Redação Pragmatismo
América Latina 24/Oct/2018 às 21:40 COMENTÁRIOS

Guia completo de como ir morar no Uruguai (se o Brasil ficar pesado demais)

Jornalista brasileira que mora no Uruguai, terra de Pepe Mujica, explica em detalhes como emigrar para o país vizinho caso a política brasileira afugente você

Guia como morar no Uruguai eleições mujica

Patrícia Álvares, Huffpost

A vitória de Jair Bolsonaro na disputa pela Presidência da República parece um pesadelo para milhares de brasileiros. Só o grupo secreto de “Mulheres contra Bolsonaro” no Facebook fez barulho com 3 milhões de adesões em apenas 1 mês durante a campanha eleitoral de 2018. Há exatos 4 anos, o evento que agitava as redes, em menor proporção, era a “Caravana pro Uruguai caso o Aécio seja eleito“. Entre as 46 mil pessoas confirmadas, centenas se diziam decididas a emigrar para o país de Pepe Mujica.

Popstar da política internacional, Mujica ainda presidia o país vizinho em 2014 e levava a cabo reformas sociais de vanguarda na América Latina e no mundo. O aborto foi legalizado, a maconha foi regulada pelo Estado e o matrimônio igualitário também foi permitido.

A ideia de morar em um território tão progressista era sedutora. E ainda é!

Saiba mais:
A herança progressista de Mujica no Uruguai
20 frases inesquecíveis de José ‘Pepe’ Mujica

Então, para quem quiser passar essa ideia abstrata ao papel, especialmente com um Brasil sob Bolsonaro, decidi preparar um guia exageradamente completo para resolver toda a papelada necessária e poder cruzar a fronteira sem medo de ser feliz.

Afinal, o site oficial do Canadá com informações para migrar ao país colapsou em 2016, precisamente quando Donald Trump ganhava as eleições presidenciais nos Estados Unidos. Parece que, naquele momento, muitos norte-americanos descontentes com o resultado das urnas cogitaram se mudar para o território vizinho, o que teria provocado uma sobrecarga e uma queda no serviço.

Documentos para morar no Uruguai

O ideal é iniciar o trâmite ainda no Brasil. E é bastante chatinho, mas seguindo as instruções organizadas em um só texto, fica mais fácil. Então, vamos lá. A princípio, você vai precisar de:

↬ Certidão de antecedentes criminais, que deve ser solicitada pelo site da Polícia Federal

↬ Certidão de nascimento (pode ser uma cópia autenticada)

Ambos documentos devem ser legalizados com a Apostila de Haia nos cartórios autorizados.

Trata-se de uma mudança recente que tem facilitado muito o processo, já que, acredite, costumava ser ainda mais burocrático.

Se o seu objetivo for estudar, aproveite a ida a um desses cartórios para autenticar e “apostilar” os diplomas de Ensino Médio e/ou Superior, assim como os históricos escolares acadêmicos.

Chegando no Uruguai

E pronto, com essa papelada você já pode mudar para o Uruguai. Mas espere. Você entrará no país como turista, com direito a permanecer no território por 3 meses, tempo em que se deve continuar com os trâmites migratórios.

Os documentos que foram apostilados e reconhecidos no Brasil deverão agora ser legalizados novamente no Ministério de Relações Exteriores do Uruguai. É possível agendar essa etapa pela internet. Após esse passo, você pode ganhar tempo agendando a parte mais importante: a entrega de toda a documentação. O site é um pouco confuso porque você tem que escolher a opção “iniciar o trâmite desde o Uruguai” e não do Brasil.

Mas calma, ainda tem mais. Muito mais! Enquanto você aguarda a data, será preciso traduzir as certidões brasileiras com um tradutor juramentado (confira a lista de tradutores disponíveis para contatar e pesquisar preços), além de providenciar o carnê de saúde, uma espécie de atestado exigido para trabalhar ou estudar aqui, por exemplo.

Também é necessário marcar previamente o carnê por telefone, pelo 0800-2773 (ligação gratuita). De acordo com o portal oficial do governo uruguaio, o carnê de saúde requer:

↬ Uma foto 3×4
↬ Apresentação do RG ou passaporte brasileiro
↬ Comprovante da vacina antitetânica vigente (se não tiver, pode tomar a vacina no momento)
↬ Óculos de grau (se houver)
↬ Uma amostra da primeira urina do dia (no caso das mulheres, o material deve ser coletado com uma distância de pelo menos 4 dias da menstruação) em um frasco esterilizado que pode ser adquirido em qualquer farmácia.
↬ Outro detalhe para as mulheres é que elas precisam apresentar o resultado de um papanicolau recente se têm entre 21 e 65 anos. As maiores de 40 também necessitam apresentar o resultado de uma mamografia atual.

Paralelamente, a certidão de nascimento traduzida deve ser inscrita no Registro Civil, onde providenciarão uma versão uruguaia do documento. E atenção: as certidões de nascimento no Uruguai só valem por 30 dias (sério!). Trata-se de um detalhe que pode ser um obstáculo se você chegar no dia de entregar toda a documentação com uma certidão “vencida“.

Residência no Uruguai

Acabou? Não! Ainda falta o comprovante policial de residência. Não importa se você estiver morando em um local provisório. Basta se apresentar na delegacia mais próxima com duas testemunhas uruguaias que confirmem o endereço que você está declarando.

E agora, terminou? Quase!

Ao entregar todos os documentos mencionados neste texto no departamento de migrações, você receberá um certificado que te permitirá fazer a cédula de identidade uruguaia com validade de um ano, enquanto analisam a sua documentação. Sem essa carteira, você não pode fazer praticamente nada no país — não pode trabalhar, nem alugar um imóvel, abrir conta bancária ou ser atendido em diferentes serviços.

Com a cédula provisória você passa a ter que pedir permissão no departamento de migrações cada vez que quiser sair do Uruguai, seja pra dar um pulinho ali na Argentina ou matar a saudade do Brasil. É bem chatinho isso, mas é assim.

Quando o seu pedido de residência permanente for aprovado, você poderá fazer a cédula definitiva, embora tenha que renová-la a cada 3 anos. E ah! Famílias com menores de idade devem estar atentas a algumas especificidades nos requisitos.

Vale lembrar que a maioria das etapas de todo o processo são pagas. Os preços giram em torno de 200 a 300 pesos, aproximadamente entre R$ 25 e R$ 40. Porém, a tradução juramentada costuma ser muito mais cara.

Como certamente deu pra perceber, o caminho é bastante burocrático. Por isso, é recomendável solicitar a residência permanente e não a temporária (existe esta opção), ainda que você não tenha certeza se vai realmente querer ficar no país. É que os procedimentos são praticamente os mesmos e não valem a pena se o resultado tiver um prazo de validade.

Agora sim; pronto! E fica a dica. Se você vai mesmo pro Uruguai, procure ir no verão, quando a terrinha do Eduardo Galeano fica tão quentinha como no Brasil (não somente pelo clima, mas também pelo calor humano).

Leia também:
As diversas faces da proibição da maconha no Brasil
Serra e FHC tentam persuadir Tabaré Vázquez e recebem lição de democracia
O que aprendi sobre o Brasil vivendo no Uruguai
Cresce número de mulheres que desistem de abortar no Uruguai após a legalização
Um gole de Eduardo Galeano
Mujica explica legalização da maconha no Uruguai

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários