Redação Pragmatismo
Racismo não 24/May/2018 às 12:21 COMENTÁRIOS

Confeitaria exclui publicação sobre Meghan Markle após acusação de racismo

Família real: confeitaria é acusada de racismo contra Meghan Markle e exclui publicação. Repercussão negativa da gafe obrigou o estabelecimento a divulgar um pedido de desculpas

Meghan Markle racismo

Acusada de racismo após uma publicação sobre Meghan Markle no Facebook, uma confeitaria da Alemanha decidiu remover a postagem e divulgar um pedido oficial de desculpas.

A confeitaria Super Dickmann’s publicou um imagem de um marshmallow de chocolate ao leite “vestido de noiva”. A foto foi postada no dia do casamento entre o príncipe Harry e a atriz Meghan Markle, no último sábado (19).

Na imagem, o marshmallow de chocolate usa uma tiara e segura um buquê de flores dentro de uma igreja. A foto é acompanhada da seguinte legenda: “O que você está olhando? Você também não gostaria de ser Meghan hoje?”.

A repercussão não ocorreu como gostariam os marqueteiros do estabelecimento. A imagem recebeu diversas críticas de usuários do Facebook e do Twitter, que se indignaram com a campanha da empresa e acusaram-na de “racista”.

“Campanha patética, resposta patética. Espero que haja consequências financeiras para você”, escreveu um usuário do Facebok. Após a repercussão da gafe, a confeitaria excluiu a publicação das redes sociais e divulgou um pedido de desculpas.

“Um grande perdão! O mundo do Super Dickmann’s é colorido e diversificado, e longe de pensamentos racistas”, escreveu a empresa.

Meghan Markle, de 36 anos, cuja mãe, Doria Ragland, é negra, vem sendo alvo de racismo desde o começo de sua relação com o príncipe Harry.

“Orgulho de ser mulher e feminista”

Após o casamento real, o site oficial da realeza britânica colocou no ar uma página sobre a nova duquesa de Sussex. A biografia traz informações sobre os trabalhos sociais e também menciona que Meghan é comprometida com “o empoderamento das mulheres”.

“Tenho orgulho de ser mulher e feminista”, afirma a nova integrante da realeza britânica em sua página oficial.

No ano passado, Meghan visitou a ONG World Vision para conscientizar meninas sobre a importância da educação. Em 2015, a duquesa tornou-se defensora das mulheres da ONU.

No entanto, desde os 11 anos de idade ela já era ativista pela igualdade de gênero. Após uma campanha, a norte-americana conseguiu que uma empresa que vendia detergente mudasse um anúncio de televisão apontado como sexista.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários