Redação Pragmatismo
Saúde 17/Jul/2018 às 12:39 COMENTÁRIOS

Médico conhecido como "doutor bumbum" mata paciente em apartamento no RJ

Seguido por milhares nas redes sociais, médico conhecido como Dr. Bumbum tem passagem pela polícia por homicídio e ameaça. Paciente morreu neste fim de semana após procedimento estético em apartamento. Namorada do médico foi presa e mãe está foragida; ambas participaram da cirurgia

doutor bumbum médico foragido
A paciente Lilian Calixto e o médico Denis Cesar Barros Furtado, conhecido como doutor bumbum

O médico Denis Cesar Barros Furtado é considerado um foragido da Justiça. Conhecido como Doutor Bumbum, ele foi responsável por um procedimento estético que resultou na morte da bancária Lilian Calixto, de 46 anos.

A paciente saiu de Cuiabá, no Mato Grosso, onde mora, para realizar um procedimento estético nos glúteos. Ela foi atendida no sábado (14) em um apartamento na Barra da Tijuca, zona oeste da capital fluminense – prática condenada pelo Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro), que informou que vai investigar o caso.

Após a intervenção, a paciente passou por complicações e foi levada pelo próprio médico para o Hospital Barra D’or, onde chegou em estado considerado extremamente grave.

De acordo com a unidade de saúde, mesmo após “manobras de recuperação”, não foi possível reverter o quadro de saúde e Lilian que acabou morrendo na madrugada de domingo (15). O médico e a mãe dele, que teria participado do procedimento, estão foragidos.

A namorada dele, Renata Fernandes, de 20 anos, que também teria envolvimento no atendimento, prestou depoimento na 16° DP (Barra da Tijuca) e teve a prisão temporária de 30 dias decretada.

Denis Furtado tem registro em Goiás e em Brasília e não poderia atuar profissionalmente no Rio sem autorização do Cremerj.

As causas da morte da paciente ainda não foram divulgadas. A suspeita é que a bancária tenha sofrido uma embolia pulmonar devido à aplicação da substância PMMA (polimetilmetacrilato), material utilizado para fazer preenchimentos corporais e faciais.

O produto é aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas indicado para situações pontuais e em pequenas quantidades.

Passagens criminais

Titular da 16ª DP, a delegada Adriana Belém informou que o médico tem oito passagens criminais, uma delas por homicídio em 1997, além de porte ilegal de arma, crime contra administração pública, exercício arbitrário das próprias razões, ameaça, duas por resistência à prisão e violação de domicílio.

Segundo a delegada, três pessoas auxiliaram Denis no procedimento: “A mãe, que é médica, mas cujo CRM foi cassado no Rio; a namorada, que é técnica de enfermagem; e uma terceira pessoa”, listou Adriana.

Nas redes sociais, o médico Denis Cesar Barros Furtado, 45, é conhecido como “Doutor Bumbum”. Com diversas contas em redes sociais para divulgação do trabalho estético, Furtado tem quase 1 milhão de seguidores. Nas redes, o médico diz que já fez mais de 5 mil procedimentos estéticos, “em mais de 15 anos de bioplastia”.

“Fomos surpreendidos”

Enteado da vítima, Alessandro Jaberce diz que ela era muito vaidosa e veio fazer uma cirurgia para aumentar o bumbum.

“A gente tinha informação de que o procedimento era em clínica. Chegamos aqui e fomos surpreendidos. O procedimento foi feito na casa dele, na cobertura dele. A cirurgia ia ser feita em Brasília, mas de última hora foi mudada para o Rio de Janeiro. Não sei o motivo, só sei que foi feito num apartamento, e isso não entra na nossa cabeça”, disse.

O presidente do Conselho Regional de Medicina (Cremerj) Nelson Nahon disse que, por não ter CRM no Rio de Janeiro, ele não tem autorização para trabalhar no estado. E o procedimento jamais poderia ser feito num apartamento.

“Isso serve de alerta para a população, para tomar cuidado. Procedimentos médicos, cirúrgicos ou estéticos só podem ser feitos em clínicas ou hospitais que são aparelhados para isso”, disse Nahon.4

Repúdio

Em nota, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica lamentou a morte da paciente e destacou em que o procedimento foi realizado por médico não especialista e feito em local inadequado.

“A SBCP repudia e reprova procedimentos médicos na área, realizados por não especialistas, e sobretudo nestes moldes”.

A SBCP fez ainda um alerta informando que disponibiliza em seu site, página no Facebook, e-mail ou telefone, uma consulta para saber se o médico é ou não credenciado pela entidade para realizar uma cirurgia plástica.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários