Redação Pragmatismo
Eleições 2018 15/Oct/2018 às 13:25 COMENTÁRIOS

Assassino de Daniella Perez pede voto para Jair Bolsonaro

Em vídeo, assassino de Daniella Perez defende Jair Bolsonaro de acusações e pede voto para o candidato do PSL. Conteúdo viralizou nas redes sociais. Guilherme de Pádua hoje é pastor evangélico

Guilherme de Pádua Bolsonaro

Condenado a 19 anos e seis meses pelo assassinato da atriz Daniella Perez, filha da autora de novelas Glória Perez, o ex-ator Guilherme de Pádua usou as redes sociais para defender o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL).

Hoje pastor evangélico, Pádua postou um vídeo que ganhou repercussão nas redes sociais.

“Eu vi pessoas formadas, até com mestrado, sabe, pessoas assim que poderiam ter doutorado, acreditando que o Bolsonaro vai perseguir os negros e os gays como Hitler perseguiu os judeus. É impressionante como os radicais conseguem colocar loucuras na cabeça das pessoas”, diz Pádua no vídeo, que dura cerca de 1 minuto.

O ex-ator prossegue afirmando que quem for eleito vai ter que governar para os brasileiros. Na legenda do vídeo, o ator publica figuras de mãos fazendo sinais de arma de fogo.

“Ou daqui a quatro anos, ou antes disso, o povo escolhe outro. Mas olha, é importante lembrar: quem está decidindo as eleições não são os radicais, nem de direita nem de esquerda. São os moderados, aqueles que querem um Brasil melhor, que querem um Brasil pacificado. Então, seja quem ganhar… Parece que a chance é maior do Bolsonaro”, afirma.

O ator José de Abreu, que já chamou Bolsonaro de ‘nazista’, comentou o episódio.

“Atores a favor do nazista: Guilherme de Pádua, matador da filha de Gloria Peres; Regina Duarte, que apoia Temer e o fim do Ministério da Cultura; Alexandre Frota, que amanhã será preso por não pagamento de pensão alimentícia… Mais algum?”, escreveu no Twitter.

Guilherme de Pádua

Em 28 de dezembro de 1992, Guilherme de Pádua e sua ex-esposa Paula emboscaram Daniella Perez em frente a um posto de gasolina. Guilherme não somente deu-lhe um violento soco, como também espancou a atriz, colocou-a no carro de Paula.

Depois, ambos, após terem-na apunhalado 18 vezes com um punhal, atiraram o corpo da atriz em um matagal da Barra da Tijuca. O crime teria sido motivado por inveja, cobiça e vingança, já que segundo a acusação, Guilherme assediava Daniella em busca de uma maior participação de seu personagem na novela, mas não obteve êxito em suas investidas.

Guilherme de Pádua é mencionado em um capítulo do livro da psiquiatra Ana Beatriz Barbosa, “Mentes Perigosas: o psicopata mora ao lado”.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários