Redação Pragmatismo
Religião 10/May/2018 às 15:16 COMENTÁRIOS

Padre Fábio de Melo pede desculpas depois de ironizar 'macumba' em sermão

Acusado de intolerância religiosa, padre Fábio de Melo é notificado por advogado e pede desculpas depois de ironizar 'macumba' durante sermão

padre fábio de melo macumba

Conhecido por ser um padre ‘popstar’, Fábio de Melo divulgou um pedido oficial de desculpas nesta quinta-feira (10) após ironizar quem faz “macumba”. A fala do líder católico ocorreu durante um sermão em missa realizada em Cachoeira Paulista, interior de São Paulo.

A celebração da missa aconteceu no dia 8 de abril, mas o vídeo só foi divulgado agora no youtube da Canção Nova e por isso repercutiu. Na tarde de hoje, o conteúdo já ultrapassava as 200 mil visualizações.

Na cerimônia católica, Fábio de Melo disse que seria capaz de comer um alimento colocado em um despacho, que é um ritual comum nas religiões de matrizes africanas.

“Com todo respeito a quem faz macumba, pode fazer, pode deixar na porta da minha casa que, se estiver fresco, a gente come”, afirmou o religioso.

O discurso de Melo fazia parte da pregação ‘Crer na autoridade que Deus nos deu’ em que o padre fala sobre ter fé no poder de Cristo através dos homens. Durante o sermão, ele questiona e ironiza os cristãos que têm medo de “macumba”.

“Você tem o poder de expulsar demônios. E você treme toda quando vê aquela galinha preta na porta da sua casa”, diz. ‘Fizeram uma macumba para mim, eu preciso ir lá no padre Joel'”, diz o padre, imitando uma fiel hipotética.

“Se você achar que uma galinha preta na porta da sua casa com um litro de cachaça e uma farofa de banana tem o poder de trazer destruição na sua casa, na sua vida, você não conhece a força do Cristo ressuscitado”, continua Melo.

Notificação

Fábio de Melo chegou a ser notificado pelo advogado Ricardo Brajterman, em nome do Babalawô Ivanir dos Santos, presidente da Comissão Estadual de Combate à Intolerância Religiosa, que considerou o discurso do padre depreciativo contra as religiões de matriz africana.

Desculpas

Em nota, Fábio de Melo assinalou que sempre manifestou publicamente respeito por todas as religiões e que apenas expressou, em uma celebração cristã, convicções cristãs. No texto, o padre também pediu desculpas. “Peço perdão aos que se sentiram ofendidos”.

“Nunca quis ofender ou desmerecer quem quer que seja. Não sou proprietário da verdade. Eu estou em busca dela. Quero o esclarecimento espiritual que me coloque ao lado de todos. Diferentes e iguais a mim. Somos irmãos e não me sinto melhor que ninguém. Se fui infeliz na forma como expressei o meu não crer, perdoem-me”, diz trecho da nota divulgada pelo padre.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

Comentários

  1. auribart Postado em 06/Jul/2019 às 13:09

    Muito mimimi Não pode falar nada sobre isso que vira intolerância. Estou sempre dizendo e a cada dia tenho mais certeza: No dia que acabarem todas as religiões, desde as milenares até as atuais, o mundo será um lugar melhor. Atenção, falo de religião, não de fé.

  2. Edison Carleti Postado em 06/Jul/2019 às 13:09

    "O que contamina o homem não é o que entra pela boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem." Mateus 15, 21-28 Sou ateu, mas tenho admiração por alguns versículos e parábolas bíblicas. O problema é que muitos que se dizem cristãos e, pior ainda, muitos que se dizem aptos a pregar o evangelho, simplesmente não sabem o que estão fazendo. Se o Padre Fábio de Melo não soube aqui expressar a empatia, um dos pilares do pensamento cristão, ao menos ele teve a humildade, outro magnífico pilar do cristianismo, em reconhecer seu erro ao debochar do Candomblé. Cabe agora que ele receba o perdão, o mais célebre dos preceitos cristãos.