outros órgãos dele foram afetados por uma infecção que ele contraiu ao realizar a cirurgia sem nenhum tipo de cuidados pós-operatórios.

Hoje, Wang precisa de aparelhos para sobreviver e passa seus dias na cama, sem conseguir se levantar. Ele recebeu uma indenização do governo.

Tráfico de órgãos na China

Ao contrário de países onde o tráfico de órgãos humanos é comandado por máfias, na China esse comércio era legalizado até o ano de 2006, quando entrou em vigor uma lei que proíbe a compra e venda de material humano e determina que as doações sejam voluntárias.

Durante muito tempo, a China foi considerada um paraíso de transplantes clandestinos, atraindo pacientes vindos de Hong Kong e de várias partes do mundo em busca de um órgão vital que as listas de espera e os altos preços tornaram inacessíveis em seus locais de origem.

A situação acabou gerando o crescimento de um mercado negro, onde o que importa é obter o órgão desejado pelo paciente, sem avaliar a procedência ou o consentimento do portador natural.

O fenômeno tomou uma dimensão trágica no caso dos condenados à morte, transformados em mercadoria após serem executados, em um negócio multimilionário no qual rins e fígados recebem cotações altíssimas.

Desde 1 de janeiro de 2015, a China suspendeu por completo a utilização de órgãos de presos executados para transplantes.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Comentários