Redação Pragmatismo
Mercado 24/Oct/2018 às 20:58 COMENTÁRIOS

As 7 marcas de azeite reprovadas nas análises da Proteste

Testes feitos pela Proteste (Associação de Defesa do Consumidor) apontaram que sete produtos vendidos como azeite extravirgem não podem ser considerados azeites, e sim uma mistura de óleos vegetais

marcas de azeite reprovadas Proteste alimentação saúde

Testes feitos pela Proteste (Associação de Defesa do Consumidor) apontaram que sete produtos vendidos como azeite extravirgem não podem ser considerados azeites, e sim uma mistura de óleos vegetais.

O teste avaliou 60 marcas e as reprovadas foram Barcelona, Porto Valência, Casalberto, Olivenza, Faisão Real, Do Chefe e Borgel.

Diante dos resultados, a Proteste ingressou com ações judiciais contra as empresas responsáveis pelos azeites fraudados, com o objetivo de os lotes serem retirados imediatamente do mercado.

A justiça determinou que a marca Borgel –que em 2017 já tinha sido reprovada pelo mesmo motivo — deve retirar o produto de lote 006, validade 02/01/2020 imediatamente do mercado, sob pena de multa diária de R$ 50 mil caso não faça isso. Quem comprou esse azeite tem direito a pedir o dinheiro de volta.

Relembre as marcas reprovadas em 2017

Azeite sempre deve ser puro

Para ser considerado azeite, não pode apresentar mistura com qualquer outro tipo de óleo. Na embalagem deve conter apenas óleo de oliva.

É importante saber que os extravirgens possuem mais aroma e sabor e nutrientes do que o azeite “comum”, além de manter grande parte dos nutrientes da azeitona espremida, sendo livres de solventes e químicas.

Leia também:
Seres humanos já estão ingerindo microplásticos, revela estudo pioneiro
Bebidas de Soja escondem rótulo de transgênico (T) no Brasil
Produção de proteína animal é um dos maiores problemas da humanidade
Agrotóxico é identificado em amostras de leite materno no Piauí
É preciso ‘taxar’ alimentos ultraprocessados no Brasil
Qual a diferença entre o produto orgânico e o agroecológico?
Dieta nórdica faz bem à saúde e é recomendada pela OMS
Seis alimentos que não deveriam estar nas prateleiras
Até onde vai a desumanidade de um empresário da indústria farmacêutica?

UOL

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários