Redação Pragmatismo
Música 26/Jul/2018 às 18:24 COMENTÁRIOS
Música

"Perdi um amigo que amo muito", diz Fagner sobre Chico Buarque

Publicado em 26 Jul, 2018 às 18h24

Em entrevista, Fagner sugere que Chico Buarque foi responsável pelo fim da amizade que mantinham. Na verdade, nunca foi uma coisa à parte para um ou outro. Se Chico permaneceu coerente em suas posições, Fagner migrou no sentido contrário

Fagner e Chico Buarque
Os jovens Fagner e Chico Buarque

Kiko Nogueira, DCM

“Chico [Buarque] foi meu grande parceiro. Faz tempo que a política nos separou, mas não influenciou no carinho que tenho por ele”, contou Fagner ao site Glamurama. “Perdi um amigo que amo muito. Infelizmente, porque a política deveria ser uma coisa à parte”.

Na verdade, nunca foi uma coisa à parte para um ou outro. Se Chico permaneceu coerente em suas posições à esquerda, Fagner migrou no sentido contrário.

Isso, em si, não deveria ser motivo para acabar com uma relação. Fagner poderia ter se tornado um conservador inteligente.

Preferiu virar um Lobão da MPB, ídolo de uma turma que considera Chico um comunista safado que vive em Paris tomando champanhe etc etc — aquela discurseira débil mental clássica.

Virou também papagaio de pirata de Sergio Moro.

A aproximação entre os dois começou em 2015, quando Raimundo Fagner fez uma canção em homenagem a Moro, esse “grande brasileiro que ele está se revelando, a sua competência e a sua coragem”.

Os dois haviam sido apresentados num prêmio. Um verso enigmático fala que “quem tem tudo na mão não corre atrás”.

Num vídeo caseiro, o menestrel agradece: “Parabéns por você existir nesse país difícil de aturar, mas você existe. Falou, parceirão, grande abraço”.

Fagner e Moro experimentaram momentos inesquecíveis desde então. Entre eles, um encontro numa churrascaria de Curitiba. Na ocasião, no meio dos convivas, Fagner dedicou-lhe “Guerreiro Menino”, de Gonzaguinha.

“Guerreiros são pessoas/ São fortes, são frágeis/ Guerreiros são meninos/ No fundo do peito”. E então aquele refrão: “Não dá pra ser feliz/ Não dá pra ser feliz…”. Moro ouve com um ar circunspecto, chopinho na mão.

Fagner também esteve no Paraná numa excursão da qual faziam parte intelectuais como Suzana Vieira, Lucinha Lins, Victor Fasano, Luana Piovani e um sujeito que participou da Casa dos Artistas.

A militância vem de longa data. Já apoiou Lula (em 1989), Tasso Jereissati, Marina (em 2010). Em 2014, foi de Aécio Neves. “Não defendo partidos e não fico em cima do muro”, disse ele. Antes ficasse.

Declarou que conhecia a “trajetória” de Aécio. Hoje Aécio não recebe mais suas mensagens de WhatsApp.

“A nova geração precisa estudar a história do movimento artístico e entender o que as figuras que estiveram envolvidas naquela época pensam hoje”, disse.

Em seu caso, e no de tantos outros, as novas gerações ganhariam muito mais conhecendo suas canções obra através das músicas e não da sabujice com os salvadores da pátria de plantão.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

Comentários

  1. José Andrade Andrade Andrade Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    E a música do Fagner é uma chatura. Eu queria ser um peixe no aquário, que coisa mais ridícula!

  2. Silas A. Santos Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    Fagner , que vá caçar sapo...só muda de opinião desse jeito, quem jamais teve convicção política...quem não sabe diferenciar governo popular, de governo liberal nem merece ser citado... É 13 !!!! Com os trabalhadores, é 13 pelos brasileiros !!!! É 13 com LULA até o fim !!!!

  3. José Virgilio Rosas Duarte Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    O Fagner não perdeu um amigo; ele perdeu milhares de amigos.

  4. Robby Souza Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    Por que lamenta??? Chico escolheu os justos e você, vagabundo, os bandidos, morra abraçado com eles https://uploads.disquscdn.com/images/fd4653bbba5941c24d0da71531816ba727f124de01028c85ae830a49a36393e4.jpg

  5. Johnson Soares Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    Para mim foi um choque descobrir que Elomar Figueira Melo era uma monarquista convicto isso, nos idos anos 90 de lá para cá "nada do que é humano me é estranho - Publio Terêncio Afro" principalmente em se tratando de Raimundo Fagner, que se notabilizou pela singularidade do seu canto e suas composições. As suas posições politicas na verdade nunca se configuraram em adesão ideológica e desde de sempre soaram espalhafatosas ao seu publico mais fiel, pessoas que ainda cultuam o gosto pela boa musica produzida pelo artista no anos 70 e 80 ao lado dos grandes da mpb. Como Cearense cabeça chata que sou, continuo fã da arte do transcendente artista Fagner, já o homem "politico" Raimundo ainda terá que ralar muito para encontra a integralidade que faz o ser Chico Buarque de Holanda um humano como poucos no planeta, este distanciamento lhe deve fazer muita falta mesmo.

    • Robby Souza Postado em 06/Jul/2019 às 13:43

      para mim esta mais para safagner, o amiguinho do cheirador traficante!! https://www.youtube.com/watch?v=uJRNs60k-Mc

  6. Robby Souza Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    as novas amizades já dizem tudo, esse vagabundo de Fagner é unha e carne com o cheirador Aécio Neves!! https://www.youtube.com/watch?v=uJRNs60k-Mc

  7. Eduardo Ribeiro Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    Mas esse aí é monstro demais. De uns tempos pra cá assumiu um personagem super-reaça, vive passando vergonha, mas não consigo bater muito em PAImundo Fagner.....exceto relembrar que ele na verdade SEMPRE andou confortavelmente com a burguesia, incluindo aí políticos e grande mídia.

  8. Denia santana Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    Chamar de conservador um sujeito que consegue manter o senso critico e se posiciona contra um governo corrupto do lula e mesmo coisa de um blog marqueteiro . Chico tem todo direito de entrar para o time de repetidores de mantras pra acreditar na inocencia do lula. Mas dai posicionar como conservador os que nao acreditam e demais. Repita mil vezes palavras de ordem dos blogs petistas. Deslugue o raciocinio e feche os olhos pro contexto dos fatos. Encontrara entao a inocencia do lula.

    • Robby Souza Postado em 06/Jul/2019 às 13:43

      olha só quem fala em corrupção, o lambe rabo da direita, vai estudar, seu bosta chifrudo!!! https://uploads.disquscdn.com/images/d6858fafaa6b95d8e58e1780ec318f97fb50feae179aeedad56810f1cdae4e0c.jpg

  9. Guto Normann Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    Fagner preferiu o caminho de unir-se àqueles que sustentam o velho coronelismo, as elites, aos capitães do mato. É lamentável isso. Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, entre tantos, mantiveram a coerência com sua História.

  10. Luiz André Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    A coerência é a virtude dos idiotas. Só sendo idiota ou masoquista pra não mudar junto com os fatos. Pelos comentários aqui feitos, já sei quem é quem Kkk

  11. Rodrigo Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    Se ele, como cantor, praticamente tem mais capacidade de ter acesso a informações, foi garoto de propaganda do Aécio e disse que conhecia a trajetória do Aécio, então mostra que ele é patético. Pois o próprio Moro demonstra nenhum interesse em pegar ou prender políticos do PSDB e usa como o argumento que tem Foro Privilegiado, mas vivem em lugares frequentado por povo do PSDB. Então o Fagner é um cantor que finge também que combate corrupção, pois é igual a Moro, a única corrupção que são contra, são do PT, o resto, podem roubar a vontade, não estão nem ai.

  12. Luiz Postado em 06/Jul/2019 às 13:25

    e esse Kiko se acha jornalista....