Redação Pragmatismo
Lula 20/Jun/2018 às 11:48 COMENTÁRIOS

As leituras de Lula nos 57 primeiros dias de cárcere

Instituto publica lista com as leituras do ex-presidente Lula em seus primeiros 57 dias preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba

leituras de Lula nos 57 primeiros dias de cárcere prisão curitiba lava jato

RBA

O Instituto Lula publicou nesta segunda-feira (18) os livros lidos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quando havia completado 57 dias no cárcere em Curitiba – ele se apresentou à Polícia Federal em 7 de abril. De acordo com o instituto e também segundo pessoas que o visitaram, o ex-presidente dedica a maior parte de seu tempo à leitura. São obras variadas, que vão de análises da realidade brasileira, passando por contos romances e ficção.

Entre as obras relacionadas à análise política e sociológica, estão A Elite do Atraso – Da Escravidão à Lava Jato (Leya), de Jessé Souza. De acordo com o sociólogo, a formação da sociedade a partir da escravidão e suas consequências são elementos centrais para se entender o país. “A escravidão aqui era um sistema inteiro, tudo foi montado em torno dela. Essa teoria foi criada no Brasil e isso é decisivo. Quando se resgata a escravidão como questão principal, se resgata o elemento da humilhação e da distribuição da riqueza“, explicou no programa Entre Vistas, da TVT.

Na seara política também está a obra de Alberto Carlos Almeida O Voto do Brasileiro (Record), publicação que traz uma análise de mapas comparativos sobre o comportamento eleitoral do brasileiro nos últimos 12 anos. O sociólogo português Boaventura de Sousa Santos aparece na lista com seu Esquerdas do Mundo, Uni-vos (Boitempo), assim como o norte-americano Noam Chomsky e sua obra Quem Manda No Mundo? (Crítica).

Lula leu ainda livro escrito pela filósofa Márcia Tiburi, pré-candidata do PT ao governo do Rio de Janeiro, Feminismo Em Comum – Para Todas, Todes e Todos (Rosa Dos Tempos). Em abril, ela fez o lançamento da obra no Acampamento Lula Livre, em Curitiba, quando conduziu o “boa tarde” ao ex-presidente. “A gente deve vir pra cá com nossos esforços, porque nossos esforços pessoais, hoje, representam nosso desejo de política e democracia no Brasil. Isso é uma manifestação de amor, solidariedade, lucidez, amor ao conhecimento”, falou na ocasião.

No rol constam ainda clássicos como O Amor nos Tempos do Cólera (Record), de Gabriel García Márquez, e Ressurreição (Cosac Naify), de Leon Tolstoi. Confira abaixo os outros livros da lista:

Homo Deus (Companhia das Letras), de Yuval Noah Harari

Laika (Boitempo), de Nick Abadzis

Os Beneditinos (Companhia das Letras), de José Trajano

Vá, Coloque Um Vigia (José Olympio), de Harper Lee

O Último Cabalista de Lisboa, (Bestbolso), de Richard Zimler

Um Defeito de Cor (Record), de Ana Maria Gonçalves

Dois Cigarros (Gulliver), de Flávio Gomes

A Poeira e a Estrada (Carpe Diem), de Maciel Melo

A Melancia do Presidente, de Wellington Dias

Belchior – Apenas Um Rapaz Latino-Americano (Todavia), de Jotabê Medeiros

O Sol na Cabeça (Companhia das Letras), de Geovani Martins

O Último Judeu – Uma História de Terror na Inquisição (Rocco), de Noah Gordon

Thomas Piketty e o Segredo Dos Ricos (Veneta), vários autores, organizado por Silvio Caccia-Bava

Vida – 4 Biografias (Companhia das Letras), de Paulo Leminski

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários