Redação Pragmatismo
Mundo 12/Jun/2018 às 12:05 COMENTÁRIOS

Os detalhes do encontro histórico entre Donald Trump e Kim Jong-un

Presidentes dos EUA e da Coreia do Norte realizaram encontro histórico nesta terça-feira (12). Entenda o que ficou decidido na reunião entre Donald Trump e Kim Jong-un e confira as melhores imagens registradas

Donald Trump Kim Coreia do Norte

O mundo testemunhou nesta terça-feira (12) um encontro histórico de quase cinco horas entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un.

O encontro ocorreu em Cingapura. Os líderes assinaram um documento em que a Coreia do Norte se compromete a trabalhar para a sua desnuclearização e em que sinalizam o desenvolvimento de “novas relações” entre os países – um passo avaliado como “desenvolvimento sem precedentes” depois de um ano marcado por hostilidade e troca de ameaças entre as partes.

Foi a primeira vez em toda a história em que presidentes dos EUA e Coreia do Norte se reuniram. A cúpula foi realizada após um ano de testes de armas nucleares realizados pela Coreia do Norte, e depois de o país ter anunciado que já havia completado seu programa de desenvolvimento de armas atômicas.

Os principais pontos acertados na reunião desta terça-feira foram:

— EUA e Coreia do Norte se comprometem a estabelecer novas relações conforme desejo do povo dos dois países em perseguir paz e prosperidade.

— EUA e Coreia do Norte empreenderão esforços para criar uma paz estável e duradoura na Península Coreana.

— A Coreia do Norte se compromete a trabalhar no sentido de alcançar a total desnuclearização da Península Coreana.

— EUA e Coreia do Norte se comprometem a recuperar prisioneiros de guerra e soldados desaparecidos, incluindo a repatriação daqueles já identificados.

Na cerimônia de assinatura, os líderes fizeram breves comentários à imprensa. “Acho que os dois lados ficarão muito impressionados com o resultado”, disse Trump.

Horas antes, os presidentes iniciaram o encontro com um aperto de mãos diante de jornalistas e em frente às bandeiras de seus países, em um hotel de luxo na ilha de Sentosa, em Cingapura.

“As relações, a partir de agora, vão ser muito diferentes do que foram no passado”, disse Trump, afirmando ainda que havia desenvolvido um “laço muito especial com Kim” e que “definitivamente” o convidaria para visitá-lo na Casa Branca.

Kim Jong-un, por sua vez, declarou que “o mundo verá grandes mudanças” e que tanto ele quanto Trump haviam decidido “deixar o passado para trás”.

O líder norte-coreano comemorou: “Não foi fácil chegar aqui. Houve obstáculos, mas os superamos para estar aqui”, disse ele, na primeira entrevista concedida a jornalistas ocidentais.

Ainda não se sabe se o encontro foi um mero teatro e se o acordo vai de fato sair do papel. Mas a imagem histórica dos dois líderes sentados à mesa dá a Kim Jong-un credenciais para novos encontros bilaterais.

Depois de passar anos isolado e sendo alvo de sanções da comunidade internacional por testar ogivas nucleares, Kim passou a ser um importante ator no cenário mundial.

VÍDEO:

Veja as principais imagens do encontro:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários